Fazendo mágica – brigadeiro milagroso no banho-maria

Brigadeiro no banho-maria

 

As pessoas de modo geral acham que a vida da doceira é uma coisa fácil e fofa, um mundo cor de rosa que cheira a baunilha e os passarinhos ajudam a gente a decorar os bolos. Tipo a Branca de Neve.

Tanto que uma pergunta que a gente ouve muito é a famigerada: VOCÊ TRABALHA TAMBÉM OU SÓ FAZ DOCE?

Olha, é tudo fofo mesmo, e às vezes cheira a baunilha. E chocolate. Mas o que ninguém imagina é que para a fofura acontecer corre muito sangue, suor e lágrimas por aqui. Ok, talvez não o sangue e lágrimas só de vez em quando, mas tem muito fardo de farinha e açúcar pra carregar, muita embalagem pra comprar, muito trânsito pra pegar e muito, mas MUITO brigadeiro pra mexer.

E todas as vezes que eu tenho que mexer uma panela com 6 receitas de brigadeiro ao mesmo tempo me entrego a uma longa reflexão (longa mesmo, porque dar ponto em 6 receitas de brigadeiro de uma vez demoooooooora pacas): tem que existir um jeito mais fácil de fazer isso, não é possível.

Aí um dia desses, enquanto fazia um pudim, uma lampadinha se acendeu – e se eu colocasse tudo no banho-maria, será que daria certo?

Coincidentemente essa semana apareceu um post na minha timeline do FB de uma colega que faz doce de leite dessa forma – coloca o leite condensado numa forma e assa em no banho-maria, coisa que eu já tinha visto em alguns blogs de países gringos que não tem o costume de usar panela de pressão.

Então fui pra cozinha testar essa idéia – dei uma mexida na receita tradicional do brigadeiro, porque imaginei que como não teria a evaporação normal que acontece no brigadeiro de panela teria de colocar alguma proteína (farinha, gema de ovo ou leite em pó) para ajudar a ficar cremoso. Demorou bastante para dar ponto (ficou 2 horas no forno), mas enquanto isso fiz mil coisas e não fiquei com dor na mão de ficar mexendo o doce na panela, então acredito que tenha sido um EPIC WIN.

Meu amigo Thomaz (tem sempre um espertinho rs) me perguntou se não era mais fácil fazer no microondas. Eu não acho – no microondas dificilmente consegui um ponto perfeito para enrolar e em 80% das vezes o brigadeiro ferveu e sujou todo meu forno. Fora que só dá p fazer uma receita por vez.

Posto aqui então a receita que fiz como teste. Acredito que dê ainda para melhorar alguma coisa, só tempo e prática ajudarão a aperfeiçoar o processo e conto com a colaboração de quem quiser arriscar fazer e postar aqui suas impressões!

Brigadeiro Milagroso no Banho-Maria (versão Beta)

Se quiser dobrar ou triplicar a receita só tome o cuidado da forma não ficar muito cheia de brigadeiro – melhor se for uma forma maior e a massa fique mais espalhada, baixinha na forma, senão pode demorar muito para assar.

  • 1 lata de leite condensado
  • 1/2 caixinha de creme de leite UHT
  • 3 colheres de sopa de chocolate em pó
  • 4 colheres de sopa de leite em pó integral instantâneo (tem que ser esse senão não dá ponto)
  • 1 colher de sopa de manteiga derretida

Aqueça o forno a 200 graus e coloque uma forma com bastante água quente na grade mais baixa do forno. Numa forma redonda misture todos os ingredientes com um fuet. Tampe com papel alumínio e leve ao banho-maria (verifique se a água não está secando).

Depois de 1 hora de forno, abra o papel alumínio e misture bem. Leve ao forno por mais uma hora, repondo a água se necessário.

Ao fim das duas horas verifique se a mistura está pastosa e firme e dê uma boa misturada – a espátula ou fuet deverão deixar um rastro no creme que não se desmancha com facilidade.

Depois de frio fica assim:

IMG_3765

Se for colocar em copinhos ou rechear bolos utilize em temperatura ambiente. Para enrolar leve à geladeira para gelar.

IMG_3838

Sanduíches de suspiro com chocolate meio amargo

sanduíches de merengue com chocolate meio amargo

Vocês pensam que é fácil a vida da doceira, mas é uma luta. Explico: a gente acaba fazendo sempre os mesmos doces para as encomendas das clientes, mas aí é aquela coisa – sobra um pouco de brigadeiro aqui, uma tampa de bolo ali, aquele cookie que ficou feio e não passou no controle de qualidade  fica rodando na tapaué olhando pra você.

Aí, de vez em quando, a gente olha aquilo tudo e a cabecinha começa a pensar – e se eu juntasse esse resto de doce de leite com aquele resto de bolo de nozes e fizesse um pavê? E se eu esmigalhasse esses cookies e fizesse um sorvetinho? Aí, em nome da gordice  ciência, a gente faz esse tipo de experiência bem calórica que atrapalha toda a alimentação equilibrada que eu sempre sonhei em ter.

Já contei aqui que a minha vizinha é uma sortuda, porque eu despacho sempre alguma coisa pra lá, mas esses sanduíches de merengue com chocolate… Desculpa aí, vizinha, mas fico te devendo.

Os componentes da receita: uma sobra de merengue que eu uso como cobertura de bolos e cupcakes, que assei em forno baixíssimo por umas 3 horas até secar e ficar crocante e uma ganache de chocolate meio amargo que serve para várias coisas – desde cobrir bolos até enrolar em trufinhas.

Sanduíches de Suspiro com Chocolate Meio Amargo

Suspiro (esta receita precisa de um termômetro para uso culinário)

  • 3 claras grandes
  • 1 xícara de açúcar refinado
  • 1/2 colher de chá de extrato ou essência de baunilha

Ganache

  • 400g de chocolate meio amargo em barra, picadinho
  • 200g de creme de leite UHT

Prepare o suspiro

Forre duas assadeiras grandes com papel manteiga e prepare um saco de confeitar grande com um bico pitanga (eu usei o 1M da Wilton). Aqueça o forno  a 100 graus – se no seu não tiver essa temperatura coloque na mínima e deixe uma colher de pau na porta do forno. Numa tigela resistente ao calor, misture as claras e o açúcar. Coloque o termômetro na tigela e leve ao banho-maria, misturando com um fuet, até as claras atingirem 71 graus Celsius. Leve à batedeira e bata por mais ou menos 7 minutos, ou até ficar em ponto de merengue, formando picos firmes. Junte a baunilha e bata mais um pouquinho para misturar.

Passe a mistura para o saco de confeitar e forme rosinhas de merengue nas assadeiras preparadas. Achei esse video que mostra direitinho como eu fiz:

Leve ao forno por mais ou menos 2 horas, dependendo do tamanho dos seus merengues, ou até secarem bem.

Prepare a ganache:

Leve o chocolate ao microondas em intervalos de 30 segundos até ele estar parcialmente derretido, ou seja, quase todo liquido mas com alguns pedacinhos ainda inteiros no meio. Tire do microondas e misture com uma espátula até terminar de derreter tudo. Verifique se o chocolate está muito quente colocando um pouquinho no lábio – misture o creme de leite só quando estiver quase frio.

Deixe a ganache repousar até ficar em ponto pastoso para utilizar. Não coloque na geladeira, senão vai endurecer muito.

Montagem:

Coloque a ganache num saco de confeitar com bico liso pequeno ou pitanga francesa e aplique o recheio em metade dos suspiros, na parte lisa. Cubra com os suspiros restantes. Pode ser guardado em recipiente com tampa por até dois dias. Como essa ganache fica bem durinha é bem fácil de embalar para presente sem o risco de escorrer e melar tudo.

Não deu tempo de comprar presente?

Tá na mão!

Receitinhas pra não chegar de mãos vazias na festa de Natal, pra todos os gostos:

1. Caramelos de Baunilha e Flor de Sal – receita de média dificuldade, precisa de termômetro para caldas.

2. Shortbread de Castanha do Pará – fácil e a castanha pode ser substituida por nozes, amêndoas, etc.

3. Cocadinhas de Amêndoas e Chocolate – super fácil e sem gluten.

4. Biscoitos Spritz Amanteigados – uma delícia, derretem na boca. Trabalhosos.

5. Biscoitinhos de Laranja – Trabalhosos, mas uma das minhas receitas favoritas de biscoitos.

6. Blondies – Média dificuldade, mas só porque tem que picar as nozes e o chocolate, no mais é super tranquilo.

7. Palmiers de Canela – Se for fazer com massa folhada comprada pronta é facílimo!

8. Fudge de chocolate com pistache – essa é boa de fazer com as crianças, já que não vai ao fogo.

9. Brigadeiro de Pistache da Nena – É brigadeiro. É pistache. Sem mais.

Agora é só caprichar na embalagem e Feliz Natal!

The Cookie Shop Convida – Nena Chocolates e o Brigadeiro de Pistache

fotos: Alessandra Luvisotto

De vez em quando é bom dar a palavra a quem é especialista em alguma coisa, né?

Hoje o espaço vai para a minha amiga Alessandra Luvisotto, da Nena Chocolates – uma menina das mais talentosas e que faz os melhores brigadeiros do mundo.

Pra quem está afim de aprender mais receitas exclusivas, a Alessandra vai dar uma aula especial de brigadeiros gourmet aqui em São Paulo, no Ateliê Lili e Clô, no próximo dia 03 de dezembro (informações no email atendimento@lilieclo.com.br)

Com vocês, Alessandra:

***

Quando a Paula me convidou pra colaborar com o blog com uma receita de brigadeiro eu entrei num dilema: tradição ou inovação? É fato que o nosso bom e velho brigadeiro de cada dia está mais do que na moda, virou objeto de desejo e ganhou um espaço importante na gastronomia brasileira.

Refletindo sobre o assunto escolhi a receita a seguir justamente fazendo um elo entre o docinho e minha carreira profissional. Quando entrei pro curso de Gastronomia em 2006 eu já tinha em mente o sonho de me tornar uma confeiteira profissional. O conhecimento de um mundo novo de ingredientes e técnicas somado às experiências profissionais que tive no meio do caminho me levaram à olhar para as origens de uma cozinha que me levou a me profissionalizar academicamente.

Decidi então por ficar com a “baixa gastronomia” e dentro dela trabalhar os melhores ingredientes e técnicas pra aprimorar e diversificar doces que originalmente são comuns e populares. Acabei por descobrir que sou mais feliz assim.

 Brigadeiro de pistache -20 unidades de 24g

  • 1 lata de leite condensado (395g)
  • 1 caixinha de creme de leite UHT (220g)
  • 25g de leite em pó
  • 50g de pistache triturado
  • 20g de pasta de pistache*
  • + pistache triturado para confeitar

Numa panela junte o leite condensado, creme de leite, leite em pó e o pistache triturado. Cozinhe, mexendo sem parar, até dar o o ponto de brigadeiro, retire do fogo e acrescente a pasta de pistache. Leve à geladeira até resfriar por completo. Enrole as bolinhas de brigadeiro com as mãos untadas com manteiga e passe-as pelo pistache triturado.

* Se você não tiver a pasta de pistache, utilize algumas gotas de corante verde e extrato ou essência de pistache depois do cozimento.

Alessandra Luvisotto – Nena Chocolates

Pede, moleque! – praliné de amendoim (ou pé de moleque)

Me deu a maior dor de dente outro dia e saí correndo para o consultório mais próximo de casa que consegui encontrar. A vida tem dessas coisas, e o dentista, Dr. Waldemar, foi um achado: além de super competente (indico de olhos fechados pra quem estiver precisando, viu?) era ótimo de papo. O que é uma coisa muito útil num consultório de dentista, pelo menos pra mim que tenho pavor do barulhinho da broca, ajuda a relaxar e o tempo passa mais depressa.

Já na primeira consulta o assunto caiu em.. comida, fazer o que? O assunto preferido de 9 entre 10 brasileiros, pelo menos os que eu convivo ;)

E o doutor, que é de família legítima mineira, me contou a história da origem do nome pé de moleque. Reza a lenda que as doceiras faziam o delicioso docinho de amendoim e colocavam suas travessas para esfriar nas janelas das casas. E o cheirinho logo atraía os moleques do pedaço, que passavam zunindo e roubavam o doce, os fanfarrões.

E as doceiras, furiosas, gritavam: “PEDE, MOLEQUE!”

Porque né? Doceira que se preza não recusa um bocado de doce pra ninguém, é só pedir com educação. :)

Praliné de Amendoim ou Pé de Moleque (não sei quantos rende, porque comeram quase todos e não deu tempo de contar, sorry) – adaptado daqui

Esse pé de moleque é um pouco diferente. Foi adaptado de uma receita americana, mas ficou com gostinho bem brasileiro, por causa do açúcar mascavo e, claro, do amendoim torradinho. O caramelo não fica duro, e sim um pouco açucarado, derrete na boca. Muito gostoso.

Você vai precisar de um termômetro culinário para caldas para prepará-los, ok?

  • 1 1/2 xícara de açúcar refinado
  • 1/2 xícara de açúcar mascavo
  • 2 xícaras de amendoim torrado, sem pele
  • 3/4 xícara de creme de leite fresco
  • 2 colheres de sopa de manteiga
  • 1 pitada generosa de sal
  • 1/2 colher de chá de bicarbonato de sódio

Forre duas assadeiras com papel manteiga ou tapetes de silicone e reserve.

Numa panela média,misture os dois tipos de açúcar, o bicarbonato, o sal e o creme de leite e leve ao fogo até o termômetro marcar 112°C.

Neste ponto, junte a manteiga e misture até homogeneizar. Junte o amendoim, retire do fogo e com a ajuda de uma colher de sopa vá pingando os doces nas assadeiras preparadas, COM MUITO CUIDADO. A mistura é extremamente quente e pode causar queimaduras sérias. Tire as crianças da sala.

Neste ponto é preciso ser rápido, porque o caramelo aos poucos vai endurecendo, e os pralinés não ficam tão bonitinhos.

Deixe esfriar completamente e guarde em potes ou latas por até 5 dias.

Projeto SalvaCão – ossinhos de suspiro

Eu nunca tive um cachorrinho, mas na minha casa sempre teve espaço pros gatinhos. Minha mãe era apaixonada por animais, especialmente gatos, então vira e mexe a gente acabava com um vira-latinha em casa.

Aprendi com ela que bicho não se compra, se adota.

Admiro demais as pessoas que se mobilizam pra recolher um animal que está na rua e viram suas vidas de cabeça pra baixo pra arrumar um lar, donos bacanas e um ambiente saudável pros peludos. Uma dessas pessoas é a veterinária da minha gata, a Dra. Janaína.

Na minha última visita ao seu consultório, reparei na presença simpática da Doralice, uma doce cadelinha, bem magrinha, que se movimentava numa “cadeira de rodas” e usava fraldas de bebê. A Dra. me contou que a Doralice tinha sido abandonada por seus donos, doente, e seria sacrificada no Centro de Controle de Zoonozes, se não fosse pela boa vontade e rapidez dela e das outras meninas do Projeto SalvaCão.

Mas o que é esse projeto?

Nas palavras delas:

Nós (Lele, Dave, dra. Janaína – e Dri e Fernanda, do Segunda Chance) nos juntamos e agora temos este projeto, que ajuda a recolher das ruas, cuidar e divulgar para adoção os cachorros abandonados/machucados.(…) O objetivo é poder sempre resgatar e manter 2 ou 3 cachorros de rua em tratamento, continuamente. Sendo adotados, pegamos outros na rua, tratamos, mandamos para adoção, e assim por diante.

Todos juntos somos fortes.

Taí gente: nem todo mundo pode ir lá, pegar o bichinho, levar pra casa e arrumar um lar, mas todo mundo pode ajudar essa galera a continuar esse trabalho bem bacana. É só entrar neste link e colaborar com a vakinha do projeto, com qualquer quantia. Vai lá, que eu espero aqui com a receita dos suspirinhos na volta, tá? :)

 

Ossinhos de Suspiro – (rende 30 ossinhos)

Nunca tinha conseguido fazer suspiros assim crocantes, branquinhos e sem rachaduras – então fui pedir ajuda pras universitárias doceiras no Facebook. Azamigas Alessandra e Cris deram a dica: forno bem baixinho e porta meio aberta, para secar o merengue sem dourar. Deu certinho, viu queridas?

A idéia de fazer os ossinhos com suspiro veio de uma foto que vi numa revista no Halloween do ano passado – fica aí a dica também para festas mais aterrorizantes.

Ingredientes:

  • 4 claras
  • 250g de açúcar refinado
  • essência de baunilha ou raspinhas de limão a gosto

Forre duas assadeiras grandes com papel manteiga ou tapetinhos de silicone (silpat) e reserve.

Prepare um saco de confeitar com um bico perlê grande, com abertura de 1 a 1,5cm, e apóie dentro de um copo alto.

Bata na batedeira as claras em neve, até obter picos firmes. Acrescente o açúcar aos pouquinhos, sem parar de bater, até ficar bem firme e brilhante. Junte a baunilha ou as raspinhas de limão e misture bem. Passe a massa do suspiro para o saco de confeitar e faça os ossinhos (ou pingue bolinhas) nas assadeiras preparadas.

Coloque as assadeiras no forno e ligue na temperatura mínima (deixei o meu a 100°C), e coloque uma colher de pau na porta para que ela fique entreaberta. Deixe secar por 1h30 a duas horas, checando de vez em quando para ver se não está dourando.

Desligue o forno e deixe os suspiros esfriarem lá dentro completamente. Guarde em pote com tampa por até 3 dias.

Uma doceira de dieta e o doce mais fácil do mundo – cocadinhas de amêndoas e chocolate

E pela vigésima quinta vez só este ano, hoje é o meu primeiro dia de dieta.

Tá osso, viu gente. Aqui tem muito doce. Tem doce por todos os lados. E eu tenho que provar pra ver se a freguesa vai gostar. Dai-me forças.

E doceira de dieta tem uma mania, e eu sei que não sou a única, de fazer doces pra dar de presente.

Essas cocadinhas, ou macaroons, foram um presente para um amigo que não pode comer nada com glúten. E no mesmo jantar estaria um outro amigo que não pode comer nada com lactose. E se tem outra coisa que doceira de dieta tem mania, é dar um jeito de fazer algum doce que todo mundo possa comer, porque né, coitadinhos, vão ficar sem doce?

As cocadinhas, além de sem glúten nem lactose, acabaram também por ser o doce mais fácil que eu já fiz em toda a minha existência, só misturar tudo, fazer as bolinhas e assar, super simples.

Então, já que eu não posso, vocês por favor se joguem nesses docinhos, e comam com gosto.

Cocadinhas de Amêndoas e Chocolate (adaptado daqui) – rende 12 a 15 unidades

  • 1/3 xícara de açúcar
  • 1 clara de ovo
  • 1 xícara de coco ralado (de pacotinho, sem açúcar)
  • 1/4 xícara amêndoas picadas, com pele mesmo
  • 1/4 xícara chocolate amargo picadinho (opcional)
  • gotas de extrato de amêndoas

Preaqueça o forno a 180/C. Forre uma assadeira com papel manteiga ou silpat e reserve.

Numa tigela, misture o açúcar e a clara. Junte o restante dos ingredientes e misture bem, até ficar bem úmido.

Com a ajuda de uma colher de sopa, ou boleador de sorvete, forme bolinhas e coloque na assadeira preparada. Asse até dourar, mais ou menos 15 minutos. Deixe esfriar na assadeira e guarde em pote fechado por até 3 dias.

Eu fui – Aula de Cake Pops com Maria Pia Bolos

Fofos não? A autora dos lindos cake pops da foto é minha querida amiga Maria Pia, cake designer da Maria Pia Bolos.

Ela é uma das primeiras doceiras a fazer cake pops no Brasil e é especialista no assunto – aproveitei que ela começou a dar aulas em São Paulo e lá fui eu, acompanhar uma das turmas.

Pra quem ainda não conhece os charmosos docinhos, cake pops são pirulitos feitos com massa de bolo e doce de leite, brigadeiro, buttercream ou algum outro recheio delicioso, que dá o ponto de enrolar e o sabor do doce. Em seguida, são espetados num palito, banhados em chocolate e decorados à escolha do freguês.

Parece fácil,né? Mas como tudo na vida, tem seus segredinhos e macetes. Eu mesma já arranquei os cabelos por aqui com o ponto da massa, bolinhas escorregando do palito e chocolate rachando. O curso foi bem bacana e a Maria Pia explica bem direitinho como evitar esses problemas.

Do alto à esquerda: massas de bolo de baunilha e chocolate; a massa já misturada com o recheio, na consistência exata; Maria Pia ensinando a modelagem básica; corte de uma estrelinha; ursinho fofo sendo decorado; a produção das alunas dia.

Fica a dica para as doceiras de plantão: vale muito a pena investir nos cake pops. “O lucro é muito bom, e tenho vendido muito os pops para festas, porque além de deliciosos são bastante decorativos”, conta Pia. E quanto mais caprichado melhor: “as possibilidades são infinitas, desde modelos mais simples com confeitos e granulados, até os modelados com carinhas de personagens e formas diferentes”.

As receitas pipocam na internet e é só dar um google, mas para mim valeu muito a pena ter visto o passo a passo ao vivo e poder dar uma incrementada no meu repertório de pops.

Os cursos de cake pops com a Maria Pia acontecem na loja The Cake is on the Table – o calendário para julho está disponível aqui.

Informações:

The Cake is on the Table

Rua Amaro Guerra, 264

tel: 11 2371-1640

Receitinha do Coração – tortas de framboesa no palito

Eu <3 minhas clientes – às vezes elas tem umas idéias tão, mas tão legais, que eu é que deveria estar pagando pra fazer esses docinhos bacanas (brincadeirinha).

Olha esses biscoitinhos de botão que eu fiz para a inauguração do Atelier Le Kawaii, da minha amiga Elisa (que aliás, faz roupas sob medida, como antigamente, só que com um toque moderno – fica a dica!):

*Foto e tags da Nathalia Yamauti

E esse bolo do Super Mario Bros. para o aniversário do Lucas?

E  essa linda mesa temática que a decoradora Andrea Daccache montou? Eu fiz os biscoitinhos de siri, os cupcakes e os brownie pops de aguinha:

* foto Andrea Daccache

E nesse final de semana, fiz essas tortinhas de framboesa no palito para uma festinha, e elas ficaram tão gostosas que eu decidi postar a receita pra vocês – tudo idéia da cliente!

Tortinhas de Framboesa no palito – inspirado no blog Luxirare

* rende aproximadamente 30 tortinhas pequenas

Ingredientes da massa:

  • 200g de manteiga sem sal, super gelada e cortada em quadradinhos
  • 2 e 1/2 xícaras de farinha de trigo
  • 1/2 colher de chá de sal
  • 1 colher de sopa de açúcar
  • 1/4 xícara de água bem gelada

Ingredientes do recheio

  • 3 xícaras de framboesas (usei congeladas – pode usar morango, amora ou qualquer frutinha vermelha)
  • 1/2 xícara de açúcar (pode usar mais ou menos, depende do seu gosto)
  • suco de 1/2 limão
  • 2 colheres de sopa de amido de milho

Montagem:

  • palitos de sorvete
  • 1 ovo batido
  • açúcar cristal

Prepare o recheio primeiro, porque tem que esfriar:

Numa panela, misture o açúcar e a maizena. Junte as frutas e o suco de limão e leve ao fogo, mexendo sempre, até ferver e engrossar um pouco. Retire do fogo, deixe esfriar – melhor ainda se estiver gelado na hora de utilizar.

Prepare a massa:

No processador de alimentos, ou numa tigela grande, misture a farinha, sal e açúcar. Junte a manteiga gelada e pulse por 10 segundos, até obter uma farofa grossa com alguns pedaços maiores de manteiga. (Se fizer à mão, misture com as pontas dos dedos, sem trabalhar muito a massa).

Junte a água gelada e pulse novamente até a massa se juntar (ainda vai ficar meio esfarelenta, mas é só apertar tudo num plástico e deixar descansar na geladeira por 1 hora).

Montagem:

Numa superfície de trabalho polvilhada com farinha de trigo, abra a massa com um rolo até ficar fininha. Corte os formatos que quiser com um cortador da sua escolha e distribua numa assadeira forrada com papel manteiga.

Coloque os palitinhos de sorvete no centro das massinhas e coloque uma colher de chá de recheio – não coloque muito, senão vaza na hora de assar. Cubra com o restante da massa cortada no mesmo formato e pressione as laterais com um garfo, como se fosse fechar um pastel. Leve à geladeira por 15 minutos, enquanto preaquece o forno.

Pincele com o ovo batido e polvilhe com o açúcar cristal. Leve ao forno e asse por mais ou menos 25 minutos, até dourar.

Como eu tinha um pouco de glacê real rosa, decorei as tortinhas depois de frias, polvilhei uns confeitos e deixei secar para servir.

Viva o leite condensado! – Docinho de pistache e chocolate branco

Outro dia peguei um debate bem interessante no Twitter – parece que um chef pâtissier francês (ele trabalha e mora aqui no Brasil) andou dando uma entrevista polêmica, dizendo que não existe confeitaria brasileira. Não sei dos detalhes, mas o caso gerou pano pra manga.

Não foi a primeira vez que ouvi isso, gente falando mal de doce brasileiro, dizendo que só tem leite condensado e excesso de açúcar, que o brasileiro não tem paladar, etc etc e tal. Queria muito saber a opinião de vocês – o que vocês acham desse debate?

Eu, particularmente, sou super a favor de um bom leite condensado – inclusive poderia até dizer que quem se recusa a usar esse ingrediente vai perder a oportunidade de produzir coisas deliciosas por puro preconceito.

Docinho de pistache e chocolate branco (rende 30 unidades)

  • 1 lata de leite condensado
  • 100g de pistache triturado
  • 30g de chocolate branco picadinho
  • 1 colher de sobremesa de manteiga
  • chocolate branco ralado para passar os docinhos

Numa panela de fundo grosso (o ideal é que seja uma só para doces), misture o leite condensado, o pistache, a manteiga e os 30g de chocolate branco. Leve ao fogo baixo, mexendo sem parar com uma espátula de borracha ou colher de pau, até a mistura engrossar e soltar do fundo das laterais da panela.

Passe a mistura para um prato fundo untado com manteiga  deixe esfriar completamente. Enrole bolinhas  passe pelo chocolate branco ralado. Coloque em forminhas.

Pode ser conservado em pote tampado na geladeira por até 1 semana.

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 939 outros seguidores

%d blogueiros gostam disto: