docinhos

Palha italiana de chocolate da Chocolatria

palha italiana

Cês acreditam que eu nunca tinha feito palha italiana?

Acho que a razão principal é que eu detesto bolacha (ou biscoito) de maizena – ainda mais hoje em dia que parece que a maioria dos biscoitos industrializados são feitos de papelão.

Com a produção de biscoitos amanteigados para o natal a todo vapor por aqui sempre acabo com muitas sobrinhas de massa, aquelas rebarbinhas pequenas que nem vale a pena reaproveitar para fazer novos biscoitos mas dá dó de jogar fora sabe? O que eu tenho feito é assar esses pedacinhos de massa do jeito que estão e guardar numa lata. Assim dá pra ter um petisco para o cafezinho ou biscoitos caseiros para usar em outras receitas – como essa palha italiana de chocolate simplesmente divina da querida Simone da Chocolatria.

Arrisco dizer que quem ganhar um vidro delas no natal vai gostar mais de você para sempre e aquela sua tia que dá meias pra todo mundo vai ficar com cara de tacho.

Palha Italiana de Chocolate da Chocolatria

receita original aqui

rendimento: mais ou menos 30 quadradinhos pequenos

  • 1 lata de leite condensado
  • 2 colheres de sopa de manteiga com sal (poder usar sem sal de preferir)
  • 60g de creme de leite
  • 100g de chocolate meio amargo picado
  • 200g de biscoitos amanteigados quebrados (ou qualquer biscoito de sua preferência)
  • Açúcar refinado para cobrir

Prepare um refratário ou forma retangular pequena forrando com plástico filme.

Leve ao fogo numa panela de fundo grosso todos os ingredientes, menos os biscoitos. Leve ao fogo médio-baixo mexendo sem parar até ferver. Abaixe o fogo e continue mexendo até engrossar e desgrudar do fundo da panela, mais ou menos uns 10 minutos. A Simone dá a dica de testar o ponto num pires gelado, coloque um pouquinho da massa e veja se dá o ponto de enrolar.

Retire do fogo e misture os biscoitos quebrados. Passe para o refratário preparado com filme e arrume direitinho, alisando bem. Vede com mais plástico e leve à geladeira ou freezer para endurecer.

Retire o plástico e corte a placa em quadradinhos no tamanho que quiser. Passe pelo açúcar e guarde em potes vedados por até uma semana, ou congele se precisar guardar por mais tempo.

palha italiana chocolatria

Mini Cheesecakes de Oreo

cheesecake de oreo

Começo da História:

Outro dia fui num desses clubes de compras. Para preservar identidades e não citar nomes vamos chamá-lo doravante de Sal’s Glub.

Eu prometi pra mim mesma que só estava indo lá para comprar manteiga, porque é mais barato, vale a economia, que eu não ia comprar nada fora da lista e todas aquelas mentiras que a gente conta pra gente mesma quando vai no Sal’s.

Saí de lá com: 4 panetones, 1 caixa com 20 leites condensados, 1 condicionador tamanho 2 litros, 1 saco de dormir da rainha Elza de Arendelle, 1 pacote com 4 milhões de rolos de papel higiênico do tamanho da minha casa, 4 potes de cream cheese que estava baratérrimo e uns biscoitos de chocolate recheados com creminho branco. Na hora de passar no caixa minha anuidade estava vencida então teve ainda uma adição de uns 65 dinheiros no saldo total.

Quando cheguei em casa vi que esqueci a manteiga.

Fim da História.

Lidei com isso da maneira mais sensata: fiz esses mini cheesecakes de oreo, porque assim aproveitei as ofertas maravilhosas do cream cheese e e dos biscoitos com a desculpa de que tenho que postar receitas deliciosas pra vocês aqui no blog. E ficaram muito bons mesmo viu gente? Achei a receita bem fácil e a idéia do biscoitinho inteiro no fundo tem um fator surpresa que eu curti muito.

 

IMG_6759

Mini Cheesecake de Oreos

inspirada em receita do livro “Cupcakes”, Martha Stewart

rendimento: 18 a 20 unidades

  • 500g de cream cheese em temperatura ambiente
  • 150g de açúcar refinado (3/4 de xícara)
  • 2 ovos grandes ligeiramente batidos
  • 1 colher de chá de extrato ou essencia de baunilha
  • 150g de creme de leite (pode ser fresco, de caixinha ou de lata)
  • 18 a 20 biscoitos recheados tipo negresco ou oreo para colocar no fundo das forminhas e mais 8 unidades picadinhas

Coloque forminhas de cupcake em formas de muffin ou use daquelas durinhas que não precisa de forma (nesse caso coloque sobre uma assadeira). Ponha um biscoito inteiro no fundo de cada forminha. Aqueça o forno a 180 graus.

Bata o cream cheese na batedeira até ficar cremoso. Junte o açúcar aos poucos e bata até ficar um creme uniforme. Junte a baunilha e os ovos aos poucos batendo sem parar e raspando a lateral da tigela se necessário. Quando estiver bem homogêneo junte o creme de leite e bata mais um pouco.

Misture os biscoitos picados à mão mesmo. Distribua esse creme entre as forminhas preparadas, enchendo quase até a boca.

Leve ao forno por aproximadamente 20 minutos, ou até firmar um pouco o creme. Não é para dourar nem para passar no teste do palito: os cheesecakes ainda estarão meio moles, mas ao encostar o dedo em cima não estarão mais líquidos.

Espere esfriar e deixe descansar em geladeira por pelo menos 4 horas ou de um dia pro outro. Sirva geladinho.

mini oreo cheesecake

Amendoim Confeitado

amendoim confeitado

Amendoim doce, amendoim praliné, amendoim do tiozinho do farol (ou sinal pra quem não é de São Paulo). Uma receita simples mas que eu nunca tinha conseguido fazer dar certo: ou a casquinha esfarelava demais ou os amendoins ficavam meio carecas, com pouca cobertura.

Às vezes na vida só o que a gente precisa é a voz da experiência. Comentando com a tia de uma amiga dessa minha deficiência em fazer minducas do farol ela me deu todas as dicas de seus anos de prática e, pela primeira vez, os danados ficaram incríveis.

Vou passar pra vocês a receita com os macetes da tia, tá? Satisfação garantida!

Amendoim Confeitado

  • 2 xícaras de amendoim cru (tem que ser cru e com a pelinha roxa, senão o açúcar não gruda)
  • 2 xícaras de açúcar
  • 1 pitada gordinha de sal
  • 1 xícara de água
  • 2 colheres de sopa de chocolate em pó
  • 1 colher de chá de fermento em pó
  • canela em pau (opcional, dica da minha amiga Renata Damasio <3)

Junte todos os ingredientes em uma panela de fundo grosso – leve ao fogo alto mexendo sempre. É melhor se for uma panela alta, porque o fermento faz a mistura espumar e subir. Não tire o olho da panela, porque pode transbordar e a sujeira é de chorar (adivinha se eu não fiz isso?). Quando ferver abaixe o fogo para médio-baixo.

Aos poucos a mistura vai engrossando e ficando com menos espuma, continue mexendo até desgrudar do fundo da panela (no total dá uns 25 minutos de cozimento mais ou menos). Tire a panela do fogo e bata com a colher de pau até começar a açucarar. Pare de mexer e deixe esfriar por uns 10 minutos.

No começo a mistura espuma e sobe, depois vai engrossando até desgrudar da panela. Bata com a colher de pau até ficar como a segunda foto.

Com um garfo grande de duas pontas solte os amendoins e coloque para esfriar numa assadeira. Guarde em lata ou vasilha com tampa.

amendoim doce

Receitas com nomes fofos parte 2 – Toucinho do Céu

toucinho do ceu

Ah, os ovos, esses incompreendidos pela sociedade. Durante anos foram vilões da alimentação, de castigo ajoelhados no milho junto com a cafeína e a manteiga.

Mas como tudo muda nessa ciranda da vida e da nutrição, agora ~estudos indicam~ que o ovo e seus amigos café e manteiga estão liberados e quem deve ir mofar no cantinho da disciplina é o glúten.

Para comemorar essa redenção porque não enfiar o pé na jaca e fazer logo uma ode ao ovo, uma linda homenagem em forma de doce português?

Reza a lenda que esse nome lindo, Toucinho do Céu, deve-se à receita original levar banha de porco. Como todos os meus doces portugueses preferidos este é um doce conventual, criados pelas freiras internas nos conventos de Portugal. Pesquisei um pouco e existem inúmeras receitas, variando bastante os ingredientes e sua proporção – nos blogs das colegas portuguesas de Lisboa a versão mais comum vai um pouco de doce de abóbora na massa, talvez para dar mais cor, mas eu quis fazer ele amarelinho claro e com uma vaga lembrança de quindim.

Para esta receita utilizei gemas pasteurizadas – elas estão bem mais fáceis de encontrar (já vi para vender em dois supermercados e várias lojas de confeitaria aqui em São Paulo). Infelizmente as embalagens disponíveis no varejo são de 1 litro, e depois de abertas tem que ser usadas em até 24 horas, então vale a pena comprar só se tiver planos para muito doce com gemas.

Caso utilize os ovos comuns, as claras congelam muito bem em potinhos menores. Eu congelo de duas em duas e uso para suspiros, coberturas de marshmallow, suflês salgados, mousses e buttercream, é só deixar em temperatura ambiente por algumas horas.

Toucinhos do Céu

rendimento: 24 unidades

  • 500g de açúcar refinado
  • 200ml água
  • 1 colher de sopa de manteiga
  • 180g de amêndoas moídas ou farinha de amêndoas
  • 4 ovos
  • 12 gemas
  • gotas de extrato ou licor de amêndoas (opcional)

Numa panela média de fundo grosso, misture o açúcar e a água até dissolver um pouco. Leve ao fogo alto, sem mexer, até ferver e o açúcar dissolver, formando uma calda em ponto de fio. Coloque a colher de manteiga sobre a calda e deixe amornar.

Unte com manteiga e polvilhe com açúcar 24 forminhas de empada, quindim ou cupcake. Coloque as forminhas em uma forma grande e reserve. Preaqueça o forno a 170 graus (forno baixo).

Numa tigela misture as amêndoas, os ovos e as gemas. Passe essa mistura para a panela com a calda e misture bem, fora do fogo. Quando estiver bem homogêneo volte a panela ao fogo baixo, mexendo sempre, até engrossar e virar um creme leve. Desligue o fogo e misture o extrato de amêndoas ou licor.

Divida esse creme entre as forminhas e leve ao forno por mais ou menos 30 minutos, até passar no teste do palito.

Desenforme morno, quase frio, e polvilhe açúcar de confeiteiro ou açúcar gelado antes de servir.

Os toucinhos tem validade de 5 dias na geladeira, em pote com tampa.

toucinho do céu

 

Brigadeiro trufado de leite ninho

doce leite ninho

Engraçado como algumas coisas viram uma febre, todo mundo fica louco querendo, um monte de gente começa a fazer e depois parece que todo mundo enjoa ao mesmo tempo.

Já era assim antes da internet (o estrogonofe, tomate seco e petit gateau já foram chiquérrimos gente) e agora então a velocidade com que as coisas entram e saem da obsessão das pessoas é vertiginosa. Nem saímos do luto da morte do cupcake e já estão acumulando os corpos do bolo de churros e das paletas mexicanas na pilha dos finados.

Me causou curiosidade uma receita que está na boca do povo faz um tempinho, que é o tal brigadeiro de leite ninho. Já tinha ouvido falar de gente que comia leite ninho de colher quando criança, mas aparentemente eu era a única que a mãe não deixava cometer essa imprudência alimentar, já que deu uma loucura em todo mundo com esse sabor da infância repaginado.

Resolvi entrar nesse bonde do tigrão pra ver qualé, e sabe que fica bom? E que seja eterno enquanto dure esse amor.

Brigadeiro Trufado de Leite Ninho

Rendimento: 25 a 30 unidades

Para o brigadeiro:

  • 1 lata de leite condensado
  • 1 caixinha de creme de leite UHT (200g)
  • 4 colheres de sopa de leite em pó instantâneo (precisa ser instantânero para ficar bem lisinho)
  • 1 colher de sopa de manteiga sem sal em temperatura ambiente
  • Mais leite em pó (aproximadamente 1 xícara) ou raspas de chocolate branco para cobrir os docinhos

Para o recheio trufado:

  • 100g de chocolate ao leite picado
  • 100g de chocolate meio amargo picado
  • 100g de creme de leite de caixinha

Prepare o brigadeiro:

Numa panela antiaderente de fundo grosso, misture o leite condensado, o creme de leite e o leite em pó com um batedor de arame fora do fogo. Junte a manteiga e leve ao fogo médio-baixo mexendo sem parar até engrossar e desgrudar do fundo da panela. A consistência é parecida com a de um creme de confeiteiro, daqueles que vão dentro do sonho. Unte um refratário com manteiga e transfira a massa do doce. Cubra com plastico filme aderido a superficie e leve a geladeira. Esse brigadeiro boleia melhor quando gelado.

Prepare o recheio:

Coloque os dois chocolates em uma tigela resistente ao calor e leve ao microondas em potência média-alta para derreter em intervalos de 30 segundos. Quando estiver fluido misture o creme de leite e deixe descansar em temperatura ambiente – o recheio vai tomar consistência de trufa naturalmente, mas se estiver muito calor ou tiver  pressa pode levar um pouco à geladeira.

Faça os docinhos: com uma colherinha de café, faça pequenas porções do recheio trufado e vá colocando sobre um papel manteiga. Tem que ser bem pouquinho senão os brigadeiros ficam muito grandes.

Coloque o leite em pó ou raspas de chocolate branco em um prato fundo. Unte as mãos com manteiga e abra porções do brigadeiro na palma da mão, coloque um pedacinho do recheio e feche a massa branca ao redor. Passe no leite em pó e coloque em forminhas.

Pode ser guardado em recipiente fechado na geladeira por até 1 semana.

leite ninho trufado

E pra quem é fã desse sabor recomendo a receita de sorvete de leite ninho com Nutella no Prato Fundo.

Biscoitinhos com recheio de morango e limão (pink-lemonade)

IMG_5639

Lá vou eu escrever de novo sobre etiqueta na internet, mas preciso desabafar.

Acho engraçado quando a gente posta uma foto no facebook ou instagram de alguma coisa que a gente fez e as pessoas comentam entre elas como se quem postou a foto não estivesse lendo. Tipo: “olha que legal prima, vamos fazer essa receita, a que horas você vai chegar na casa da vó no domingo?”, e a prima responde “acho que chego em cima da hora pra não ter que conversar muito com o chato do tio Fulano kkkkk”, e por aí vai.

Mas também tem coisas que não são tão engraçadas como por exemplo “aff, quanto açúcar, esse doce tem diabetes no recheio”, ou até quando a gente posta a foto de um bolo decorado e alguém marca outra boleira “Fulana, você consegue fazer igual bem baratinho?” ou até o famigerado “quanto?”.

Como quem está na chuva é pra se queimar molhar eu nem ligo – minha forma de administrar comentários em todas as redes sociais sempre foi apagar somente aqueles ofensivos e que trollam de propósito.

Mas essa semana que passou aconteceu o inverso comigo. Eu seguia a página de uma doceria em São Paulo no Instagram – os doces de dar água na boca, mas eles atendem somente eventos, então ficava só na vontade de experimentar. Até que postaram que iriam abrir uma loja de donuts – me empolguei e já marquei uma amiga minha que ama donuts. E o que aconteceu? Minha marcação foi apagada e fui banida da página. Minha amiga (que nem doceira é) fã de donuts também foi banida da página.

Mandei um email pra loja tentando esclarecer – não é só porque eu sou doceira que não sou consumidora de doces né? Muito pelo contrário aliás. Não tive nenhuma resposta, e continuo banida da página. Fiquei mega chateada porque sempre acreditei que me comporto muito bem na terra das internetes, mas me fez pensar também que administrar um espaço virtual (e um negócio na vida real)  não é pra qualquer um mesmo. E pode ter certeza que essa futura loja de donuts terá duas clientes a menos.

Agora que eu desabafei (obrigada gente), segue uma receita bem simples de biscoitinhos com recheio de morango – eu achei eles lindos demais, e já imaginei uma linda bandeja de pedestal numa festa de chá de bebê, na mesa de café de um casamento mais rústico ou até para receber visitas numa maternidade. O curioso é que a receita pede só 1 morango – isso mesmo, uma unidade de morango. E podem marcar seus amigos à vontade na foto tá?😉

Biscoitinhos pink-lemonade

Adaptados da revista “Martha Stewart” de junho/2015

Rendimento: mais ou menos 25 unidades

Para a massa

  • 2 e 1/2 xícaras de farinha de trigo
  • 2/3 xícara de açúcar de confeiteiro
  • 1 pitada de sal
  • 200g de manteiga sem sal em temperatura ambiente
  • raspas da casca de 1 limão siciliano
  • 2 colheres sopa de suco de limão

Para o recheio

  • 1 morango bem madurinho
  • 1 xícara de açúcar de confeiteiro
  • 2 colheres de sopa de suco de limão

Forre duas assadeiras grandes com papel manteiga. Numa tigela, misture juntos a farinha, a metade do açúcar de confeiteiro, o sal e reserve.

Na batedeira, bata a manteiga com o restante do açúcar, as raspas e o suco de limão até ficar claro e fofinho. Junte a mistura de farinha e bata em velocidade minima somente para misturar.

Faça bolinhas de 4cm de diâmetro e coloque nas assadeiras preparas, com uma distância de dois dedos entre elas. Congele por 10 minutos enquanto preaquece o forno a 170 graus.

Asse na grade do meio do forno por 10 minutos. Tire a assadeira do forno e faça um buraquinho no meio de cada bolinha com o cabo de uma colher de pau e continue a assar por mais 10 a 15 minutos – até ficarem douradinhas embaixo. Deixe esfriar e polvilhe açúcar de confeiteiro antes de rechear.

Faça o recheio: numa tigela pequena, amasse o morango com um garfo até triturar bem. Junte o açúcar e o suco de limão, aos poucos, até ficar um creminho grosso. Com uma colherinha de café coloque o recheio em cada buraquinho dos biscoitos e deixe endurecer (demora uns 10 minutinhos). Os biscoitinhos podem ser guardados em pote com tampa por até uma semana.

pink lemonade cookies

Doce de abóbora de coração

IMG_1174

Um negócio que eu sempre quis saber como era feito era o doce de abóbora de coração.

Lembro bem da minha mãe falando quando a gente era criança que não dava pra fazer em casa, tinha que deixar descansar no sol um dia inteiro pra formar a casquinha. Muito me impressionou essa história do sol: ficava imaginando a fábrica de doce de abóbora com um quintalzão enorme cheio da assadeiras no chão com os corações secando por horas a fio. E se chovesse? Será que vinha um monte de funcionários com guarda-chuvas ou tinha que jogar tudo fora?

No fim das contas desisti de fazer os corações em casa, principamente porque a gente morava em apartamento e mamãe  me convenceu de que seria meio inconveniente ficar tomando conta dos doces na piscina do prédio.

Mas eu cresci e agora sou mulher (bj Sandy Júnior) e né, não é possível, tem que ter um jeito de fazer esse docinho sem depender das condições meteorológicas. Depois de exaustivas pesquisas o pessoal dos laboratórios The Cookie Shop chegou às seguintes conclusões:

1. Sim, existem receitas que pedem que o doce seque ao sol e minha mãe não estava tentando me enganar;

2. Porém o sol não serve pra nada porque o açúcar do doce cristaliza de qualquer jeito.

O processo foi bem fácil e pra mim deu super certo – se vocês fizerem me contem se gostaram!

IMG_5380

Doce de abóbora de coração


rendimento varia conforme o tamanho dos corações, cerca de 20 unidades

Algumas observações antes da receita: usei o mesmo peso da abóbora em açúcar, por exemplo, para 1 kg de abóbora, 1 kg de açúcar. Pode diminuir ou aumentar conforme a necessidade. A melhor abóbora para doces é a abóbora de pescoço ou abóbora seca. Pode usar também a abóbora paulista se não encontrar a outra.

O corte do doce em corações gera algum desperdício, já que sobram rebarbas. Dá também para esperar esfriar um pouquinho e modelar quenelles com duas colheres, ou ainda cortar em quadrados.

  • 700g de abóbora seca, descascada e cortada em cubos
  • 1 pauzinho de canela
  • 6 cravos
  • 1/2 xícara de água
  • 1 colher de chá de vinagre
  • 700g de açúcar cristal

Numa panela média coloque a abóbora, a canela, os cravos, o vinagre e a água. Tampe e deixe cozinhar em fogo médio até a abóbora ficar desmanchando. Se a água secar pode pingar um pouquinho mais.

Retire a canela e os cravos. Nesse momento, se a preferência for por um doce mais cremoso, passe a abóbora numa peneira ou bata com o mixer na panela mesmo. Se gostar do doce com mais textura (eu prefiro assim) amasse a abóbora com um garfo para desmanchar.

Junte o açúcar, misture e deixe cozinhar em fogo médio-alto com a panela destampada até restar pouco liquido.

Aproveite para untar a bancada ou uma assadeira com manteiga.

Comece a mexer o doce com uma colher de pau ou espátula de silicone como se fosse brigadeiro, até o liquido secar e desprender do fundo da panela. Nesse momento é importante não deixar cozinhar demais, senão o doce açucara totalmente quando esfria e vira uma rapadurinha de abóbora.

Passe o doce da panela para a bancada ou assadeira untada. Deixe amornar e firmar e corte os corações. Deixe descansar por algumas horas (deixei umas 3 horas) e vire para secar o outro lado.

Guarde em recipiente vedado. Validade de 5 dias.

IMG_5391

 

 

1 2 5
Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 1.597 outros seguidores

%d blogueiros gostam disto: