Como transformar uma idéia em um biscoito decorado – fogãozinho de biscoito 3D

fogaozinho facebook

 

Sabe quando a gente encasqueta com uma coisa? Então.

Passeando pelo Etsy dei de cara com uma linda caixinha para cupcake em forma de fogãozinho, quase morri de fofura. (link aqui)

Seria possível fazer uma, só que de biscoito? Só o destino poderia revelar.

Tudo começou com um projeto, assim como quase tudo na vida:

foto 1

O desafio maior seria definir o tamanho das peças para dar certo o encaixe depois. As laterais, frente e costas foram fáceis de definir o tamanho. O tampo precisaria ser ligeiramente menor para poder encaixar bem no meio das quatro “paredes”, não poderia ficar muito grande.

Decidi deixar sem fundo embaixo pra facilitar. Desenhei e recortei os moldes em papel sulfite.

template

Abri a massa não muito grossa, mas não muito fina para não entortar e facilitar o encaixe. Acabei fazendo dois tamanhos de tampo para ver qual encaixaria melhor. Fiz também mais um biscoitinho um pouco maior que a abertura do forno para fazer a parte do bolinho e colar por trás.

Cortei as peças já na assadeira, assim não precisaria mexer nelas e correr o risco de entortar.

massa

Com as peças assadas, decorei tudo com glacê real em ponto fluido e montei depois de tudo bem seco com glacê em ponto firme.

foto 3

Quer aprender mais sobre biscoitos decorados com glacê real? Vem fazer um curso comigo!

Informações na The Cake is on the Table, tel (11) 2371-1640

Sanduíches de suspiro com chocolate meio amargo

sanduíches de merengue com chocolate meio amargo

Vocês pensam que é fácil a vida da doceira, mas é uma luta. Explico: a gente acaba fazendo sempre os mesmos doces para as encomendas das clientes, mas aí é aquela coisa – sobra um pouco de brigadeiro aqui, uma tampa de bolo ali, aquele cookie que ficou feio e não passou no controle de qualidade  fica rodando na tapaué olhando pra você.

Aí, de vez em quando, a gente olha aquilo tudo e a cabecinha começa a pensar – e se eu juntasse esse resto de doce de leite com aquele resto de bolo de nozes e fizesse um pavê? E se eu esmigalhasse esses cookies e fizesse um sorvetinho? Aí, em nome da gordice  ciência, a gente faz esse tipo de experiência bem calórica que atrapalha toda a alimentação equilibrada que eu sempre sonhei em ter.

Já contei aqui que a minha vizinha é uma sortuda, porque eu despacho sempre alguma coisa pra lá, mas esses sanduíches de merengue com chocolate… Desculpa aí, vizinha, mas fico te devendo.

Os componentes da receita: uma sobra de merengue que eu uso como cobertura de bolos e cupcakes, que assei em forno baixíssimo por umas 3 horas até secar e ficar crocante e uma ganache de chocolate meio amargo que serve para várias coisas – desde cobrir bolos até enrolar em trufinhas.

Sanduíches de Suspiro com Chocolate Meio Amargo

Suspiro (esta receita precisa de um termômetro para uso culinário)

  • 3 claras grandes
  • 1 xícara de açúcar refinado
  • 1/2 colher de chá de extrato ou essência de baunilha

Ganache

  • 400g de chocolate meio amargo em barra, picadinho
  • 200g de creme de leite UHT

Prepare o suspiro

Forre duas assadeiras grandes com papel manteiga e prepare um saco de confeitar grande com um bico pitanga (eu usei o 1M da Wilton). Aqueça o forno  a 100 graus – se no seu não tiver essa temperatura coloque na mínima e deixe uma colher de pau na porta do forno. Numa tigela resistente ao calor, misture as claras e o açúcar. Coloque o termômetro na tigela e leve ao banho-maria, misturando com um fuet, até as claras atingirem 71 graus Celsius. Leve à batedeira e bata por mais ou menos 7 minutos, ou até ficar em ponto de merengue, formando picos firmes. Junte a baunilha e bata mais um pouquinho para misturar.

Passe a mistura para o saco de confeitar e forme rosinhas de merengue nas assadeiras preparadas. Achei esse video que mostra direitinho como eu fiz:

Leve ao forno por mais ou menos 2 horas, dependendo do tamanho dos seus merengues, ou até secarem bem.

Prepare a ganache:

Leve o chocolate ao microondas em intervalos de 30 segundos até ele estar parcialmente derretido, ou seja, quase todo liquido mas com alguns pedacinhos ainda inteiros no meio. Tire do microondas e misture com uma espátula até terminar de derreter tudo. Verifique se o chocolate está muito quente colocando um pouquinho no lábio – misture o creme de leite só quando estiver quase frio.

Deixe a ganache repousar até ficar em ponto pastoso para utilizar. Não coloque na geladeira, senão vai endurecer muito.

Montagem:

Coloque a ganache num saco de confeitar com bico liso pequeno ou pitanga francesa e aplique o recheio em metade dos suspiros, na parte lisa. Cubra com os suspiros restantes. Pode ser guardado em recipiente com tampa por até dois dias. Como essa ganache fica bem durinha é bem fácil de embalar para presente sem o risco de escorrer e melar tudo.

Como assar biscoitos perfeitos e uma receita de cookies de manteiga de amendoim

pb cookies

Não se se já comentei isso aqui, mas comecei minha “carreira” de doceira fazendo cookies e biscoitos. Na minha opinião são um excente ponto de partida para se começar na culinária doce, já que são bem fáceis de fazer e, com a receita certa e observando alguns cuidados, quase impossíveis de dar errado. Já fiz tantas, mas tantas receitas, que fico mega feliz quando sou considerada por alguém uma “especialista” no assunto (rs).

No comecinho do ano o pessoal da Revista Espresso entrou em contato pedindo 3 receitas de biscoitos americanos, e também algumas dicas de como obter os melhores resultados nesse tipo de biscoito. A revista já saiu e pode ser comprada nas melhores bancas e livrarias, olha só que linda:

892299_10151332560941074_79936887_o

Além dos cookies de manteiga de amendoim você encontra também receitas de snickerdoodles, coconut macaroons (minhas), Cookie Escuro de Chocolate da Alê Tedesco e Chocolate Chip Cookies da Tiffany Fontana.

Quando for fazer uma receita de cookie ou biscoito e ela não ficar tão boa, antes de reclamar com a blogueira, observe se seguiu os seguintes pontos:

  • SIGA A RECEITA AO PÉ DA LETRA, leia o texto inteiro antes de começar, principalmente se está fazendo pela primeira vez.
  • USE XÍCARAS E MEDIDORES PARA USO CULINÁRIO: medidas padronizadas produzem o resultado que você vê nas fotos das revistas, amiga!
  • NÃO TROQUE A MANTEIGA POR MARGARINA, nem a farinha por farinha integral, nem o açúcar refinado por açucar mascavo etc, a não ser que você curta viver perigosamente.
  • NUNCA USE ASSADEIRAS DE TEFLON, PRETAS OU DE SILICONE: o material absorve calor em excesso e superaquece, e seus biscoitos ficarão assados demais embaixo e crus em cima. Prefira as de alumínio forradas com papel manteiga.
  • OBSERVE A TEMPERATURA DO FORNO INDICADA NA RECEITA e também a posição das grades. Se não mencionarem esses detalhes no modo de fazer utilize o forno preaquecido a 180 graus celsius e a grade posicionada no meio do forno.
  • NÃO SE DISTRAIA! Cookies e biscoitos assam bem rápido e não dá tempo de estender aquela roupinha no varal, fique ligadinha.
  • ALGUNS BISCOITOS SAEM AINDA MACIOS DO FORNO e ficam crocantes conforme esfriam. Não deixe assar demais para não perder em sabor e textura.

E uma última dica: utilize receitas de procedência confiável, testadas e aprovadas, sejam de livros, revistas, blogs ou daquela sua tia que cozinha super bem. Cuidado principalmente com aquelas revistinhas baratas de receitas de banca de jornal – elas não são testadas, os pratos apresentados nas fotos não são os mesmos das receitas e você só vai jogar ingredientes fora. Puro prejú.

Cookies de Manteiga de Amendoim (rende 40 unidades)

Esses cookies são DELICIOSOS – delicados, desmancham na boca, lembram uma paçoquinha em forma de biscoito.

  • 3/4 xícara (170g) manteiga sem sal, em temperatura ambiente
  • 1/2 xícara de açúcar mascavo (medir apertando na xícara)
  • 1/2 xícara de açúcar refinado
  • 1 ovo grande
  • 3/4 xícara de manteiga de amendoim (preferivelmente importada, usei da marca Peter Pan)
  • 2 xícaras de farinha de trigo
  • 1/2 colher de chá de bicarbonato de sódio

Numa tigela, peneire a farinha de trigo e o bicarbonato e reserve.

Na batedeira, bata em velocidade alta a manteiga com os dois tipos de açúcar até ficar cremoso e claro, mais ou menos uns 3 minutos. Junte o ovo e bata por mais um minuto. Adicione a manteiga de amendoim e bata novamente, até ficar um creme homogêneo. Junte a mistura de farinha de trigo e bicarbonato aos poucos e bata em velocidade mínima somente até misturar completamente a farinha. Cubra com filme plástico e leve à geladeira por 1 hora, ou até firmar.

Aqueça o forno a 180 graus e forre duas assadeiras de alumínio com papel manteiga.

Faça bolinhas de mais ou menos 3cm de diâmetro e distribua na assadeira, deixando uns 4 dedos de espaço entre elas.

Com um garfo passado em açúcar amasse as bolinhas, fazendo desenhos cruzados.

Leve ao forno por mais ou menos 12 a 15 minutos, ou até as bordas dos cookies dourarem ligeiramente. Deixe esfriar sobre uma grade.

peanut cookies

O Caso do Chaveiro Revoltado – Cookies de florzinha com creme de avelãs

To tentando há algumas semanas atualizar esse bloguinho, mas a vida, essa zombeteira, anda me pregando peças, e o meu cronograma milimetricamente calculado acaba indo pro espaço mais vezes do que eu gostaria. O caos, o caos.

Essa vida adulta #classemédiasofre é mesmo uma caixinha de surpresas: microondas quebra, faxineira falta, filha tem febre, pneu fura, tipo banco imobiliário, quando você acha que vai comprar a Avenida Atlantica  e vem a cartinha do revés e te manda voltar 3 casas pra trás.

Mas o cúmulo da azarice me ocorreu há alguns dias. Explico: me mudei pra um apartamento véio, porém de cozinha grande, cuja maçaneta da porta de entrada não gira pelo lado de fora. Ou seja, bateu a porta sem a chave, já era. E lógico que chegou o dia em que me tranquei pra fora de casa, num ensolarado domingo à tarde, apenas munida de meu celular.

Liguei para o primeiro site de chaveiro 24horas que encontrei, e o moço diz que me custaria R$150,00 para vir abrir minha porta. Nesse momento rapidamente me despedi com um “ok, muito obrigada então, tchau” e apressadamente desliguei o telefone para procurar outro chaveiro. Segundos depois, o mesmo rapaz retorna a ligação, muito, mas muito, mas muito bravo mesmo: “a senhora é muto mal-educada, não deixa nem a gente terminar de falar, eu ia dizer que para fechadura SIMPRES é 100 reais.”
No que eu respondo então que 100,00 não estava bom pra mim mesmo assim, muito obrigada novamente, fica pra uma próxima, etc, muito boa tarde e tchau.

Recebo então o seguinte SMS: GROSSA MAL EDUCADA IDIOTA.

Sim, era o chaveiro revoltado. De todo os chaveiros de São Paulo, fui parar justo no que tem problemas de gerenciamento de raiva. Então, além de estar trancada pra fora de casa ao invés de estar dormindo no meu sofá, sou xingada de IDIOTA. Aqueles momentos da vida em que você procura a câmera escondida, porque só pode ser pegadinha do Mallandro.

Enfim, toda essa prosaica história foi contada para que eu pudesse oferecer essas lindas flores (de biscoito) para o Nei, o simpático chaveiro que veio me salvar e cobrou a módica e justa quantia de cinquenta Dilmas – e se você um dia ficar trancado pra fora de casa em Higienópolis, Perdizes, Barra Funda e região, recomendo viu? Segue o link do Nei.

Cookies de florzinha com creme de avelãs

A receita é bem simplezinha, e as fotos estão meia boca, mas ficaram gostosos e fofos esses biscoitinhos – dá pra usar qualquer massinha de torta que você já esteja acostumado a fazer e o recheio também vai da escolha do freguês. Sugestões: geléia de frutas, brigadeiro, doce de leite, creme de confeiteiro, ganache, caramelo… o que a sua gula mandar.

Para a massa:

  •  1 receita de massa de biscoitos amanteigados (a sugestão é essa ou essa)

Para o recheio

  • 1 pote grande de creme de avelãs (usei Nutella)

Material:

  •  Forma para mini cupcakes
  • Cortador de flor de aproximadamente 8cm

Prepare a massa.

Aqueça o forno a 180 graus.

Numa superfície polvilhada com farinha de trigo, abra a massa com um pouco menos de 0,5cm de espessura.

Corte as flores e coloque cada uma numa cavidade da forma para minicupcakes, com cuidado, pressionando o meio para encaixar bem, deixando sempre uma vazia entre uma e outra. Abaixe as pétalas delicadamente, assim ó:

Fure o fundo de cada uma com um garfo, para não inchar.

Leve ao forno por mais ou menos 15 minutos, ou até dourarem levemente. Deixe amornar e tire as florzinhas com cuidado da forma. Deixe esfriar completamente para rechear.

Para colocar o recheio usei um bico de confeitar pitanga médio. O rendimento é de mais ou menos 20 florzinhas.

Não deu tempo de comprar presente?

Tá na mão!

Receitinhas pra não chegar de mãos vazias na festa de Natal, pra todos os gostos:

1. Caramelos de Baunilha e Flor de Sal – receita de média dificuldade, precisa de termômetro para caldas.

2. Shortbread de Castanha do Pará – fácil e a castanha pode ser substituida por nozes, amêndoas, etc.

3. Cocadinhas de Amêndoas e Chocolate – super fácil e sem gluten.

4. Biscoitos Spritz Amanteigados – uma delícia, derretem na boca. Trabalhosos.

5. Biscoitinhos de Laranja – Trabalhosos, mas uma das minhas receitas favoritas de biscoitos.

6. Blondies – Média dificuldade, mas só porque tem que picar as nozes e o chocolate, no mais é super tranquilo.

7. Palmiers de Canela – Se for fazer com massa folhada comprada pronta é facílimo!

8. Fudge de chocolate com pistache – essa é boa de fazer com as crianças, já que não vai ao fogo.

9. Brigadeiro de Pistache da Nena – É brigadeiro. É pistache. Sem mais.

Agora é só caprichar na embalagem e Feliz Natal!

Pelas barbas do Papai Noel – Biscoitos de Vitral

Ho Ho Ho, o Natal chegou! Pelo menos chegou nas filas dos shoppings, nas festas de firma, no trânsito insano e na quantidade absurda de comerciais de brinquedos que invade a TV.

E como estou ficando véia mesmo, não pude deixar de fazer uma reflexão de como o natal da minha infância é diferente do natal de hoje.

Primeiro que a gente esperava o ano todo pra ganhar aquele presentão bom do Papai Noel, e o presente bom era um só, visto que dos parentes a gente ganhava mesmo era um bom feliz natal, um pijama e uma nota de dérreal da vó.

Minha filha já ganhou tantos brinquedos esse ano que, não tendo mais o que desejar, pediu uma bola de praia. Isso mesmo, uma bola de praia. E a gente nem tem casa na praia, não tem piscina no prédio, enfim, total falta do que pedir.

Segundo: quando eu era criança, o Papai Noel era uma entidade que não era vista por ninguém, ele só vinha deixar os presentes depois que a gente ia dormir e lá estavam eles debaixo da árvore no dia seguinte. Chegaram a inventar uma moda de fantasiar um tio com uma barba descabelada depois da ceia, mas tava na cara que era fake, gente, nem criancinha acreditava.

Hoje em dia é assim: as crianças são íntimas do Papai Noel, já que a cada vez que vão ao shopping ele está lá pronto para bater um papo amigo, e com uma barba de alto nível, totalmente verdadeira. Minha filha já conversou com o Papai Noel pessoalmente umas dez vezes esse ano, totalmente BFF.

Mas ela está curtindo tudo o que envolve as festas, e quando criança curte a gente curte também, né? Então decoramos nossa linda árvore comprada no supermercado lotado por 19,99 com enfeites antigos, alguns novos, coisas que não são enfeites (ela colocou lá no meio uma carta de baralho, um seis de copas, e disse que era uma carta de amor, hahaha) e  esses biscoitinhos que fizemos numa tarde preguiçosa.

Biscoitos de Vitral

Para a massa, usei uma receita de gingerbread que publiquei aqui no ano passado (a receita da massa está nesse link).

Para fazer os biscoitinhos, você vai precisar de:

  • 1 receita da massa de gingerbread
  • balas duras ou pirulitos coloridos (tem que ser bala dura tipo Halls, ou pirulitos que não tenham recheios de chiclete)
  • 1 tapete de silicone (silpat) ou teflon
  • cortadores de biscoitos de vários tamanhos

Preaqueça o forno a 180 graus. Forre uma assadeira com o tapete de silicone e reserve.

Coloque as balas num saco de plástico grosso, embrulhe num pano e triture com um martelo de bife até pulverizar.

Numa superfície de trabalho polvilhada com farinha de trigo, corte os formatos maiores dos biscoitos. Coloque-os na assadeira preparada deixando um espaço de um dedo entre eles. Com os cortadores menores, faça a parte “vazada”, onde vai se formar o vitral.Se quiser, faça também um furinho com um canudo para passar uma fita e pendurar na árvore.

Leve ao forno por 5 minutos.

Coloque nos vazados dos biscoitos uma boa porção do farelinho das balas – pode ficar alto, porque quando derreter fica uma camada fininha de bala, assim ó:

Leve ao forno para terminar de assar por mais 10 minutos, ou até a bala derreter totalmente.

Retire do forno e aguarde 10 minutos antes de tirar da assadeira. Deixe esfriar e utilize.

Obs.: A parte da bala não dura muitos dias – uma hora ela acaba melando, mas as crianças parecem não se importar e vão comendo mesmo assim :)

Minha lente quebrada e os World Peace Cookies

Desculpa aí gente – eu queria era estar postando lindas sugestões para o natal, com pinheirinhos, laços dourados e papais noéis, mas aconteceu uma coisa muito triste: a lente da minha câmera quebrou. Simplesmente se despedaçou ao meio.

E ninguém, ninguém mesmo, acredita em mim que o negócio quebrou sozinho. Talvez seja porque o cara da autorizada tenha reparado que tinha um pouco de farinha no corpo da câmera. E eu comentei que uso o equipamento para fotografar comida. Enfim, o pessoal da loja de fotografia me olhou muito estranho e tenho certeza que perdi o respeito deles para sempre.

(Posso imaginar a cara que fariam para a minha amiga Alessandra, que teve a surpresa de descobrir que uma família de MINIARANHAS  estava morando na sua câmera)

Anyway, as fotos desses biscoitinhos estavam guardadas para uma época menos festiva do ano, mas não vejo porque eles não possam fazer parte do cafezinho pós almoço de natal, ou até mesmo servir como um belo presente, embalados numa caixinha ou lata caprichada – são meus biscoitos de chocolate favoritos, afinal de contas. Se quiser dar uma incrementada ainda maior, banhe os cookies em chocolate que você vai ver o que é felicidade na vida.

Pode dar uma googlada no nome dos danados que vocês vão ver como são bem famosos, porque além do sabor intenso de chocolate e da textura amanteigada, eles levam um pouco de flor de sal na massa – parece esquisito, mas são de chorar de bons, especialmente se os ingredientes forem de ótima qualidade.

World Peace Cookies (do livro Baking, From my Home to Yours) – rende mais ou menos 36 cookies

  • 1 1/4 xícara de farinha de trigo
  • 1/3 xícara de cacau em pó
  • 1/2 colher (chá) de bicarbonato de sódio
  • 140g de manteiga em temperatura ambiente
  • 2/3 xícara bem apertados de açúcar mascavo claro
  • 1/4 xícara de açúcar
  • 1/2 colher (chá) de flor de sal (ou 1/4 de colher de chá de sal comum)
  • 1 colher (chá) de extrato de baunilha
  • 3/4 xícara de chocolate meio amargo em gotas ou em pedacinhos

Numa tigela, peneire a farinha, o cacau e o bicarbonato juntos. Reserve.

Na batedeira, bata a manteiga por 2 minutos em velocidade média até que ela fique cremosa. Junte o açúcar mascavo e o açúcar, o sal e a baunilha e bata até ficar clarinho e fofo.

Junte a mistura de farinha de uma vez e misture em velocidade baixa, somente até não haver mais vestígios de farinha. Não bata demais pra não trabalhar a massa em excesso.

Junte os pedaços de chocolate e misture para distribuir na massa.

Numa superfície de trabalho, divida a massa em duas partes e forme um rolinho com cada uma (de mais ou menos 4cm de diâmetro). Embrulhe cada um em plástico filme como se fossem salames e  leve à geladeira por 3 horas (pode ficar 2 dias na geladeira ou congelar).

Forre duas assadeiras com papel manteiga e preaqueça o forno a 160ºC-170°C.
Com uma faquinha afiada, corte rodelas da massa de mais ou menos 1cm de espessura, bem gordinhas. Se eles despedaçarem, dê uma apertadinha na massa para juntar de novo.

Asse por 12 minutos – eles não irão parecer prontos, e se apertados com a ponta do dedo estarão ainda macios, mas é assim mesmo. Deixe esfriar por 5 minutos na assadeira e transfira para uma grade para esfriarem completamente.

Como fazer um salame (de chocolate)

Adoro sobremesas do tipo “parece mas não é”, acho pura diversão. Dá pra ver aqui e aqui, que eu gosto de brincar com a minha comida, né? (até dei uma entrevista para a Revista Festa Viva sobre o assunto – veja aqui)

Eu estava para fazer salame de chocolate já há algum tempo, mas o meu maior problema é que eu não curto muito o sabor dos biscoitos industrializados, tipo maizena, maria, etc.

Sei lá porque, também nunca tinha pensado em usar biscoitos caseiros – o cérebro não tinha feito a sinapse, já que eu tenho sobras de biscoitos aqui todas as semanas, principalmente rebarbas de massa de amanteigados, os que eu uso para os biscoitinhos decorados. Acho que deve ficar delicioso com outros tipos de massa também, já pensou um salame de chocolate com pedaços de cookies, ou de gingerbread?

Fui procurar uma receita mais tradicional, já que o salame de chocolate é uma sobremesa bem típica da Itália, e eu não queria usar leite condensado. Como não consegui me decidir, fiz um mix de duas receitas que achei bacanas, do site Panelinha e do blog La Mia Vita Dolce – o resultado foi ótimo e, como rendeu bastante, vários amigos acabaram ganhando um salame de presente.

Como a receita não vai ao fogo, é um doce ótimo para fazer com as crianças, diversão garantida para uma tarde chuvosa.

Salame de Chocolate (rende 4 unidades)

  • 226g de chocolate meio amargo ou amargo (quanto melhor o chocolate, mas gostoso fica o doce), picadinho
  • 150g de manteiga sem sal
  • 3/4 xícara de açúcar
  • 2 ovos
  • 1 colher de chá de extrato de baunilha (ou 1 colher de sopa de rum, se preferir)
  • 2 colheres de sopa de chocolate em pó
  • 300g de biscoitos quebrados (usei esta receita aqui, mas pode usar comprado se preferir)
  • 1 xícara de nozes ou amêndoas picadas (usei castanha do pará)

No microondas ou em banho-maria, derreta o chocolate com a manteiga e mexa bem para homogeneizar. Reserve para amornar.

Na batedeira, bata os ovos com o açúcar até ficar bem clarinho e dobrar de volume. Junte a baunilha (ou o rum) e bata mais um pouco.

Misture o chocolate em pó ao chocolate derretido. Junte a mistura de chocolate aos ovos batidos e misture bem.

Junte os biscoitos picados, com migalhas e tudo, e as castanhas. Misture bem. A mistura vai estar ainda cremosa.

Abra um plástico filme ou papel alumínio sobre uma superfície de trabalho e, às colheradas, faça uma forma comprida com a massa. Enrole o plástico ao redor da massa e torça as pontas, apertando bem, para formar o salame. Repita até acabar a massa. Coloque os salames numa assadeira e leve à geladeira até o dia seguinte para firmar.

Sirva gelado, em fatias.

Goodbye Yellow Brick Road – biscoitos de fubá e limão siciliano

Não se fala em outra coisa – é só entrar no twitter que o assunto é Rock in Rio. Sô véia (mas nem tanto) então me lembro de algumas coisas da primeira e da segunda edições do festival – tipos Nina Hagen aquela doida e Queen em 1985 e Lobão tomando garrafadas em 1991. Não exijam muito da minha memória, ok?

Daí que nessa edição o portal IG me convidou pra soltar a imaginação e inventar receitas de biscoitos inspiradas nas atrações do festival – vejam a reportagem aqui.

Como disse anteriormente, gente, TÔ VÉIA, e no meio de todas essas bandas de gente xóvem, a doceira se inspirou em quem né? Nos artistas véios também. E o caso é que uma das minhas músicas preferidas de todos os tempos é “Goodbye Yellow Brick Road”, do Sir Elton John. Agora é o momento onde vocês dão uma ouvida na música pra sentir do que eu estou falando. Sério, para tudo e ouve que é boa:

Aí quando a gente pensa que está sozinha no mundo curtindo um Elton John, minha amiga Marília da The Cake in on the Table se empolgou tanto na idéia que resolveu ilustrar a receita. A ilustração ficou tão linda e divertida que virou poster, e já está na minha parede. Se vocês quiserem um pra vocês, é só encomendar na loja das meninas, tá?

Fora a brincadeira toda que foi divertida por demais, os biscoitinhos ficaram deliciosos (modéstia é para os fracos) – tenros, de derreter na boca, com um sabor suave do limão siciliano e a textura do fubá, que eu adoro. Vale a pena fazer, e hoje a receita segue ilustrada :

Ilustração por Marília Simões, todos os direitos reservados

Poster 210x420mm, papel couchè, tiragem limitada (R$ 30,00), à venda na The Cake is on the Table , tel: (11) 2371-1640

Projeto SalvaCão – ossinhos de suspiro

Eu nunca tive um cachorrinho, mas na minha casa sempre teve espaço pros gatinhos. Minha mãe era apaixonada por animais, especialmente gatos, então vira e mexe a gente acabava com um vira-latinha em casa.

Aprendi com ela que bicho não se compra, se adota.

Admiro demais as pessoas que se mobilizam pra recolher um animal que está na rua e viram suas vidas de cabeça pra baixo pra arrumar um lar, donos bacanas e um ambiente saudável pros peludos. Uma dessas pessoas é a veterinária da minha gata, a Dra. Janaína.

Na minha última visita ao seu consultório, reparei na presença simpática da Doralice, uma doce cadelinha, bem magrinha, que se movimentava numa “cadeira de rodas” e usava fraldas de bebê. A Dra. me contou que a Doralice tinha sido abandonada por seus donos, doente, e seria sacrificada no Centro de Controle de Zoonozes, se não fosse pela boa vontade e rapidez dela e das outras meninas do Projeto SalvaCão.

Mas o que é esse projeto?

Nas palavras delas:

Nós (Lele, Dave, dra. Janaína – e Dri e Fernanda, do Segunda Chance) nos juntamos e agora temos este projeto, que ajuda a recolher das ruas, cuidar e divulgar para adoção os cachorros abandonados/machucados.(…) O objetivo é poder sempre resgatar e manter 2 ou 3 cachorros de rua em tratamento, continuamente. Sendo adotados, pegamos outros na rua, tratamos, mandamos para adoção, e assim por diante.

Todos juntos somos fortes.

Taí gente: nem todo mundo pode ir lá, pegar o bichinho, levar pra casa e arrumar um lar, mas todo mundo pode ajudar essa galera a continuar esse trabalho bem bacana. É só entrar neste link e colaborar com a vakinha do projeto, com qualquer quantia. Vai lá, que eu espero aqui com a receita dos suspirinhos na volta, tá? :)

 

Ossinhos de Suspiro – (rende 30 ossinhos)

Nunca tinha conseguido fazer suspiros assim crocantes, branquinhos e sem rachaduras – então fui pedir ajuda pras universitárias doceiras no Facebook. Azamigas Alessandra e Cris deram a dica: forno bem baixinho e porta meio aberta, para secar o merengue sem dourar. Deu certinho, viu queridas?

A idéia de fazer os ossinhos com suspiro veio de uma foto que vi numa revista no Halloween do ano passado – fica aí a dica também para festas mais aterrorizantes.

Ingredientes:

  • 4 claras
  • 250g de açúcar refinado
  • essência de baunilha ou raspinhas de limão a gosto

Forre duas assadeiras grandes com papel manteiga ou tapetinhos de silicone (silpat) e reserve.

Prepare um saco de confeitar com um bico perlê grande, com abertura de 1 a 1,5cm, e apóie dentro de um copo alto.

Bata na batedeira as claras em neve, até obter picos firmes. Acrescente o açúcar aos pouquinhos, sem parar de bater, até ficar bem firme e brilhante. Junte a baunilha ou as raspinhas de limão e misture bem. Passe a massa do suspiro para o saco de confeitar e faça os ossinhos (ou pingue bolinhas) nas assadeiras preparadas.

Coloque as assadeiras no forno e ligue na temperatura mínima (deixei o meu a 100°C), e coloque uma colher de pau na porta para que ela fique entreaberta. Deixe secar por 1h30 a duas horas, checando de vez em quando para ver se não está dourando.

Desligue o forno e deixe os suspiros esfriarem lá dentro completamente. Guarde em pote com tampa por até 3 dias.

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 765 outros seguidores

%d blogueiros gostam disto: