natal

Já decidiu o que vai fazer de sobremesa para a ceia de Natal?

E aí, já decidiu o que vai levar para a festa de Natal?

Não fique à mercê daquele sorvete de flocos/ passas ao rum que a sua tia leva todo ano, coloque a mão na massa e salve a sua ceia!

Fiz uma listinha recordando algumas das melhores sobremesas aqui do blog: tem fáceis e mais trabalhosas, mas todas muito gostosas e que foram para o trono do meu caderninho de receitas.

  1. Salame de Chocolate – facílima, rende bem e é uma delícia.
  2. Bolo de Cookies – trabalhosa, mas vale a pena e rende bastante.
  3. Barrinhas de Limão Cravo – pode ser feita com qualquer limão, média dificuldade.
  4. O Melhor Bolo de Maçã do Mundo – fácil, e sempre um sucesso.
  5. Tortinhas de Chocolate e Caramelo de Castanha do Pará – uma receita para cozinheiros mais experientes.
  6. Tortinhas de Maçã Assada – um pouco trabalhosas, mas uma delícia.
  7. Mini Cheesecakes com Calda de Mirtilo – média dificuldade, impossível comer um só.
  8. Pudim de Doce de Leite – facílimo e o preferido aqui de casa.
  9. Quindins da Vó da Lena – trabalhosa, mas o melhor quindim que você vai comer.

E vocês, têm alguma sugestão deliciosa de sobremesa?

Pelas barbas do Papai Noel – Biscoitos de Vitral

Ho Ho Ho, o Natal chegou! Pelo menos chegou nas filas dos shoppings, nas festas de firma, no trânsito insano e na quantidade absurda de comerciais de brinquedos que invade a TV.

E como estou ficando véia mesmo, não pude deixar de fazer uma reflexão de como o natal da minha infância é diferente do natal de hoje.

Primeiro que a gente esperava o ano todo pra ganhar aquele presentão bom do Papai Noel, e o presente bom era um só, visto que dos parentes a gente ganhava mesmo era um bom feliz natal, um pijama e uma nota de dérreal da vó.

Minha filha já ganhou tantos brinquedos esse ano que, não tendo mais o que desejar, pediu uma bola de praia. Isso mesmo, uma bola de praia. E a gente nem tem casa na praia, não tem piscina no prédio, enfim, total falta do que pedir.

Segundo: quando eu era criança, o Papai Noel era uma entidade que não era vista por ninguém, ele só vinha deixar os presentes depois que a gente ia dormir e lá estavam eles debaixo da árvore no dia seguinte. Chegaram a inventar uma moda de fantasiar um tio com uma barba descabelada depois da ceia, mas tava na cara que era fake, gente, nem criancinha acreditava.

Hoje em dia é assim: as crianças são íntimas do Papai Noel, já que a cada vez que vão ao shopping ele está lá pronto para bater um papo amigo, e com uma barba de alto nível, totalmente verdadeira. Minha filha já conversou com o Papai Noel pessoalmente umas dez vezes esse ano, totalmente BFF.

Mas ela está curtindo tudo o que envolve as festas, e quando criança curte a gente curte também, né? Então decoramos nossa linda árvore comprada no supermercado lotado por 19,99 com enfeites antigos, alguns novos, coisas que não são enfeites (ela colocou lá no meio uma carta de baralho, um seis de copas, e disse que era uma carta de amor, hahaha) e  esses biscoitinhos que fizemos numa tarde preguiçosa.

Biscoitos de Vitral

Para a massa, usei uma receita de gingerbread que publiquei aqui no ano passado (a receita da massa está nesse link).

Para fazer os biscoitinhos, você vai precisar de:

  • 1 receita da massa de gingerbread
  • balas duras ou pirulitos coloridos (tem que ser bala dura tipo Halls, ou pirulitos que não tenham recheios de chiclete)
  • 1 tapete de silicone (silpat) ou teflon
  • cortadores de biscoitos de vários tamanhos

Preaqueça o forno a 180 graus. Forre uma assadeira com o tapete de silicone e reserve.

Coloque as balas num saco de plástico grosso, embrulhe num pano e triture com um martelo de bife até pulverizar.

Numa superfície de trabalho polvilhada com farinha de trigo, corte os formatos maiores dos biscoitos. Coloque-os na assadeira preparada deixando um espaço de um dedo entre eles. Com os cortadores menores, faça a parte “vazada”, onde vai se formar o vitral.Se quiser, faça também um furinho com um canudo para passar uma fita e pendurar na árvore.

Leve ao forno por 5 minutos.

Coloque nos vazados dos biscoitos uma boa porção do farelinho das balas – pode ficar alto, porque quando derreter fica uma camada fininha de bala, assim ó:

Leve ao forno para terminar de assar por mais 10 minutos, ou até a bala derreter totalmente.

Retire do forno e aguarde 10 minutos antes de tirar da assadeira. Deixe esfriar e utilize.

Obs.: A parte da bala não dura muitos dias – uma hora ela acaba melando, mas as crianças parecem não se importar e vão comendo mesmo assim 🙂

Minha lente quebrada e os World Peace Cookies

Desculpa aí gente – eu queria era estar postando lindas sugestões para o natal, com pinheirinhos, laços dourados e papais noéis, mas aconteceu uma coisa muito triste: a lente da minha câmera quebrou. Simplesmente se despedaçou ao meio.

E ninguém, ninguém mesmo, acredita em mim que o negócio quebrou sozinho. Talvez seja porque o cara da autorizada tenha reparado que tinha um pouco de farinha no corpo da câmera. E eu comentei que uso o equipamento para fotografar comida. Enfim, o pessoal da loja de fotografia me olhou muito estranho e tenho certeza que perdi o respeito deles para sempre.

(Posso imaginar a cara que fariam para a minha amiga Alessandra, que teve a surpresa de descobrir que uma família de MINIARANHAS  estava morando na sua câmera)

Anyway, as fotos desses biscoitinhos estavam guardadas para uma época menos festiva do ano, mas não vejo porque eles não possam fazer parte do cafezinho pós almoço de natal, ou até mesmo servir como um belo presente, embalados numa caixinha ou lata caprichada – são meus biscoitos de chocolate favoritos, afinal de contas. Se quiser dar uma incrementada ainda maior, banhe os cookies em chocolate que você vai ver o que é felicidade na vida.

Pode dar uma googlada no nome dos danados que vocês vão ver como são bem famosos, porque além do sabor intenso de chocolate e da textura amanteigada, eles levam um pouco de flor de sal na massa – parece esquisito, mas são de chorar de bons, especialmente se os ingredientes forem de ótima qualidade.

World Peace Cookies (do livro Baking, From my Home to Yours) – rende mais ou menos 36 cookies

  • 1 1/4 xícara de farinha de trigo
  • 1/3 xícara de cacau em pó
  • 1/2 colher (chá) de bicarbonato de sódio
  • 140g de manteiga em temperatura ambiente
  • 2/3 xícara bem apertados de açúcar mascavo claro
  • 1/4 xícara de açúcar
  • 1/2 colher (chá) de flor de sal (ou 1/4 de colher de chá de sal comum)
  • 1 colher (chá) de extrato de baunilha
  • 3/4 xícara de chocolate meio amargo em gotas ou em pedacinhos

Numa tigela, peneire a farinha, o cacau e o bicarbonato juntos. Reserve.

Na batedeira, bata a manteiga por 2 minutos em velocidade média até que ela fique cremosa. Junte o açúcar mascavo e o açúcar, o sal e a baunilha e bata até ficar clarinho e fofo.

Junte a mistura de farinha de uma vez e misture em velocidade baixa, somente até não haver mais vestígios de farinha. Não bata demais pra não trabalhar a massa em excesso.

Junte os pedaços de chocolate e misture para distribuir na massa.

Numa superfície de trabalho, divida a massa em duas partes e forme um rolinho com cada uma (de mais ou menos 4cm de diâmetro). Embrulhe cada um em plástico filme como se fossem salames e  leve à geladeira por 3 horas (pode ficar 2 dias na geladeira ou congelar).

Forre duas assadeiras com papel manteiga e preaqueça o forno a 160ºC-170°C.
Com uma faquinha afiada, corte rodelas da massa de mais ou menos 1cm de espessura, bem gordinhas. Se eles despedaçarem, dê uma apertadinha na massa para juntar de novo.

Asse por 12 minutos – eles não irão parecer prontos, e se apertados com a ponta do dedo estarão ainda macios, mas é assim mesmo. Deixe esfriar por 5 minutos na assadeira e transfira para uma grade para esfriarem completamente.

%d blogueiros gostam disto: