Resultados da pesquisa por "barrinha"

Meu lado cafona – barrinhas de limão cravo

Ontem de manhã fui entregar um bolo aqui próximo de casa e vi a Rita Cadillac passeando na rua com seus cachorros.

“E daí? “, me pergunta você. Daí que eu tenho uma confissão a fazer. Estão preparados? Então, segura Berenice: eu sou tiete de celebridades, digamos, populares.

Me coloca um Caetano Veloso, um Paulinho da Viola, uma Fernanda Montenegro na frente que eu nem ligo, mas se um dia eu encontro o Silvio Santos gente, vocês vão ter que me segurar, porque eu vou tirar foto, abraçar e pedir autógrafo.

Não sei como explicar essa admiração, mas acho que vem da infância, daquelas tardes felizes de domingo assistindo Qual é a Música, Chacrinha e Bolinha, com sua eterna e inesquecível Bolete séria, a dançarina que nunca ria. Minha mãe, que era muito PHYNA, desligava a TV, tentava desviar a minha atenção, mas era só ela distrair que lá estava eu de novo, admirando os jurados do Show de Calouros, e rindo a valer da Aracy de Almeida detonando os pobres candidatos a cantor.

E até hoje, quando vejo alguém com a roupa muito larga, lembro daquela brincadeira do Domingo no Parque que as crianças enchiam a roupa de bexigas e o Silvio ia estourando com um alfinete.

Bom, era isso gente, eu precisava desabafar esse meu lado cafona. Agora me sinto bem melhor e podemos falar de novo sobre receitas.

Barrinhas de Limão Cravo (adaptado das barrinhas super azedinhas de limão e limão siciliano da Pat Scarpin) – rende 16 pedaços

Um conselho: se você gosta de sabores azedinhos, FAÇA. Usei uns limões cravo (aqueles cor de laranja, super perfumados) que vieram de um sítio, e o sabor ficou especial – aliás, os limões cravo passaram o limão siciliano na minha escala limonística e agora são os meus preferidos. Dá pra encontrar fácil em bons supermercados e hortifrutis.

Ingredientes para a base de biscoito

½ xícara (113g) de manteiga sem sal, derretida
¼ xícara de açúcar refinado
¾ colher de chá de extrato de baunilha
¼ colher de chá de sal
1 xícara de farinha de trigo

Para a cobertura de limão
1 xícara + 2 colheres de sopa de açúcar refinado
3 colheres  de sopa  de farinha de trigo
3 ovos
raspas da casca de 2 limões cravo (ou 1 limão tahiti e 1 siciliano)
1/2 xícara de suco de limão cravo coado
açúcar de confeiteiro, para polvilhar (opcional)

Pré-aqueça o forno a 180°C. Unte com manteiga uma forma quadrada de 20cm e forre com papel alumínio, deixando uma sobra para fora da forma, como se fossem alças – elas ajudam na hora de desenformar. Unte com manteiga o papel no fundo e nas laterais.

Para a massa:

Em uma tigela, misture a manteiga derretida fria com o açúcar, a baunilha e o sal. Junte a farinha e misture bem – você vai obter uma massinha um pouco mole e oleosa. Passe essa massa para a assadeira preparada e pressione, deixando uniforme e preenchendo toda a superfície.

Pressione esta massa na forma preparada de maneira homogênea, preenchendo todos os cantinhos. Asse por 25 a30 minutos ou até a base assar totalmente, e estar dourada nas bordas.
Para a cobertura:

Enquanto a massa está assando, misture numa tigela média a farinha e o açúcar. Junte os ovos e misture bem. Junte as raspas e o suco de limão.

Quando a base estiver pronta, reduza o forno para 150°C. Derrame a mistura de ovos e limão sobre a massa, sem tirar a forma do forno. Asse por mais 25 minutos ou até firmar e não balançar no centro.
Deixe esfriar sobre uma grade e retire da forma com a ajuda das alças de papel alumínio. Corte os quadrados sobre uma tábua, com uma faca bem afiada, polvilhe açúcar de confeiteiro e sirva.

Se sobrar (o que eu duvido) guarde em geladeira, em recipiente tampado.

Experimentando coisas novas – Barrinhas de amêndoas e geléia de maracujá da caatinga

Alguém disse outro dia no twitter (não consigo me lembrar quem foi agora, quem souber me avise) que não se pode confiar em gente que se recusa a experimentar novos sabores. Na hora eu achei graça, mas isso é mesmo uma característica que eu não consigo entender em algumas pessoas – o não provei e já não gostei.

Eu adoro provar novidades – não posso ver uma fruta exótica, farinha esquisita ou receita diferente que já quero logo ir testando, coisa que já me levou a momentos felizes e outros nem tanto (como o inesquecível dia em que provei testículos de peru à milanesa, por exemplo).

Nas minhas andanças internéticas em busca de inspiração, acabei me deparando com um site bem interessante, que também tem esse espírito guloso/aventureiro: o Kakee. A idéia é bem legal – os donos do site tem a missão de rodar o Brasil e o mundo em busca de ingredientes e produtos regionais, artesanais ou simplesmente deliciosos e disponibilizar tudo numa loja virtual, tudo bem organizadinho.

Eu me apaixonei pelas geléias  (tem desde hibisco até capim santo com limão) e acabei comprando essa aqui:

Foto: Kakee

O sabor é bem diferente do maracujá azedinho – aliás, não se parece nada com maracujá, tem uma leve acidez, um fundinho de doce de abóbora, bem fraquinho, mas só provando mesmo para saber.

Barrinhas de amêndoas, açúcar mascavo e geléia de maracujá da caatinga (rende 12 barrinhas brandes)

O açúcar mascavo combinou divinamente com a geléia de maracujá da caatinga, ficou um sabor bem brasileiro – mas a receita dá certo e fica gostosa com qualquer geléia, com ou sem pedaços de frutas.

  • 1/2 xícara (100g) de manteiga sem sal em temperatura ambiente
  • 1 1/2 farinha de trigo
  • 1/2 colher de chá de canela em pó
  • pitada de sal
  • 1/4 colher de chá de fermento em pó
  • 1/2 xícara de açúcar mascavo
  • 1/4  xícara de açúcar refinado
  • 1 gema
  • 3/4 xícara de amêndoas picadas
  • 1/2 xícara de geléia de frutas de sua preferência
Unte com manteiga uma assadeira quadrada de 20cm. Preaqueça o forno a 180°.
Numa tigela, peneire a farinha de trigo o fermento, a canela e o sal. Reserve
Na batedeira, bata a manteiga e os açúcares até ficar cremoso e mais clarinho. Junte a gema e bata mais um pouco até ficar homogêneo. Junte toda a mistura de farinha de uma vez e bata em velocidade baixa somente até a farinha desaparecer na massa – vai virar uma farofa, não é para ficar uma massa coesa. Junte as amêndoas e misture com uma colher de pau.
Esfarele metade da massa na forma e aperte de leve. Espalhe a geléia sobre a massa (é uma camada bem fininha para não ficar enjoativo), mas não deixe chegar até as bordas para não grudar. Esfarele o restante da massa sobre a geléia e leve ao forno até dourar, uns 25 a 30 minutos.
Espere esfriar e corte em barrinhas ou quadrados.

Barrinhas de Limão e o Meu Muito Obrigada

LemonBars03_LOW

Para ler ouvindo: Pagode na Casa do Gago *

Nham, nham nham… Pra quem gosta de um limão, essas barrinhas são tudo! Daquelas azedinhas que fazem arrepiar os cabelos, sabe?

E tinha também aquela história do último post, das gemas solitárias na geladeira.

Vira e mexe eu via receitas de barrinhas de limão nos sites americanos e em livros de  receita bacanudos, achava as fotos lindas, mas nunca fazia. Me deparei com o blog Gas.tron.o.my e sua receita de lemon bars que leva várias gemas e tem umas fotos ótimas, bem explicativas.

Como não tinha as 7 gemas pedidas, fiz meia receita. Aliás,  fica aí a dica: sempre que faço uma receita pela primeira vez, divido. Se tiver que jogar tudo fora não dá tanta raiva, né?

Nesse caso, eu deveria ter feito a receita inteira, porque as barrinhas acabaram em uma sentada. E confesso que fui eu mesma quem comeu quase tudo.

* a música não tem nada a ver, mas é a única que eu lembrei que falava de limão…

LemonBars02_LOW

Barrinhas de Limão (16 pedaços)

Para a massa de biscoito

  • 1  1/4 xícara de farinha de trigo
  • 1/2 xícara de açúcar de confeiteiro
  • 1/2 colher de chá de sal
  • 100g de manteiga sem sal, temperatura ambiente, cortada em pedaços

Para a cobertura de limão

  • 7 gemas
  • 2 ovos inteiros
  • 1 xícara mais 2 colheres de sopa de açúcar
  • 2/3 xícara de suco de limão (usei limão siciliano, mas pode usar tahiti sem problemas)
  • 1/4 xícara de raspas de limão (não coloquei tudo isso, usei a casca de 1 limão e fiquei com preguiça de ralar mais)
  • 50g de manteiga, cortada em 4 pedaços
  • 3 colheres de sopa de creme de leite (não coloquei porque esqueci  😦  mas acho que deve dar uma quebrada no azedinho)

Mão na Massa

Preaqueça o forno a 180 graus. Forre uma assadeira quadrada de 20cm (ou duas daquelas para bolo inglês, de 20 X 10cm) com papel alumínio (usei papel manteiga) e unte com manteiga. Reserve.

No processador, coloque a farinha de trigo, o sal, o açúcar de confeiteiro e pulse para misturar. Junte a manteiga e processe até virar uma farofa úmida (aperte na mão – se “juntar”, já está bom). Coloque essa farofa na assadeira e aperte levemente, formando uma camada uniforme.

Leve ao forno e asse por mais ou menos 20 minutos, ou até ficar douradinho. Deixe amornando enquanto faz a cobertura. Não desligue o forno.

Cobertura

Numa panela, misture bem os ovos, as gemas, o açúcar, o limão e as raspas. Junte os pedaços de manteiga e leve ao fogo médio/ baixo. Cozinhe, mexendo sempre, por uns 5 minutos, ou até engrossar. Retire do fogo e passe por uma peneira, para tirar as raspas de limão e qualquer resquício de ovo que tenha cozinhado sem querer.

Misture o creme de leite e despeje a mistura sobre a camada de biscoito. Alise bem com uma espátula e leve ao forno novamente para firmar a cobertura, por mais ou menos 10 a 15 minutos. A cobertura vai estar mais opaca e parecida com gelatina quase firme. Deixe esfriar muito bem (por umas duas horas), retire da assadeira com a ajuda do papel alumínio e corte em quadrados. Polvilhe com açúcar de confeiteiro e sirva.

LemonBars01_LOW

********MOMENTO EMOÇÃO*********

Sem querer me afogar no meu próprio confete, preciso dizer que é com muita alegria e muita animação que The Cookie Shop, o blog, chegou aos 10 mil visitantes na última terça-feira! E aqui fica o meu MUITO OBRIGADA para as seguintes pessoas e entidades:

Aos sensacionais blogs Gorduchas Gostosas, SublimeSucubus e A Girafa, pelos posts fofos;

Às ídalas Bridget (Bake at 350) e Marija (Palashinka), pelo incentivo;

Ao Xandoca, Guilherme, Paula, Carol Grande, Carol Pequena, Ricardo e Pamela, Pimenta e Cinthinha: um beijo pro meu pai pra minha mãe e pra vocês;

E  todo mundo que comentou, fez as receitas e deu certo, fez as receitas e não deu certo (Inês) e  linkou prá cá…

Um beijo bem grandão!

Copinho Twix (biscoito, caramelo e chocolate)

taça twix

Final de ano tá corrido demais, e eu tinha preparado um caramelo bem delícia pra fazer umas barrinhas. Só que entraram umas coisas na frente na lista de prioridades e as barrinhas foram pro fim da fila, tipos em 25.009.679º lugar e aquele caramelo ali olhando pra minha cara a caba abertura de geladeira.

Como lidar? Fazendo aquele McGayver culinário né gente. E eis que nasce o copinho Twix, baseado em fatos reais e livremente inspirado na pecaminosa barrinha de chocolate.

Te digo apenas que: vai ter copinho twix em todas as festinhas de aniversário pra sempre no lugar do brigadeiro de colher, porque como ele é bem docinho fica ótimo em porções pequenas – fora que as camadinhas aparecendo ficam uma lindeza.

Se não quiserem fazer o copinho podem fazer só o caramelo mesmo, porque olha, ficou de passar na cara.

Twix de Copinho – Receita do caramelo original do site da Namaria Braga

rende 25 copinhos

Para o caramelo:

  • 50g de manteiga sem sal
  • 1 lata de leite condensado
  • 1/4 xícara de açúcar mascavo (medir apertando na xícara)
  • Flor de sal (opcional)

Para a cobertura de chocolate

  • 100g de chocolate meio amargo picado
  • 15g de manteiga sem sal

Para a base

  • biscoito moído/quebrado de sua preferência (usei uns amanteigados caseiros)

Prepare o caramelo: leve todos os ingredientes ao fogo médio mexendo sem parar. Quando ferver, abaixe o fogo e continue mexendo até engrossar. Deixe esfriar.

Prepare a cobertura: Derreta o chocolate com a manteiga em banho-maria ou no microondas. Reserve.

Montagem: coloque um pouquinho de biscoito no fundo de copinhos próprios para docinhos. Com a ajuda de um saco de confeitar coloque uma porção de caramelo em cada copo. Finaliza com uma camadinha de chocolate. Leve à geladeira para endurecer um pouquinho a cobertura e sirva.

Pode fazer com antecedência de até dois dias.

twix de copinho

Receitas com nomes fofos parte I – Amor em pedaços

amor em pedaços

Nas minhas pesquisas de receitas de antigamente sempre me deparo com doces curiosos. Tem  barriga de freira, pé de moça, manezinho araújo, pé de anjo, tabefe. E tem as românticas: beijo de mulata, bem-casados, casadinhos, nuvens, sonhos, e a lista é longa.

Algumas a gente ainda consegue encontrar a história do nome, outras só deus sabe, e o doce de hoje é uma dessas que a lenda se perdeu. Imagino que se chame amor em pedaços porque essas barrinhas são tão deliciosas quanto um pedacinho de amor (perdão pela cafonice). Pode ser também porque descascar e ralar um abacaxi pra fazer um doce pra alguém é uma verdadeira prova de amor, já que a receita é do tempo que os hortifrutis não vendiam as frutas sem casca pro pessoal mais preguiçoso.

Só sei que ficou uma delícia, impossivel comer um só.

Amor em Pedaços

adaptado daqui e daqui

rendimento: 15 pedaços grandes

Recheio

  • 1 abacaxi médio descascado, sem o miolo e cortado em cubinhos pequenos (pode passar levemente no processador se preferir, mas sem deixar virar suco)
  • 1 xícara de açúcar (refinado ou cristal)
  • 3 gemas
  • 1 xícara de coco ralado fresco

Massa

  • 1 xícara de açúcar refinado
  • 1 colher de chá de fermento em pó
  • 3 xícaras de farinha de trigo
  • 1 colher de café de sal
  • 200g de manteiga sem sal, temperatura ambiente, cortada em pedacinhos.
  • 1 ovo levemente batido

Prepare o recheio com antecedência, já que ele deve ser utilizado frio: numa panela grande coloque todos os ingredientes. Leve ao fogo médio mexendo sempre até secar bem o liquido e virar um doce com consistência de geléia – essa parte demora um pouco, tipo uns 20 a 30 minutos.

Deixe esfriar ou guarde em geladeira ou freezer para utilizar num outro dia.

Prepare a massa: preaqueça o forno a 190 graus. Forre uma assadeira retangular de mais ou menos 20X30cm com papel manteiga.

Numa tigela grande, misture o açúcar, fermento, farinha de trigo e sal. Junte a manteiga picadinha e esfarele com as pontas dos dedos até a farinha ficar amarelada e úmida, lembrando uma farofa. Junte o ovo e continue esfarelando a massa – não trabalhe em excesso, o objetivo é continuar com uma massinha esfarelada e quebradiça.

Distribua metade dessa farofa na assadeira e aperte levemente para forrar o fundo. Espalhe o recheio de abacaxi com a ajuda de uma espátula até quase chegar nas bordinhas. Cubra com o restante da farofinha, desta vez sem apertar.

Leve ao forno por aproximadamente 45 minutos, ou até dourar por cima. Deixe esfriar e corte em pedaços.

Pode ser guardado em recipiente vedado na geladeira por até 1 semana.

barrinhas abacaxi

Já decidiu o que vai fazer de sobremesa para a ceia de Natal?

E aí, já decidiu o que vai levar para a festa de Natal?

Não fique à mercê daquele sorvete de flocos/ passas ao rum que a sua tia leva todo ano, coloque a mão na massa e salve a sua ceia!

Fiz uma listinha recordando algumas das melhores sobremesas aqui do blog: tem fáceis e mais trabalhosas, mas todas muito gostosas e que foram para o trono do meu caderninho de receitas.

  1. Salame de Chocolate – facílima, rende bem e é uma delícia.
  2. Bolo de Cookies – trabalhosa, mas vale a pena e rende bastante.
  3. Barrinhas de Limão Cravo – pode ser feita com qualquer limão, média dificuldade.
  4. O Melhor Bolo de Maçã do Mundo – fácil, e sempre um sucesso.
  5. Tortinhas de Chocolate e Caramelo de Castanha do Pará – uma receita para cozinheiros mais experientes.
  6. Tortinhas de Maçã Assada – um pouco trabalhosas, mas uma delícia.
  7. Mini Cheesecakes com Calda de Mirtilo – média dificuldade, impossível comer um só.
  8. Pudim de Doce de Leite – facílimo e o preferido aqui de casa.
  9. Quindins da Vó da Lena – trabalhosa, mas o melhor quindim que você vai comer.

E vocês, têm alguma sugestão deliciosa de sobremesa?

Tradições de Natal – Shortbread de Castanha do Pará

Vocês sabiam que eu comecei a fazer cookies e biscoitinhos para dar de presente de Natal para os amigos mais queridos? Fiz a primeira vez num natal há milênios atrás e acabei descobrindo o presente perfeito – não existe no mundo quem não goste de ganhar uma latinha de gostosuras feitas com amor e capricho. De tanto que eu gostava dessa tradição de  fazer biscoito, acabei virando biscoiteira profissional.

Essa receita é ótima pra quem está aprendendo a fazer doces – é um biscoito de pouquíssimos ingredientes e que é assado num grande bloco, para ser cortado só depois que sai do forno em palitos ou tijolinhos. O segredo é a qualidade do que você for usar – tem que ser manteiga da boa, nada de margarina, e você vai provar os melhores amanteigados da sua vida.

Shortbread de Castanhas do Pará (adaptado da revista MS Holiday Cookies) – rende 32 palitinhos

Um abraço enorme pra minha amiga Caroline, que pelo segundo ano me manda essa revista especial de sobremesas de final de ano lá da Califórniaobrigada, querida!!

  • 200g de manteiga sem sal
  • 1/2 xícara de castanhas do pará
  • 2 xícaras de farinha de trigo
  • 3/4 de xícara de açúcar de confeiteiro
  • 1 colher de chá de sal (pode colocar menos se quiser)

No processador (deve dar certo no liquidificador também, mas eu não testei, tá?), bata 1/2 xícara da farinha com a castanha do pará, até virar uma farofinha. Misture com o restante da farinha e o sal e reserve.

Forre uma assadeira retangular de 20 x 30cm com papel manteiga, deixando uma sobra de papel sobrando nas laterais mais compridas – isso vai facilitar na hora de desenformar.

Na batedeira, bata a manteiga e o açúcar de confeiteiro até ficar claro e fofo. Junte toda a mistura de farinha de uma vez só e bata em velocidade baixa somente até toda a farinha estar misturada. Você vai obter uma massa pesada e que não espalha.

Transfira a massa para a assadeira preparada e aperte para deixar uniforme – eu usei um pedaço de plástico filme para não fazer meleca.

Cubra e deixe na geladeira para firmar por 20 minutos. Retire e risque a massa com uma faca – marque onde você vai cortar as barrinhas depois, eu fiz tijolinhos de uns 2cm por 3cm, mas pode fazer palitinhos também. Faça furinhos com um palito para o ar escapar e não formar bolhas.

Leve à geladeira novamente e deixe por 30 minutos – aproveite para preaquecer o forno a 170°C.

Asse por mais ou menos 40 minutos, ou até ficar dourado e firme. Retire da forma levantando as abas de papel manteiga e transfira para uma tábua. Corte as barrinhas nos lugares onde já estavam marcadas as linhas anteriormente.

Deixe esfriar sobre uma grade e guarde em pote tampado em local seco e fresco por até 15 dias.

%d blogueiros gostam disto: