Manezinho Araújo

macaco

Cuidado: aqui na minha casa, se você for uma banana e começar a ficar meio passada, FUJA! Senão vira bolo, vitamina, pão…  Ou então, Manezinho Araújo.

Sempre achei o nome desse doce muito curioso. Desde criança, sempre fiquei imaginando quem era o Manezinho Araújo, que inventou essa sobremesa de bananas com creme e suspiro (veja a receita original aqui). Ninguém soube me responder, e olha que minha mãe, minha avó e todas as minhas tias faziam sempre a receita. Ninguém fazia a menor idéia de quem era esse tal Manezinho.

O Google facilita para nós:

Manuel Pereira de Araújo, conhecido como Manezinho Araújo, (Cabo de Santo Agostinho, 27 de setembro de 1913 — 23 de maio de 1993) foi um cantor, compositor, jornalista e pintor brasileiro. Autor do sucesso “Dezessete e Setecentos”, música que ficou mais conhecida na voz de  Luiz Gonzaga.

E o doce? Ah, dizem que foi ele quem inventou, por gostar muito de bananas.

Mas quem reinventou o Manezinho Araújo em forma de torta foi minha tia Cida, que é tão legal, mas tão legal, que até deixava eu pintar as unhas dela com esmalte de verdade.

macaco pequeno no prato

Torta Manezinho Araújo (Rende duas tortinhas pequenas, de 12cm, ou uma maior, de 25cm.)

Pâte Brisée (adaptado daqui)

  • 100g de manteiga bem gelada, cortada em cubinhos
  • 1 1/4 xícaras de farinha de trigo
  • 1 colher de café de sal
  • 1 colher de chá de açúcar
  • 3 colheres de sopa de água super gelada (ou um tiquinho a mais, se necessário)

Primeiro de tudo: corte a manteiga e deixe no freezer enquanto prepara o restante dos ingredientes.

Coloque no processador a farinha, o sal e o açúcar. Pulse para misturar. Coloque a manteiga, tampe e pulse em intervalos curtos, umas 4 vezes, até a mistura parecer uma farofa grossa, como farinha de milho (os pedaços de manteiga na farinha vão estar do tamanho de ervilhas, não tem problema se tiver alguns pedaços maiores e outros menores).

Deixe a água a postos. Com o processador funcionando na velocidade mais baixa, já adicionando a água pela abertura da tampa até a massa “juntar”, mas sem ficar grudenta nem úmida.  Na verdade, ela vai estar meio seca, e é assim mesmo (dica da Martha Stewart: teste apertando um bocado da massa na mão: se estiver ainda muito esfarelenta, ponha um pouquinho mais de água gelada). Não processe por mais de 30 segundos. Divida em duas partes (se for fazer duas tortinhas) e coloque cada metade sobre um pedaço de papel filme. Embrulhe no plástico, apertando para juntar as migalhas soltas e formando um disco, mas sem trabalhar a massa (não queremos derreter a manteiga que deu tanto trabalho para ficar em pedacinhos e vai deixar a massa bem crocante).

Guarde na geladeira por pelo menos 1 hora, ou até 2 dias. Depois desse descanso, abra a massa com um rolo até ficar com aprox. 0,5 cm de espessura. Forre duas formas para torta de 12 cm, ou uma maior, de 25cm. Corte as beiradas da massa e arrume bem bonitinho (a Martha ensina todos os truques aqui). Coloque no freezer enquanto preaquece o forno a 200 graus, uns 15 minutos .

Fure o fundo da massa com um garfo. Forre com papel manteiga e coloque uma boa quantidade de feijão cru, arroz, cru, grão de bico cru, o que tiver em casa. Assim a massa não infla. Leve ao forno por uns  15 minutos. Retire o papel manteiga com os feijões e volte ao forno até ficar dourado. Deixe esfriar para rechear.

Crème Pâtissière

  • 1  xicara de leite
  • 2 gemas
  • 1/4 xícara de açúcar
  • 1 colher sopa maizena
  • gotinhas de baunilha

Numa panela pequena, coloque o leite para ferver. Enquanto isso, bata as gemas com o açúcar até ficar bem branquinho (eu bati à mão, com fouet). Misture a maizena e bata mais um pouco. Retire o leite do fogo e coloque um pouco dele, quente mesmo, na mistura de gemas, misturando bem. Passe essa mistura de gemas para a panela com o restante do leite, volte ao fogo e cozinhe, mexendo sempre, em fogo baixo. Depois que engrossar, cozinhe por mais uns dois minutos, mexendo sem parar. Retire do fogo, junte a baunilha e coloque num recipiente de vidro, com plástico filme encostando na superfície do creme para não formar película. Deixe esfriar.

Doce de Banana

  • 4 bananas bem maduras
  • 1/2 xícara de açucar
  • 1 colher de sopa de manteiga
  • 1/4 xícara de água

Corte as bananas em rodelas. Coloque o açúcar numa panela média antiaderente. Leve ao fogo alto e deixe o açúcar derreter até ficar com uma cor de caramelo não muito escuro. Como diria Gordon Ramsey, “black is burnt” (se está preto está queimado), e açúcar continua cozinhando mesmo se a gente tirar do fogo. Quando tiver com aquela corzinha boa de bala de leite Kid’s, junte a manteiga, as bananas e vá pingando a água aos poucos, virando a panela. Vai espirrar tudo, o caramelo vai ficar duro e você vai pensar que vai tudo terminar no lixo. Abaixe o fogo e tenha paciência, não fique cutucando as bananas e você vai terminar isso tudo com uma linda calda com bananinhas douradas. Está pronto quando caramelo tiver virado calda, tipo uns 5 minutos. Espere esfriar para utilizar na torta.

Suspiro

  • 2 claras
  • 1/3 xícara açúcar

Leve as claras com o açúcar ao banho-maria, mexendo sempre,  até aquecer e dissolver o açúcar. Bata na batedeira até esfriar e formar um merengue brilhante e com picos firmes.

Montagem:

Na massa de torta assada, coloque uma camada de creme, uma de doce de bananas e cubra com o suspiro. Leve ao forno bem fraquinho até dourar e secar um pouco merengue. Espere esfriar e sirva!

torta banana cortada

UPDATE: A Zezé Pina, do blog Panela da Zezé (que está linkado no começo deste post), completa a informação sobre a criação do Manezinho Araújo:

Só para por mais umas pitadinhas na história do doce, ele foi inventado pelo Manezinho na década de 60 quando era proprietário do restaurante O Cabeça Chata no Rio de Janeiro, um dos primeiros restaurantes nordestinos na então Capital Federal do País.

Obrigada, Zezé!

Anúncios

19 comentários

  1. Mari diz:

    Menina, esse teu post me deixou com água na boca!! As fotos estão TUDO, e a sobremesa parece ser fantástica… ah, com certeza vou fazer em casa… adoro bananas, tanto in natura, como em doces… essa torta está perfeitérrima!!
    Super beijo

    Mari

    • thecookieshop diz:

      O nome é ótimo, e com o tempo a gente vai pegando uma intimidade que faz a gente chamar só pelo primeiro nome, sabe? Tipo: “mãe, faz um Manezinho?”…

    • thecookieshop diz:

      A falta de explicação da origem do nome sempre me levou a desconfiar que era tudo cascata da grossa, Mari. Mas taí – o relatório final da investigação inocentando as nossas mães.

  2. Zezé Pina diz:

    Olá Paula,

    Delícia o seu blog, adorei esta variante de Manezinho Araújo e vou fazê-la assim que as bananas fiquem madurinhas.
    Fiquei lisonjeada pelo link para o meu blog. Obrigada!
    Só para por mais umas pitadinhas na história do doce, ele foi inventado pelo Manezinho na década de 60 quando era proprietário do restaurante O Cabeça Chata no Rio de Janeiro, um dos primeiros restaurantes nordestinos na então Capital Federal do País.

  3. Raquel diz:

    Oi, Paula…
    Confesso que doce é meu fraco na hora de comer, mas que ando com taaaanta preguiça de fazer…
    Aí eu resolvi mandar os links de várias receitas pra minha mãe… porque aí ela faz, fica com a fama de engordadeira, e eu não tenho que limpar a sujeira depois!
    Espertinha, né?
    Mas essa de Manezinho Araujo pra mim é novidade… eu sempre conheci a receita como Maneco de Jaleco. E ninguém nunca soube explicar o nome por aqui também.
    Adorei sua explicação, e adorei também a ideia da torta.
    Mas vou te contar um segredo: detesto esse suspiro que vai em cima… eu sempre jogo o pobre meio de lado na hora de comer o doce… gosto mesmo das bananas carameladas e daquele creme delicioso!
    Aliás, suspiro pra mim só o verdadeiro. Suspiro daquele que gruda no dente, sabe?

  4. Sou radialista aqui em Cabo de Santo Agostinho, Pernambuco e fiquei muito feliz quando em trabalho de pesquisa sobre a essa grande historia do Manezinho Araujo encontrei essa pagina deliciosa. Parabéns

    No próximo dia 27 de setembro ele completaria 100 anos, vamos fazer uma dessas tortas para comemorar!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: