sem gluten

O meu brigadeiro 2.0

Já tem algumas receitas de brigadeiro aqui no blog, mas a verdade é que a experiência desses anos todos e a necessidade de agilizar a produção fazem com que a gente mude algumas coisas, troque de receita e vá adaptando processos para formas mais eficientes de trabalhar.

Esse brigadeiro não é para aqueles que querem um docinho puxa-puxa com gostinho de nescau, com tequinhos que grudam no dente – esse todo mundo sabe fazer, e quem não sabe: 1 lata de leite condensado, 3 colheres de achocolatado, 1 colher de manteiga, fogo médio mexendo sempre até desgrudar do fundo da panela. Se quiser aquelas pelota desgraçada que grudam na obturação deixe o fogo alto e vá lutando com o brigadeiro pra ele não queimar. Essa receita pode ter gostinho de infância mas não serve pra vender: açucara e dificilmente mantém o formato redondinho.

Vou deixar aqui a receita que tenho usado ultimamente – é macio, mais cremoso e não cristaliza mesmo depois de alguns dias.

Brigadeiro 2,0

Rendimento: 30 unidades

  • 1 lata de leite condensado
  • 90g de creme de leite de caixinha
  • 10g cacau em pó (ou 20g de chocolate em pó 50%)
  • 10g de leite em pó integral instantâneo
  • 25g de chocolate meio amargo picado
  • 15g de manteiga sem sal
  • chocolate granulado (procure os que são de chocolate de verdade, não vou indicar marcas, tá?)

Para fazer brigadeiro eu tenho uma panela de inox de fundo grosso, na minha opinião é a melhor para a tarefa, mas pode usar a que você tiver.

Na panela, misture bem o leite condensado, creme de leite, cacau e leite em pó. junte o chocolate meio amargo e a manteiga e leve ao fogo médio mexendo sempre com um fouet até começar a borbulhar e engrossar. Abaixe o fogo e continue mexendo sempre, agora com uma espátula de silicone, por mais ou menos 10 minutos, ou até a mistura ficar com uma consistência de creme de confeiteiro, desgrudando do fundo da panela. Não deixe cozinhar demais para não perder o ponto.

Passe a massa do brigadeiro para uma travessa rasa e cubra com plástico filme aderido à superfície do doce. Deixe esfriar e leve para a geladeira por uma hora ou até o dia seguinte se quiser.

Para enrolar, passe manteiga nas mãos, boleie porções no tamanho desejado e passe no chocolate granulado. Arrume em forminhas e sirva no mesmo dia, ou guarde em recipiente vedado por até 5 dias.

Uma trovinha e um quindão

quindao-2

Ó quindim

Porque és tão delicioso assim?

Quero um inteiro todinho pra mim

Mas o quê? Já acabou em um só minutim!

Não sei lidar com essa emoção.

A solução?

Um quindão.

quindao-fatia

O quindão é mesmo a solução pra várias coisas da vida, seja resolver uma sobra grande de gemas, seja uma preguiça de untar forminhas pra fazer vários quindins, seja uma lombriga inquieta querendo um açuquinha.

Seja quindim, seja quindão (que nada mais é do que um quindim grandão) pra mim esse é o doce brasileiro mais gostoso de todos desde Pedro Álvares Cabral. E como todo doce antigo, não é necessariamente difícil de fazer porém tem seus rituais.

Nem sempre eu acredito na eficiência desses processos (ALERTA POLÊMICA: eu não aceito que seja a pele das gemas que deixa cheiro de ovo nos doces até que me tragam provas concretas e façam um teste cego) mas esse é um dos poucos casos em que eu respeito todas as mandingas da receita.

Quindão  (do caderno de receitas da família)

  • 1 coco fresco ralado ou 1 pacote de 100g de coco em flocos hidratado em meia xicara de água quente
  • 450g de açúcar refinado
  • 24g (2 colheres de sopa) de manteiga
  • 16 gemas
  • extrato de baunilha

Derreta a manteiga em uma panelinha em fogo baixo. Deite o coco ralado, o açúcar e a manteiga derretida numa tigela e misture bem com as mão até ficar uma mistura bem úmida.

Peneire as gemas sobre a mistura do coco, adicione algumas gotinhas do extrato de baunilha e misture bem, sem bater, até ficar bem homogêneo. Cubra e deixe descansar por uma hora.

Unte uma forma de furo no meio de 20cm de diâmetro com manteiga e polvilhe açúcar. Deite a massa na forma, cubra com papel alumínio e deixe descansar por mais uma hora.

Aqueça o forno a 200 graus. Prepare um banho-maria no forno, colocando uma assadeira grande com água quente na grade do meio. Coloque a forma dentro da água do banho-maria e deixe assar, coberto, por 1h30. Verifique de vez em quando a água e se estiver muito baixa complete com mais.

Tire o papel alumínio e deixe mais 30 minutos para dourar o coco. Retire do forno, deixe amornar e desenforme sobre um prato de servir.

quindao

Sorvete de cheesecake

sorvete-de-cheesecake

 

Sabe aquelas receitas que é só abrir a geladeira ou a despensa e todos os ingredientes estão ali? É só pegar tudo e ir pra cozinha? Então, essa não é uma delas.

Eu tenho uma lista interminável dessas receitas, parece aquelas cartas quilométricas que os fãs mandam pros seus ídolos.

577156_235309963246528_100003025788406_31554637_587375731_n

SIMULAÇÃO

Pra elas saírem do papel é preciso  que os astros se alinhem, todos os ingredientes estejam na minha cozinha e, o mais importante, a preguiça esteja de folga naquele dia.

Foi o caso desse sorvete de cheesecake, que aconteceu num momento de quase milagre/cometa halley em que o cream cheese e o creme de leite estavam na promoção em plena época de morangos. Não precisou nem espantar a preguiça já que a única coisa que vai ao fogo é a caldinha, o resto é só bater no processador e gelar na sorveteira.

Adorei o sorvete, a receita com certeza foi pro trono pelo sabor, cremosidade e praticidade. Luan, pode riscar aí da nossa lista.

Sorvete de cheesecake com calda de morango – adaptado do blog Joy the Baker

rendimento: 6 porções

  • 1 caixinha de morangos (lavados, sem folhas e cortados em quartos)
  • 60g de açúcar refinado (para a calda)
  • 300g de cream cheese gelado
  • 240g de creme de leite fresco gelado
  • 250ml de leite gelado
  • 210g de açúcar refinado (para o sorvete)
  • raspas de limão ou extrato de baunilha

Comece pela calda: leve os morangos e os 60g de açúcar ao fogo numa panela e cozinhe em fogo médio-baixo até ferver e o açúcar dissolver. Os morangos solta bastante suco, mas se ficar muito seco pode colocar um pouquinho de água. Deixe a calda de morangos esfriar antes de usar.

Para o sorvete: bata todos os outros ingredientes no processador até ficar uniforme e leve esse creme para a máquina de sorvete seguindo as instruções do fabricante. Normalmente eu deixo meus sorvetes na sorveteira por no máximo 25 minutos.

Passe o sorvete para um recipiente que possa ir ao freezer intercalando com a calda de morangos fria ou gelada, formando um leve marmorizado. Tampe e leve ao freezer ou congelador por pelo menos 3 horas para firmar antes de servir. Sugestão: sirva com biscoitinhos amanteigados, que farão as vezes da massinha do cheesecake.

 

strawberry-cheesecake-icecream

 

 

Save

Save

1 2 17
%d blogueiros gostam disto: