Pipoca doce caramelada (sem pipoqueira)

IMG_3989

 

Outro dia fui comprar um saquinho de pipoca na porta da escola da filha e, já com o saquinho na mão, perguntei quanto era, caçando as moedinhas dentro da bolsa. A resposta: CINCO REAIS SINHÓRA.

Oi? Cinco reais por um saquinho de pipoca murcha? Os pipoqueiros agora passam cartão de crédito? A pipoca é “gourmet”?

Ontem mesmo fui almoçar com uma amiga numa ~boulangerie~ chic na Vila Madalena. Pedi um crepe com salada de rúcula, nada baratinho. Quando o prato chegou, SURPRESA! O crepe meio borrachento e a salada de rúcula era uma mini cumbuquinha com cerca de 8 folhas pequenas e umas raspinhas de queijo. Cerca não, eram 8 mesmo, porque eu contei.

Olha gente, não sei se eu tô ficando velha, se é a copa do mundo ou se é o fim dos tempos mas se vão me enfiar a faca pra comer alguma coisa (nada contra) tem que ser uma delícia maravilhosa acompanhada de uma salada com uma quantidade de folhas que eu não consiga contar a olho nu.

Por isso que eu tô preferindo fazer as coisas em casa mesmo que ganho mais. E pra você também nunca mais depender do pipoqueiro ladrão, vai aí minha receita de pipoca doce – se quiser botar aquele corantinho vermelho pra ficar mais realista vai fundo.

Pipoca Doce Caramelada (sem pipoqueira)

Essa pipoca não tem muita receita, e eu faço meio de olho mesmo igual minha mãe me ensinou. Pra facilitar medi tudo da última vez que fiz pra poder publicar aqui. Se quiser pode colocar uma colherona cheia de achocolatado junto com o açúcar para ficar com o sabor trash da infância.

  • 4 colheres de sopa de óleo
  • 1 xícara de café de milho de pipoca
  • 1/2 xícara de açúcar (pode ser refinado, cristal ou demerara)
  • 1 pitada gorda de sal

Numa panela antiaderente bem grandona coloque o óleo e o milho. Tampe e estoure a pipoca normalmente em fogo médio.

Quando a pipoca tiver estourado completamente coloque o açúcar e o sal – se a panela estiver muito cheia tire um pouco da pipoca antes. Quando o açúcar começar a derreter abaixe o fogo e misture com uma colher de pau para envolver as pipocas no caramelo.  Essa parte é rápida e não pode bobear, se o caramelo ficar muito escuro a pipoca fica amarga – preste atenção, porque o açúcar continua cozinhando um tempo depois que a gente desliga o fogo.

Coloque a pipoca numa assadeira grande ou numa tigela resistente ao calor e termine de espalhar o caramelo com uma espátula ou colher de pau – CUIDADO PARA NÃO SE QUEIMAR, caramelo é um perigo.

Deixe esfriar, sirva e dê uma banana pro pipoqueiro.IMG_3975

 

Bolovo de Páscoa – aniversário de 5 anos do The Cookie Shop

bolovo web

Não sou muito ligada em datas comemorativas, mas quando entrei no wordpress hoje para postar esta receita recebi uma mensagem: PARABÉNS, HOJE SEU BLOG FAZ CINCO ANOS!

Gente, mas já? Fiquei toda nostálgica.

Como tanta, mas tanta coisa pode mudar em cinco anos?

Tudo começou quando fui demitida de um emprego de muitos anos como produtora de tv, minha filha ainda bebê, e esse blog me salvou. Foi aqui que eu descobri uma nova profissão, conheci amigos que viraram família, aprendi a viver de outro jeito. Escolhi essa vida deliciosa (e às vezes penosa) de viver do que se produz com as próprias mãos.

Esse espaço me trouxe conhecimento, troca de idéias, amizade, companhia nas horas de trabalho solitário. Então, depois de tanta coisa boa, tantos momentos felizes, tantos quilos ganhos (e perdidos), a única coisa que posso dizer nesse aniversário de blog é MUITO OBRIGADA GENTE. Espero estar devolvendo um pouco pro mundo tudo o que aprendi por aí com essa gente bacana produzindo conteúdo interessante na rede, vocês são demais.

E apesar desse bolo ter sido feito para comemorar a Páscoa e não o blogversário, fiquei feliz de ter caprichado no post de hoje, assim a gente já mata dois coelhinhos com uma cajadada só (pegaram a piadinha? Coelhinho, Páscoa, hein, hein?)

 

Bolovo de Páscoa de pão de mel com doce de leite e cobertura de chocolate

A massa desse bolo vem do blog da querida Patricia Scarpin (Technicolor Kitchen), que foi um dos blogs que me inspiraram a começar o meu. Hoje fico super feliz de a ter conhecido pessoalmente e até provado a comida dela! Mesmo se não forem fazer o bolo de páscoa, façam o pão de mel, que é uma delícia!

Massa:

  • 4 ovos
  • 220g de açúcar
  • 150ml de óleo
  • 150ml de água
  • 150ml de mel ou glucose de milho – a última, mais econômica $$
  • 360g de farinha de trigo
  • 50g de chocolate em pó
  • 1 colher (chá) de canela em pó
  • ¼ colher (chá) de noz moscada
  • ¼ colher (chá) de gengibre em pó
  • ¼ colher (sopa) de bicarbonato
  • ½ colher (sopa) de fermento em pó
  • 1 pitada de sal

Recheio

  • 1 lata de leite condensado cozido na pressão por 30 minutos

Cobertura

  • 100g de chocolate ao leite picadinho
  • 100g de chocolate meio amargo picadinho
  • 100g de creme de leite UHT

Prepare a massa:
Aqueça o forno a 180 graus. Unte e polvilhe farinha de trigo em duas formas de 25cm de diâmetro, ou uma assadeira retangular grandona.O bolo não deve ficar alto para facilitar a montagem das camadas, imagine assim uma altura de rocambole. Se ficar muito alto, divida a massa depois em camadas menores com uma faca de serra grande.

Misture os ingredientes secos peneirados e reserve. Dilua o mel com a água e o óleo.
Bata os ovos com o açúcar até dobrar de tamanho. Vá juntando à mistura os ingredientes secos intercalando com os líquidos e bata em velocidade alta.

Passe a massa para as formas preparadas e asse por mais ou menos 30 minutos, ou até passar no teste do palito. Deixe esfriar para utilizar.

 

Prepare a cobertura:

Derreta no microondas os dois chocolates juntos em intervalos de 20 segundos, mexendo bem. Misture o creme de leite até ficar homogêneo e deixe repousar até firmar o suficiente para ficar espalhável. Se endurecer demais, coloque co microondas por 10 segundos e misture bem.

 

Montagem:

  • Forma de 20cm
  • Molde para ovo de Páscoa grande (1kg)
  • Plástico filme
  • isopor fino

 

Encaixe o molde na forma de 20cm para que ele não fique virando na montagem e forre com plástico filme:

molde

Forre o molde com uma camada de bolo e apare as rebarbas – se quebrar não tem problemas, só deixe os pedaços o mais juntos possível. Espalhe doce de leite por toda a superfície do bolo:

montagem 1

Intercale camadas de doce de leite e bolo. Feche com uma camada de bolo do tamanho do molde:

montagem 2

Se tiver dificuldade de cortar essa tampa no olhometro, faça um guia de isopor fino – marque com uma faca ou caneta usando o molde do ovo e depois recorte usando a marca que ficou. Use esse guia para cortar a tampa que fecha o bolo:

placa isopor

Aperte bem o bolo para dar uma leve prensada. Embale com as pontas do plástico filme e leve a geladeira por umas 3 horas. Desenforme sobre o prato de servir e retire o plastico com cuidado, vai ficar assim:

bolo sem cobertura

Cubra com a cobertura de chocolate usando uma espátula. Alise bem com uma espátula e, se quiser, faça um arremate usando bico de confeitar do tipo pitanga pequeno junto ao tabuleiro. No meu bolo eu dei uma decorada usando círculos de pasta americana e colando direto sobre a cobertura.

Feliz Páscoa!

Eu, a menina e o rato – The Cookie Shop vai à Disney (Parte 1)

castelo cinderellaNunca tive muita vontade de ir pra Disney. A vontade começou quando a Cookinha cresceu um pouco e pensei, poxa, taí uma viagem que a gente podia fazer. E aí a gente foi, voltou, e um monte de gente se admira: “Nossa, mas você foi sozinha? Como foi? Onde vocês ficaram? Mas você alugou carro?” E de tanta gente perguntar tanta coisa, achei que seria mais fácil contar como foi tudo aqui no blog.

Comecei a dar uma pesquisada pra ver se perdia o medo de viajar pra longe sozinha com uma criança de 6 anos – minha amiga Debora tinha acabado de voltar de lá (também foi só com a filha de 7 anos) me deu as dicas iniciais, me contou que foi super tranquilo e que não existe lugar melhor no mundo pra se levar uma criança. Respirei fundo e parti para a ação.

Quando as pessoas falam da Disney, normalmente elas estão se referindo ao Disney World Resort, que fica em Orlando, na Florida. Os primeiros passos então foram decidir quantos dias ficaríamos (optamos por 10 noites) providenciar passaportes e vistos e comprar as passagens de avião. Resolvemos depois a hospedagem, ingressos para os parques e locação de carro.

  • O Vôo

Optamos por um vôo diurno, direto para Orlando, da TAM, que era mais caro mas quis evitar esperas em aeroportos com a criança que nunca tinha viajado de avião. Da próxima vez acho que já dá pra encarar um com escala, que sai bem mais barato.

Para viajar com criança com apenas um dos pais, é preciso uma autorização do genitor que não vai (você encontra modelo aqui). Não esqueça de levar também o RG original ou certidão de nascimento do seu filho, porque o passaporte brasileiro não apresenta a filiação, então você tem que provar que você é você e seu filho é seu filho na Polícia Federal, na hora do embarque. :P

A viagem foi tranquila, mas levamos bastante entretenimento: ipad, desenhos para colorir, brinquedos e lanchinhos. Os filmes de bordo também resolveram bem quando o tédio bateu.

Único perrengue de estar sem mais um adulto: na chegada em Orlando não se pode sair do terminal com carrinhos para levar as malas. Ou seja, tive que ATRAVESSAR O AEROPORTO puxando duas malas enormes, duas mochilas e uma bolsa. E a Cookinha pela mão. Desejei muito ser o Ronaldo Fenômeno e viajar apenas com a roupa do corpo.

  • A hospedagem

Seguindo a dica da Debora, optamos por ficar num hotel dentro do complexo Disney. Além de já acordar no mundo maravilhoso do rato, os hotéis contam com um sistema de transporte próprio – além de ter um ônibus para fazer o transfer do aeroporto até o hotel na ida e na volta eles também oferecem transporte para os parques e Downtown Disney. Foi um conforto chegar em Orlando e não ter que me preocupar com locação de carro, GPS, se eu ia conseguir chegar no hotel sem me perder pra sempre, etc. Só desembarcar , entrar no busão e já ir assistindo uns desenhinhos do Mickey pra entrar no clima.

Ficamos no Art of Animation Resort, quarto da Pequena Sereia, pense numa emoção. Esse hotel está na categoria “value”, que são os mais baratos do complexo.

Ariel's "Part of Your World" at Disney's Art of Animation Resortcarros piscina nemo

O hotel era lindo, e como foi inaugurado em 2012, tudo reluzente de novo. Além da parte da pequena Sereia, que são os quartos standard (com duas camas de casal e uma mini geladeira), o hotel conta com as alas do Carros, Rei Leão e Nemo, com quartos maiores para até 6 pessoas, com micro-ondas e mini cozinha. As piscinas são incríveis – a da ala do Nemo é a maior delas e dá pra ouvir as vozes dos personagens debaixo água quando a gente mergulha.

O café da manhã não está incluído na diária – há várias opções de refeições e pratos rápidos no restaurante (Landscape of Flavors). Mais sobre isso numa próxima postagem.

Compramos o pacote hotel + ingressos dos parques direto no site da Disney. Não foi possível fazer nenhum tipo de parcelamento dessa maneira, então quem quiser “pagar em veiz” melhor comprar com um agente de viagens da sua confiança.

Deu pra fazer o check in online, o que já agiliza bastante na chegada lá. Eles já deixam seu “pacote” com tudo separadinho: as pulseiras (magic bands) que servem de ingresso pros parques, abrem a porta do quarto e servem também para fazer compras nos parques e pagar a conta nos restaurantes (eles cadastram seu cartão de crédito e depois você paga tudo de uma vez no check out), folhetos de descontos nos restaurantes e atrações e o cronograma de atividades do hotel.

Quem fica nos hotéis da Disney também pode reservar com antecedência algumas atrações dos parques (Fast Pass) através de um aplicativo para smart phones chamado My Disney Experience. Dá pra fazer isso também pelo site.

  • Locação do Carro e Seguro Viagem

Como não queria ficar dependendo exclusivamente do transporte da Disney, já que iria também a outros parques, passeios e comprinhas, decidi alugar um carro, mesmo morrendo de medo de dirigir num lugar estranho. Fora que nunca tinha dirigido um carro automático antes.

Quem fechou essa parte pra mim foi a Larissa, agente de viagens da Unique Turismo – ela encontrou a opção mais econômica para o carro e também para o seguro de viagem (vai que alguém fica doente lá, né? Não dá pra ir sem.) e deu pra dividir no cartão. A locadora foi a Álamo, que tem uma loja dentro do complexo.

Optei por não alugar o GPS, que saía bem mais caro. Usei um aplicativo de GPS para o iPhone e o Google Maps, e foi tranquilíssimo, já que tinha wifi em quase todo lugar. Em relação ao carro ser automático, não vou mentir pra vocês não, rolaram umas barbeiragens no começo *risos*. O trânsito em Orlando é muito calmo, tudo é muito bem sinalizado, as pessoas são educadíssimas e gentis e o mais difícil mesmo foi dirigir em São Paulo de novo na volta.

No dia de ir embora foi só devolver o carro em um dos hotéis da Disney e pegar um busão de volta pro meu hotel.

  • Links úteis para quem está pensando em conhecer o Mickey:

Walt Disney World: compra de pacotes de hotéis e ingressos, reservas de restaurantes e informações gerais sobre os parques e Complexo Disney.

Dicas da Fer – Dirigindo em Orlando:  Post super completo sobre como se comportar no trânsito da Florida, com dicas de legislação, multas, pedágios, etc. Inclui vídeos.

Andreza Dica e Indica: TUDO sobre viagens para a Disney, desde como arrumar a mala até o que levar para os parques.

Viaje na Viagem: Muitas postagens sobre os parques e dicas gerais sobre Orlando.

Wazari Blog: Dicas ótimas para aproveitar melhor sua viagem com as crianças.

No próximo capítulo, o que realmente importa: COMIDA!

All Images Copyright Root Photography www.rootphotography.net

Fotos: The Cookie Shop e Disney Enterprises, Inc.

Livro: Um Domingo na Cozinha, de Lycia Katan e Daniel Kondo + pão de queijo de liquidificador

pão de queijo de liquidificadorFérias escolares são aquele período dureza do ano em que a gente tem que se virar pra entreter as crianças, principalmente se não rola de viajar. Numa tarde chuvosa acabamos entrando numa livraria de shopping, a filha escolheu um livro e sentamos para dar uma olhada.

Ilustrações lindas e história bacana: uma família bem ocupada e sem tempo para cozinhar compra um robô chamado S.A.N.D.R.O. (Super Auto New-Design Rare Overcooking machine), um robô mestre-cuca, e decidem testar o novo aparelho no dia das mães.

Só que os pratos preparados pelo S.A.N.D.R.O. saem lindos, porém sem sabor, incomíveis! Então a família decide ir junta pra cozinha e acabam produzindo receitas deliciosas e, de quebra, se divertem de montão.

um domingo na cozinhaLevamos o livro pra casa – todas as receitas que aparecem na história estão lá, bem explicadinhas no final de tudo. São todas bem fáceis e as crianças podem ajudar a fazer – a minha pequena achou o máximo e acabamos nós também passando um domingo gostoso na cozinha.

Uma delas é um pão de queijo de liquidificador que minha mãe também fazia quando eu era menina – a receita é bem parecida com a do nosso caderno, então acabei fazendo um mix das duas e ficaram uma delícia.

Livro Um Domingo na Cozinha, de Lycia Kattan e ilustrações de Daniel Kondo

Editora Companhia das Letrinhas

Preço: 39,50

Pão de Queijo de Liquidificador

  • 2 ovos
  • 1 xícara de leite
  • 1 xícara de óleo (canola ou girassol)
  • 1 xícara de parmesão ralado ou queijo meia cura cortado em pedacinhos (mais ou menos 150g)
  • sal a gosto (vai depender do queijo utilizado)
  • 2 xícaras de polvilho azedo

Unte com manteiga 40 forminhas de empada pequenas ou 25 das maiores (eu usei forminhas de mini cupcakes). Reserve.

Aqueça o forno a 200 graus.

No liquidificador bata os ovos, o leite, o óleo, o queijo e o sal. Junte o polvilho aos poucos e bata para misturar.

Encha as forminhas somente até a metade e leve ao forno por mais ou menos 25 minutos, ou ate crescer bem e dourar ligeiramente.

pão de queijo

Um Aniversário na Praia, na Cidade

E não mais que de repente chega, sem aviso, o mês de setembro, e com ele chega também o aniversário de 5 anos da filha. Parece que foi ontem aquela festinha de piquenique do ano passado, né?

Pedi pra menininha escolher o tema da festa, já esperando alguma coisa como princesas, fadas, bailarinas ou Barbie e ela, mais uma vez, surpreende a mamãe: “quero  uma festa de praia!”

AMEI DE PAIXÃO. Orgulho da filha que pede uma festa cheia de possibilidades e sem cair no lugar comum de personagens <3.

Então, mãos à obra! Com a ajuda do meu novo amigo Pinterest, montei um painel para inspirar e começamos a pensar juntas em tudo que teria na festa.

O post é longo e cheio de fotos (que foram feitas com amor pela fotógrafa Alessandra Luvisotto), então senta que lá vem história!

O bolo seria um castelo de areia, mas a mamãe estava meio sem tempo, então acabamos decidindo por um em forma de baldinho, com pá, conchinhas e areia de verdade – que era de mentira, feita com bolachas de leite batidas no processador. Fica igual, né? As conchinhas eram de chocolate, comprei na Ofner.

Os outros elementos da mesa de doces:

- A saia de “ula ula” é importada, minha amiga Ana trouxe pra mim dos Estados Unidos, mas acho que daria pra fazer uma tranquilo de papel kraft.

- As caixas onde estão os cupcakes são “bolos” de isopor, que encapei com papel colorplus e amarrei uma fita. Tem pra vender na Só Isopor;

- O painel atrás da mesa é um esteira de casal, comprei no Wal Mart por 15,00;

- Os baldinhos coloridos e a guirlanda de papel de seda pink foram compradas na Matsumoto;

- Cestinha e bananas de plástico cedidas gentilmente pela amiga Ana Franco.

Os cupcakes eram sabor churros (doce de leite com açúcar e canela) e os enfeitinhos de pasta americana foram feitos pela Maria Pia Bolos.

Em alguns deles coloquei guarda-chuvinhas para drink (também da Matsumoto), para ficar com cara de guarda-sol.

Os brigadeiros, que foram muito elogiados por todos, eram da Nena Chocolates – tinha de chocolate tradicional e de limão.

Também da Maria Pia Bolos eram os cake pops em forma de sorvete, na casquinha de biju – lindos demais, né?

Já cansaram? Pera que tem mais:

Alugamos um carrinho de sorvete, que foi um sucesso com a criançada (desculpem aí mães das crianças que tomaram mais de 5 sorvetes seguidos). E teve também uma “praia” para os convidados tirarem fotos, com cadeira, esteira, guarda-sol e “mar” de tecido azul.

Do lado de fora, a galera se esbaldava brincando muito com bolas de praia, bóias, piscininha (sem água, pq estava frio), colares havaianos e óculos escuros.

A aniversariante aí em cima curtiu demais!

Na parte salgada, teve queijo coalho, pastel e milho cozido, que todo mundo gostou bastante.

As lembrancinhas foram baldinhos de praia, comprados na Rua 25 de Março.

Toda a trabalheira, imprevistos e bagunça valeram a pena – a menininha ficou super feliz, falando da festa por dias e dias, cada hora lembrando de um detalhe. Agora aguardemos o que ela vai inventar para o ano que vem!

O Caso do Chaveiro Revoltado – Cookies de florzinha com creme de avelãs

To tentando há algumas semanas atualizar esse bloguinho, mas a vida, essa zombeteira, anda me pregando peças, e o meu cronograma milimetricamente calculado acaba indo pro espaço mais vezes do que eu gostaria. O caos, o caos.

Essa vida adulta #classemédiasofre é mesmo uma caixinha de surpresas: microondas quebra, faxineira falta, filha tem febre, pneu fura, tipo banco imobiliário, quando você acha que vai comprar a Avenida Atlantica  e vem a cartinha do revés e te manda voltar 3 casas pra trás.

Mas o cúmulo da azarice me ocorreu há alguns dias. Explico: me mudei pra um apartamento véio, porém de cozinha grande, cuja maçaneta da porta de entrada não gira pelo lado de fora. Ou seja, bateu a porta sem a chave, já era. E lógico que chegou o dia em que me tranquei pra fora de casa, num ensolarado domingo à tarde, apenas munida de meu celular.

Liguei para o primeiro site de chaveiro 24horas que encontrei, e o moço diz que me custaria R$150,00 para vir abrir minha porta. Nesse momento rapidamente me despedi com um “ok, muito obrigada então, tchau” e apressadamente desliguei o telefone para procurar outro chaveiro. Segundos depois, o mesmo rapaz retorna a ligação, muito, mas muito, mas muito bravo mesmo: “a senhora é muto mal-educada, não deixa nem a gente terminar de falar, eu ia dizer que para fechadura SIMPRES é 100 reais.”
No que eu respondo então que 100,00 não estava bom pra mim mesmo assim, muito obrigada novamente, fica pra uma próxima, etc, muito boa tarde e tchau.

Recebo então o seguinte SMS: GROSSA MAL EDUCADA IDIOTA.

Sim, era o chaveiro revoltado. De todo os chaveiros de São Paulo, fui parar justo no que tem problemas de gerenciamento de raiva. Então, além de estar trancada pra fora de casa ao invés de estar dormindo no meu sofá, sou xingada de IDIOTA. Aqueles momentos da vida em que você procura a câmera escondida, porque só pode ser pegadinha do Mallandro.

Enfim, toda essa prosaica história foi contada para que eu pudesse oferecer essas lindas flores (de biscoito) para o Nei, o simpático chaveiro que veio me salvar e cobrou a módica e justa quantia de cinquenta Dilmas – e se você um dia ficar trancado pra fora de casa em Higienópolis, Perdizes, Barra Funda e região, recomendo viu? Segue o link do Nei.

Cookies de florzinha com creme de avelãs

A receita é bem simplezinha, e as fotos estão meia boca, mas ficaram gostosos e fofos esses biscoitinhos – dá pra usar qualquer massinha de torta que você já esteja acostumado a fazer e o recheio também vai da escolha do freguês. Sugestões: geléia de frutas, brigadeiro, doce de leite, creme de confeiteiro, ganache, caramelo… o que a sua gula mandar.

Para a massa:

  •  1 receita de massa de biscoitos amanteigados (a sugestão é essa ou essa)

Para o recheio

  • 1 pote grande de creme de avelãs (usei Nutella)

Material:

  •  Forma para mini cupcakes
  • Cortador de flor de aproximadamente 8cm

Prepare a massa.

Aqueça o forno a 180 graus.

Numa superfície polvilhada com farinha de trigo, abra a massa com um pouco menos de 0,5cm de espessura.

Corte as flores e coloque cada uma numa cavidade da forma para minicupcakes, com cuidado, pressionando o meio para encaixar bem, deixando sempre uma vazia entre uma e outra. Abaixe as pétalas delicadamente, assim ó:

Fure o fundo de cada uma com um garfo, para não inchar.

Leve ao forno por mais ou menos 15 minutos, ou até dourarem levemente. Deixe amornar e tire as florzinhas com cuidado da forma. Deixe esfriar completamente para rechear.

Para colocar o recheio usei um bico de confeitar pitanga médio. O rendimento é de mais ou menos 20 florzinhas.

Receitinha do Truque – Bolo de kitkats e M&Ms

Antes de começar esse post vamos esclarecer que não estou ganhando nadinha para dizer o nome das marcas dos chocolates nessa receita, ok? Aliás, pessoal na Nestlé e da Hershey’s, se quiserem contribuir com o fundo The Cookie Shop de solidariedade, é só entrar em contato comigo que estamos aí, hein? Podem me pagar em chocolate se quiserem.

Esse bolo é o bolo do truque – se você é daqueles que nunca decorou um bolo na vida, ou quando tentou fez uma melequeira e o resultado não foi aquela beleza que sonhaste, essa receita é pra você, minhazamiga. Ou zamigo.

O único pulo do gato é não fazer um bolo mais alto que a altura dos palitinhos de chocolate, nem muito baixo – aí é só seguir as indicações da receita que vc vai ter um bolo mais ou menos na altura certa. Na dúvida, use uma régua que não tem erro.

Aproveite as férias e faça com as crianças, elas vão te achar o maior gênio da culinária que já passou pela face da Terra.

Bolo de Kit kat e M&Ms

Para a massa de chocolate:

  • 3 xícaras de farinha de trigo
  • 1 e 1/2 xícara de chocolate em pó
  • 1 e 1/2 colher de sopa de fermento em pó
  •  2 e 1/2 xícaras de açúcar refinado
  •  6 ovos
  • 1 e 1/4 xíc de óleo de canola, milho ou girassol
  • 1 e 1/4 xícara de leite

Para a cobertura  e recheio:

  • 285g de chocolate meio amargo picado
  • 1/2 xícara de água
  • 150g de manteiga sem sal, cortada em pedacinhos, temperatura ambiente

Para a decoração e montagem:

  • 16 pacotinhosde kitkat (dá para usar dedinhos de chocolate, tubinhos de wafer, ou qualquer chocolate em palitos)
  • Confetti, M&Ms, balinhas de chocolate ou chocoballs, ou o que quiser do gênero, para cobrir
  • uma fita para arrematar

Primeiro faça a massa:

Unte e polvilhe com farinha de trigo duas assadeiras redondas de 20cm de diâmetro. Preaqueça o forno a 180 graus.

Numa tigela grande, peneire juntos a farinha, o chocolate em pó e o fermento. Reserve.

Misture o leite e o óleo. Reserve.

Na batedeira, bata os ovos com o açúcar até ficar clarinho e dobrar de volume.  Junte a mistura de leite/óleo e os ingredientes secos peneirados aos poucos, sem parar de bater, até ficar homogêneo. Divida a massa entre as assadeiras preparadas (cuidado para não encher muito se suas formas forem baixinhas).

Asse por mais ou menos 30 minutos, até passar no teste do palito. Deixe amornar e desenforme sobre duas folhas de papel alumínio ou papel manteiga.

Deixe esfriar completamente e nivele, cortando o topo do bolo que ficou arredondado, se precisar. Tente deixar reto, mas não se preocupe muito em ficar perfeito.

Faça a cobertura e recheio:

Derreta em banho maria (ou no microondas, em intervalos de 30 segundos) o chocolate e a água. Quanto estiver bem homogêneo, junte a manteioga em pedacinhos, misturando bem. Deixe esfriar em temperatura ambiente até chegar a uma consistência “espalhável” com espátula.

Montagem:

Coloque uma das massas já frias e niveladas sobre o preto de servir. Espalhe um terço da cobertura com uma espátula.

Cubra com a outra massa e meça a altura com uma régua – se o bolo ficou mais alto que a altura dos palitinhos de chocolate, acerte com uma faca de serra, tentando deixar retinho.

Espalhe o restante do creme de chocolate sobre o bolo e nas laterais, cuidando para não sujar o prato. Não precisa fazer uma camada muito grossa de creme.

Quebre os chocolates, separando os palitinhos, e cole-os por toda a lateral do bolo, bem próximos. Cubra o topo com as balinhas de chocolate, para formar a “piscina” de balinhas.

Com a fita, amarre toda a volta do bolo e arremate com um laço.

O Piquenique de Aniversário

 

Este post é um candidato ao Melhor post do Mundo, da Limetree. Foi originalmente publicado em setembro de 2011.

 

Hoje vou fingir que sou aqueles blogs bacanudos de decoração de festas, tá? Sempre sonhei.

Só pra explicar, chegou aquela época do ano, o aniversário da filha, e deu uma vontade grande na gente de comemorar. Até porque ela fez quatro anos, e estava MEGA ANSIOSA pelo aniversário. Porque quatro anos é tipo uma idade que a pessoa não é mais “menina pequena” (palavras da mesma).

Como a mocinha não conseguia decidir o tema da festa, e eu me recusei a fazer uma decoração de barbies princesas bailarinas que são fadas, fomos fazendo tudo meio sem tema, mas que acabou chegando numa festa piquenique, pra todos os amiguinhos sentarem na grama, lancharem e brincarem bastante. E a própria menininha foi me dando as pistas do que ela queria: “Tem que ter pipoca. E pão de queijo. E suco de maçã. E pirulitos rosa, e um bolo com cereja.” Ok então, chefinha, mãos à obra!

Fui pesquisando por aí, e achei um tutorial muito legal pra fazer esses pompons de papel de seda – bem fácil e dá um ótimo efeito. Tecido xadrez de Vichy baratinho no chão e comidinha de criança à vontade – pipoca, pão de queijo e suco.

Sou super fã do trabalho em patchwork da Ana Sinhana. Já tinha uma toalha xadrez dela em casa, e encomendei as bandeirolas de tecido para a festa – que acabaram servindo de inspiração para todo o resto da decoração.

Os doces foram todos feitos por mim e pelo marido Xan Xan Chocolates. O bolo era formigueiro com recheio de brigadeiro (porque piquenique que é bom tem que ter formiga), e tinha cookies…

Copinhos de chocolate com creme de ovomaltine, macarons pink lemonade

Fudge napolitano, de chocolate branco com pistache, chocolate ao leite e chocolate de morango, feitos pelo Xan Xan…

Cupcakes de chocolate com recheio de creme de cereja e cobertura de marshmallow…

Biscoitos decorados de cerejinha no palito…

E brigadeiros, que eu apanho se não tiver! As plaquinhas fofas foram feitas pelo marido.

O resto dos elementos decorativos foram coisas que a gente tinha em casa mesmo: cestas, porcelanas, tudo simplezinho e do coração.

As lembrancinhas foram cestinhas de papelão imitando palha (as de palha de verdade estavam os uólhos da cara, gente, não deu), e dentro ia um mini piquenique para cada amiguinho: um cookie, uma maçã, um suco de caixinha, uns marshmallows que ninguém é de ferro e uma bolha de sabão pra brincar um pouco.

Ah! E não podemos esquecer da limonada rosa (de limão siciliano e caldinha de amarena), drink favorito da aniversariante! Pheena ela, não?

E a menina, agora grande, se divertiu a valer, voltou pra casa sujinha e feliz da vida, de tanto que brincou.

Parabéns, minha linda, eu te amo de montão!

Como fazer um salame (de chocolate)

Adoro sobremesas do tipo “parece mas não é”, acho pura diversão. Dá pra ver aqui e aqui, que eu gosto de brincar com a minha comida, né? (até dei uma entrevista para a Revista Festa Viva sobre o assunto – veja aqui)

Eu estava para fazer salame de chocolate já há algum tempo, mas o meu maior problema é que eu não curto muito o sabor dos biscoitos industrializados, tipo maizena, maria, etc.

Sei lá porque, também nunca tinha pensado em usar biscoitos caseiros – o cérebro não tinha feito a sinapse, já que eu tenho sobras de biscoitos aqui todas as semanas, principalmente rebarbas de massa de amanteigados, os que eu uso para os biscoitinhos decorados. Acho que deve ficar delicioso com outros tipos de massa também, já pensou um salame de chocolate com pedaços de cookies, ou de gingerbread?

Fui procurar uma receita mais tradicional, já que o salame de chocolate é uma sobremesa bem típica da Itália, e eu não queria usar leite condensado. Como não consegui me decidir, fiz um mix de duas receitas que achei bacanas, do site Panelinha e do blog La Mia Vita Dolce – o resultado foi ótimo e, como rendeu bastante, vários amigos acabaram ganhando um salame de presente.

Como a receita não vai ao fogo, é um doce ótimo para fazer com as crianças, diversão garantida para uma tarde chuvosa.

Salame de Chocolate (rende 4 unidades)

  • 226g de chocolate meio amargo ou amargo (quanto melhor o chocolate, mas gostoso fica o doce), picadinho
  • 150g de manteiga sem sal
  • 3/4 xícara de açúcar
  • 2 ovos
  • 1 colher de chá de extrato de baunilha (ou 1 colher de sopa de rum, se preferir)
  • 2 colheres de sopa de chocolate em pó
  • 300g de biscoitos quebrados (usei esta receita aqui, mas pode usar comprado se preferir)
  • 1 xícara de nozes ou amêndoas picadas (usei castanha do pará)

No microondas ou em banho-maria, derreta o chocolate com a manteiga e mexa bem para homogeneizar. Reserve para amornar.

Na batedeira, bata os ovos com o açúcar até ficar bem clarinho e dobrar de volume. Junte a baunilha (ou o rum) e bata mais um pouco.

Misture o chocolate em pó ao chocolate derretido. Junte a mistura de chocolate aos ovos batidos e misture bem.

Junte os biscoitos picados, com migalhas e tudo, e as castanhas. Misture bem. A mistura vai estar ainda cremosa.

Abra um plástico filme ou papel alumínio sobre uma superfície de trabalho e, às colheradas, faça uma forma comprida com a massa. Enrole o plástico ao redor da massa e torça as pontas, apertando bem, para formar o salame. Repita até acabar a massa. Coloque os salames numa assadeira e leve à geladeira até o dia seguinte para firmar.

Sirva gelado, em fatias.

Projeto SalvaCão – ossinhos de suspiro

Eu nunca tive um cachorrinho, mas na minha casa sempre teve espaço pros gatinhos. Minha mãe era apaixonada por animais, especialmente gatos, então vira e mexe a gente acabava com um vira-latinha em casa.

Aprendi com ela que bicho não se compra, se adota.

Admiro demais as pessoas que se mobilizam pra recolher um animal que está na rua e viram suas vidas de cabeça pra baixo pra arrumar um lar, donos bacanas e um ambiente saudável pros peludos. Uma dessas pessoas é a veterinária da minha gata, a Dra. Janaína.

Na minha última visita ao seu consultório, reparei na presença simpática da Doralice, uma doce cadelinha, bem magrinha, que se movimentava numa “cadeira de rodas” e usava fraldas de bebê. A Dra. me contou que a Doralice tinha sido abandonada por seus donos, doente, e seria sacrificada no Centro de Controle de Zoonozes, se não fosse pela boa vontade e rapidez dela e das outras meninas do Projeto SalvaCão.

Mas o que é esse projeto?

Nas palavras delas:

Nós (Lele, Dave, dra. Janaína – e Dri e Fernanda, do Segunda Chance) nos juntamos e agora temos este projeto, que ajuda a recolher das ruas, cuidar e divulgar para adoção os cachorros abandonados/machucados.(…) O objetivo é poder sempre resgatar e manter 2 ou 3 cachorros de rua em tratamento, continuamente. Sendo adotados, pegamos outros na rua, tratamos, mandamos para adoção, e assim por diante.

Todos juntos somos fortes.

Taí gente: nem todo mundo pode ir lá, pegar o bichinho, levar pra casa e arrumar um lar, mas todo mundo pode ajudar essa galera a continuar esse trabalho bem bacana. É só entrar neste link e colaborar com a vakinha do projeto, com qualquer quantia. Vai lá, que eu espero aqui com a receita dos suspirinhos na volta, tá? :)

 

Ossinhos de Suspiro – (rende 30 ossinhos)

Nunca tinha conseguido fazer suspiros assim crocantes, branquinhos e sem rachaduras – então fui pedir ajuda pras universitárias doceiras no Facebook. Azamigas Alessandra e Cris deram a dica: forno bem baixinho e porta meio aberta, para secar o merengue sem dourar. Deu certinho, viu queridas?

A idéia de fazer os ossinhos com suspiro veio de uma foto que vi numa revista no Halloween do ano passado – fica aí a dica também para festas mais aterrorizantes.

Ingredientes:

  • 4 claras
  • 250g de açúcar refinado
  • essência de baunilha ou raspinhas de limão a gosto

Forre duas assadeiras grandes com papel manteiga ou tapetinhos de silicone (silpat) e reserve.

Prepare um saco de confeitar com um bico perlê grande, com abertura de 1 a 1,5cm, e apóie dentro de um copo alto.

Bata na batedeira as claras em neve, até obter picos firmes. Acrescente o açúcar aos pouquinhos, sem parar de bater, até ficar bem firme e brilhante. Junte a baunilha ou as raspinhas de limão e misture bem. Passe a massa do suspiro para o saco de confeitar e faça os ossinhos (ou pingue bolinhas) nas assadeiras preparadas.

Coloque as assadeiras no forno e ligue na temperatura mínima (deixei o meu a 100°C), e coloque uma colher de pau na porta para que ela fique entreaberta. Deixe secar por 1h30 a duas horas, checando de vez em quando para ver se não está dourando.

Desligue o forno e deixe os suspiros esfriarem lá dentro completamente. Guarde em pote com tampa por até 3 dias.

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 903 outros seguidores

%d blogueiros gostam disto: