sobremesas

Uma trovinha e um quindão

quindao-2

Ó quindim

Porque és tão delicioso assim?

Quero um inteiro todinho pra mim

Mas o quê? Já acabou em um só minutim!

Não sei lidar com essa emoção.

A solução?

Um quindão.

quindao-fatia

O quindão é mesmo a solução pra várias coisas da vida, seja resolver uma sobra grande de gemas, seja uma preguiça de untar forminhas pra fazer vários quindins, seja uma lombriga inquieta querendo um açuquinha.

Seja quindim, seja quindão (que nada mais é do que um quindim grandão) pra mim esse é o doce brasileiro mais gostoso de todos desde Pedro Álvares Cabral. E como todo doce antigo, não é necessariamente difícil de fazer porém tem seus rituais.

Nem sempre eu acredito na eficiência desses processos (ALERTA POLÊMICA: eu não aceito que seja a pele das gemas que deixa cheiro de ovo nos doces até que me tragam provas concretas e façam um teste cego) mas esse é um dos poucos casos em que eu respeito todas as mandingas da receita.

Quindão  (do caderno de receitas da família)

  • 1 coco fresco ralado ou 1 pacote de 100g de coco em flocos hidratado em meia xicara de água quente
  • 450g de açúcar refinado
  • 24g (2 colheres de sopa) de manteiga
  • 16 gemas
  • extrato de baunilha

Derreta a manteiga em uma panelinha em fogo baixo. Deite o coco ralado, o açúcar e a manteiga derretida numa tigela e misture bem com as mão até ficar uma mistura bem úmida.

Peneire as gemas sobre a mistura do coco, adicione algumas gotinhas do extrato de baunilha e misture bem, sem bater, até ficar bem homogêneo. Cubra e deixe descansar por uma hora.

Unte uma forma de furo no meio de 20cm de diâmetro com manteiga e polvilhe açúcar. Deite a massa na forma, cubra com papel alumínio e deixe descansar por mais uma hora.

Aqueça o forno a 200 graus. Prepare um banho-maria no forno, colocando uma assadeira grande com água quente na grade do meio. Coloque a forma dentro da água do banho-maria e deixe assar, coberto, por 1h30. Verifique de vez em quando a água e se estiver muito baixa complete com mais.

Tire o papel alumínio e deixe mais 30 minutos para dourar o coco. Retire do forno, deixe amornar e desenforme sobre um prato de servir.

quindao

Sorvete de cheesecake

sorvete-de-cheesecake

 

Sabe aquelas receitas que é só abrir a geladeira ou a despensa e todos os ingredientes estão ali? É só pegar tudo e ir pra cozinha? Então, essa não é uma delas.

Eu tenho uma lista interminável dessas receitas, parece aquelas cartas quilométricas que os fãs mandam pros seus ídolos.

577156_235309963246528_100003025788406_31554637_587375731_n

SIMULAÇÃO

Pra elas saírem do papel é preciso  que os astros se alinhem, todos os ingredientes estejam na minha cozinha e, o mais importante, a preguiça esteja de folga naquele dia.

Foi o caso desse sorvete de cheesecake, que aconteceu num momento de quase milagre/cometa halley em que o cream cheese e o creme de leite estavam na promoção em plena época de morangos. Não precisou nem espantar a preguiça já que a única coisa que vai ao fogo é a caldinha, o resto é só bater no processador e gelar na sorveteira.

Adorei o sorvete, a receita com certeza foi pro trono pelo sabor, cremosidade e praticidade. Luan, pode riscar aí da nossa lista.

Sorvete de cheesecake com calda de morango – adaptado do blog Joy the Baker

rendimento: 6 porções

  • 1 caixinha de morangos (lavados, sem folhas e cortados em quartos)
  • 60g de açúcar refinado (para a calda)
  • 300g de cream cheese gelado
  • 240g de creme de leite fresco gelado
  • 250ml de leite gelado
  • 210g de açúcar refinado (para o sorvete)
  • raspas de limão ou extrato de baunilha

Comece pela calda: leve os morangos e os 60g de açúcar ao fogo numa panela e cozinhe em fogo médio-baixo até ferver e o açúcar dissolver. Os morangos solta bastante suco, mas se ficar muito seco pode colocar um pouquinho de água. Deixe a calda de morangos esfriar antes de usar.

Para o sorvete: bata todos os outros ingredientes no processador até ficar uniforme e leve esse creme para a máquina de sorvete seguindo as instruções do fabricante. Normalmente eu deixo meus sorvetes na sorveteira por no máximo 25 minutos.

Passe o sorvete para um recipiente que possa ir ao freezer intercalando com a calda de morangos fria ou gelada, formando um leve marmorizado. Tampe e leve ao freezer ou congelador por pelo menos 3 horas para firmar antes de servir. Sugestão: sirva com biscoitinhos amanteigados, que farão as vezes da massinha do cheesecake.

 

strawberry-cheesecake-icecream

 

 

Save

Save

Precisamos conversar sobre a touca + receita de torta de morangos

torta de morango

Essa semana me deu uma vontade muito grande de conversar com vocês sobre um assunto meio mala, então senta que lá vem história.

Sei que não devo, mas muitas vezes acabo caindo naquela armadilha dos tempos modernos que é ler comentários de posts da internete. É igual briga de vizinho, que a gente fica não querendo ouvir mas ouve, sabe? Pois então.

O post em si era um video de uma moça cozinhando e conversando com uma apresentadora. O conteúdo da receita e a identidades dos envolvidos não são a questão, mas sim os comentários sobre a aparência das pessoas e suposta falta de higiene com o preparo daquela comida.

Não é a primeira vez que eu vejo isso em videos de receita: vem um monte de elogios falando ai que delícia e aí chega O/A DIFERENTÃO/DIFERENTONA e manda o NOSSA QUE FALTA DE HIGIENE JAMAIS COMERIA UMA COMIDA FEITA POR ESSA PESSOA QUE ESTÁ SEM TOUCA/LUVAS/MÁSCARA/SNORKEL/BURCA.

Vamos respirar fundo, contar até dez e refletir um pouco sobre isso amiguinhos?

Numa cozinha profissional existem sim algumas exigências de higiene pessoal e itens de proteção. Estes dependem um pouco do que será fabricado, normas da empresa e da legislação local, mas normalmente envolvem um uniforme/avental/dólman que deve ser usado somente no ambiente da cozinha, cabelos presos e protegidos e mãos limpas.

Pergunta: Mas Paula, a pessoa está sem luvas! SEM LUVAS!!! ECA!!!!

Resposta: Ce jura? Pois saiba que o uso de luvas não é necessário nem obrigatório pelas normas da Anvisa/SP desde 2013. Já ouviram falar em água e sabão? Então.

Pergunta: Mas e a máscara? Vai ficar respirando em cima da comida???? ECA!!!!

Resposta: O cozinheiro está doente? Vai usar preparos em pó que podem ser aspirados por ele prejudicando a sua saúde? Vai ficar falando e jogando perdigotos em cima da comida igual você e o pessoal da firma fazem na fila do quilão? Então não precisa de máscara.

Pergunta: Mas ela está usando esmalte!! E brinco!! E maquiagem!!!

Resposta: Ah vá! Será que é porque está num programa de TV/ video da internet para te ensinar umas receitinhas e não numa cozinha profissional? E por acaso tu ia querer aparecer toda cagada feia na TV minha amiga?

Programa de tv/video do YouTube são formas de entretenimento, portanto se a pessoa quiser por no ar um show de culinária com o apresentador fazendo uma pizza de calabresa peladão ele pode, e acho que não vem ao caso questionar boas práticas na produção de alimentos nesse caso né? (QQ foi? Já vimos coisa pior na pizzaria Bate Papo).

E vocês queridos leitores, o que pensam sobre esse assunto? Contem pra gente aí nos comentários!

Agora fiquem com a torta de morangos e de volta à nossa programação normal.

Torta de Morangos com Creme de Baunilha (rende uma torta de 23cm de diâmetro)

Essa torta é aquela classicona da padoca, só que melhor, já que a massa é feita com manteiga e o creme com baunilha em fava.

Massa para torta doce

  • 1 e 1/4 xícara (175g) de farinha de trigo
  • 1/3 de xícara (65g) de açúcar refinado
  • 1/4 colher de chá de sal
  • 115g de manteiga sem sal gelada em pedaços
  • 1 gema de ovo grande
  •  mais ou menos 4 colheres de água gelada

Na batedeira planetária com o batedor de raquete, no processador ou à mão mesmo misture os ingredientes secos. Adicione a manteiga e bata/pulse ou misture com as pontas dos dedos (como se estivesse esfarelando) até formar uma farofa grossa e úmida. Com a batedeira ou processador ligados  junte a gema e em seguida a água gelada aos poucos, até a massa se juntar. Se for à mão faça o mesmo, vá adicionando os líquidos aos pouquinhos somente até a massa se juntar, não pode ficar grudenta nem mole.

Junte a massa num disco e embale em plástico filme. Deixe na geladeira por uns 20 minutos.

Abra a massa com um rolo e forre uma forma para torta canelada com fundo falso de 23 a 25cm de diâmetro, apertando bem as laterais. Corte o excesso com uma faquinha e fure o fundo com um garfo. Leve ao freezer enquanto faz o creme.

Aqueça o forno a 190 graus. Unte uma folha de papel alumínio com spray ou óleo e coloque essa parte untada em contado com a massa da torta. Encha com feijões ou outro grão cru (ou os pesinhos de cerâmica da Claudia) coloque a forma da torta sobre uma assadeira maior (pode vazar manteiga derretida no seu forno!) e asse por 20 minutos. Retire o papel alumínio e os feijões e asse por mais 15 a 20 minutos, até dourar bem.

Crème Pâtissière

  • 2 xícaras (500ml) de leite integral
  • 1 fava de baunilha (ou 2 colheres de chá de extrato)
  • 5 gemas
  • 1/2 xícara (100g)  de açúcar refinado
  • 1/4 de xícara (40g) de farinha de trigo
  • 2 colheres de sopa (28g) de manteiga gelada em pedaços grandes

Numa panela média coloque o leite, as sementinhas e a fava da baunilha (se for usar extrato coloque só no final). Leve ao fogo para aquecer bem, mas não deixe ferver.

Enquanto o leite aquece, bata numa tigela as gemas e o açúcar até ficar bem clarinho. Junte a farinha e misture bem.

Retire a fava do leite. Com a ajuda de uma concha, coloque um pouco do leite quente sobre as gemas e mexa rapidamente com um fouet. Vá colocando o restande do leite nas gemas, mexendo sempre, até ficar homogêneo. Volte a mistura para a panela e leve ao fogo baixo até engrossar, mexendo sempre. Depois que engrossar totalmente continue cozinhando e mexendo o creme por mais 1 ou dois minutos, para que não fique com gosto de farinha crua.

Retire do foto e junte a manteiga gelada, mexendo muito bem até ficar bem sedoso. Passe para uma tigela e cubra com plástico filme aderido à superfície do creme para não formar película. Deixa na geladeira até a hora de usar.

IMG_7541

Montagem/Cobertura

  • 2-3 caixinhas de morangos maduros, lavados, sem folhinhas e cortados ao meio para cobrir a torta
  • 1/2 xícara de morangos (escolha os mais feinhos) picados
  • 1/2 xícara de água
  • 1/4 de xícara de açúcar
  • 2 colheres de chá de amido de milho

Recheie a massa da torta com o creme de baunilha frio. Arrume os morangos sobre o creme e leve à geladeira enquanto faz a calda de brilho: leve os morangos pixados e a agua ao fogo e deixe ferver. Passe tudo numa peneira e volte o suco para a panela. Misture o açúcar e o amido e leve ao fogo até engrossar bem. Tire a torta da geladeira e pincele/despeje essa calda sobre os morangos para dar brilho. Deixe a torta gelar por pelo menos 3 horas antes de desenformar e servir.

 

strawberry tart

Copinho Twix (biscoito, caramelo e chocolate)

taça twix

Final de ano tá corrido demais, e eu tinha preparado um caramelo bem delícia pra fazer umas barrinhas. Só que entraram umas coisas na frente na lista de prioridades e as barrinhas foram pro fim da fila, tipos em 25.009.679º lugar e aquele caramelo ali olhando pra minha cara a caba abertura de geladeira.

Como lidar? Fazendo aquele McGayver culinário né gente. E eis que nasce o copinho Twix, baseado em fatos reais e livremente inspirado na pecaminosa barrinha de chocolate.

Te digo apenas que: vai ter copinho twix em todas as festinhas de aniversário pra sempre no lugar do brigadeiro de colher, porque como ele é bem docinho fica ótimo em porções pequenas – fora que as camadinhas aparecendo ficam uma lindeza.

Se não quiserem fazer o copinho podem fazer só o caramelo mesmo, porque olha, ficou de passar na cara.

Twix de Copinho – Receita do caramelo original do site da Namaria Braga

rende 25 copinhos

Para o caramelo:

  • 50g de manteiga sem sal
  • 1 lata de leite condensado
  • 1/4 xícara de açúcar mascavo (medir apertando na xícara)
  • Flor de sal (opcional)

Para a cobertura de chocolate

  • 100g de chocolate meio amargo picado
  • 15g de manteiga sem sal

Para a base

  • biscoito moído/quebrado de sua preferência (usei uns amanteigados caseiros)

Prepare o caramelo: leve todos os ingredientes ao fogo médio mexendo sem parar. Quando ferver, abaixe o fogo e continue mexendo até engrossar. Deixe esfriar.

Prepare a cobertura: Derreta o chocolate com a manteiga em banho-maria ou no microondas. Reserve.

Montagem: coloque um pouquinho de biscoito no fundo de copinhos próprios para docinhos. Com a ajuda de um saco de confeitar coloque uma porção de caramelo em cada copo. Finaliza com uma camadinha de chocolate. Leve à geladeira para endurecer um pouquinho a cobertura e sirva.

Pode fazer com antecedência de até dois dias.

twix de copinho

Mini Cheesecakes de Oreo

cheesecake de oreo

Começo da História:

Outro dia fui num desses clubes de compras. Para preservar identidades e não citar nomes vamos chamá-lo doravante de Sal’s Glub.

Eu prometi pra mim mesma que só estava indo lá para comprar manteiga, porque é mais barato, vale a economia, que eu não ia comprar nada fora da lista e todas aquelas mentiras que a gente conta pra gente mesma quando vai no Sal’s.

Saí de lá com: 4 panetones, 1 caixa com 20 leites condensados, 1 condicionador tamanho 2 litros, 1 saco de dormir da rainha Elza de Arendelle, 1 pacote com 4 milhões de rolos de papel higiênico do tamanho da minha casa, 4 potes de cream cheese que estava baratérrimo e uns biscoitos de chocolate recheados com creminho branco. Na hora de passar no caixa minha anuidade estava vencida então teve ainda uma adição de uns 65 dinheiros no saldo total.

Quando cheguei em casa vi que esqueci a manteiga.

Fim da História.

Lidei com isso da maneira mais sensata: fiz esses mini cheesecakes de oreo, porque assim aproveitei as ofertas maravilhosas do cream cheese e e dos biscoitos com a desculpa de que tenho que postar receitas deliciosas pra vocês aqui no blog. E ficaram muito bons mesmo viu gente? Achei a receita bem fácil e a idéia do biscoitinho inteiro no fundo tem um fator surpresa que eu curti muito.

 

IMG_6759

Mini Cheesecake de Oreos

inspirada em receita do livro “Cupcakes”, Martha Stewart

rendimento: 18 a 20 unidades

  • 500g de cream cheese em temperatura ambiente
  • 150g de açúcar refinado (3/4 de xícara)
  • 2 ovos grandes ligeiramente batidos
  • 1 colher de chá de extrato ou essencia de baunilha
  • 150g de creme de leite (pode ser fresco, de caixinha ou de lata)
  • 18 a 20 biscoitos recheados tipo negresco ou oreo para colocar no fundo das forminhas e mais 8 unidades picadinhas

Coloque forminhas de cupcake em formas de muffin ou use daquelas durinhas que não precisa de forma (nesse caso coloque sobre uma assadeira). Ponha um biscoito inteiro no fundo de cada forminha. Aqueça o forno a 180 graus.

Bata o cream cheese na batedeira até ficar cremoso. Junte o açúcar aos poucos e bata até ficar um creme uniforme. Junte a baunilha e os ovos aos poucos batendo sem parar e raspando a lateral da tigela se necessário. Quando estiver bem homogêneo junte o creme de leite e bata mais um pouco.

Misture os biscoitos picados à mão mesmo. Distribua esse creme entre as forminhas preparadas, enchendo quase até a boca.

Leve ao forno por aproximadamente 20 minutos, ou até firmar um pouco o creme. Não é para dourar nem para passar no teste do palito: os cheesecakes ainda estarão meio moles, mas ao encostar o dedo em cima não estarão mais líquidos.

Espere esfriar e deixe descansar em geladeira por pelo menos 4 horas ou de um dia pro outro. Sirva geladinho.

mini oreo cheesecake

Bolo Prestígio (com auto-cobertura)

bolo prestigio selo

Essa é uma daquelas receitas que o destino coloca no caminho da gente – são muitos sinais, muitas aparições nas timelines das redes sociais, muitas pessoas comentando em grupos de facebook. Como eu acredito nos sinais enviados pelo cosmos achei melhor fazer logo para me livrar do carma.

Não que fosse um grande esforço, já que, na minha opinião, coco + chocolate é uma combinação perfeita, tipo Brad e Angelina, John e Yoko, Jay-Z e Beyoncé, William e Fátima.

william-bonner-030909-2

A parte legal desse bolo é que a gente já assa tudo de uma vez, o creme de coco vai primeiro e a massa de chocolate por cima, e mesmo assim nada se mistura e fica lindinho na hora de cortar. Ele ser feito em banho maria ajuda muito a ficar um bolo úmido e que lembra de leve um brownie já que o sabor do chocolate também é super intenso. Quem quiser ver a receita original pode dar uma olhada no vídeo do Eduardo Beltrame, criador da receita. Apesar de ter essas duas preparações é um bolo muito simples que não requer uso de batedeira.

Bolo Prestígio no Banho-Maria

Rende 1 bolo de 25cm de diâmetro aproximadamente

Para o creme de coco

  • 1 lara de leite condensado
  • 1 ovo
  • 100ml de leite
  • 1 colher de sopa de farinha de trigo
  • 100g de coco ralado (usei o mais fino mas a receita original pede em flocos)

Para a massa de chocolate

  • 300 ml de leite
  • 150g de manteiga
  • 190g de farinha de trigo
  • 190g de açúcar
  • 140g de chocolate em pó (50% cacau)
  • 1 colher de sopa de fermento
  • 2 ovos

Unte com manteiga e polvilhe com açúcar uma forma de furo central entre 22 e 25cm de diâmetro com pelo menos 8cm de altura (fiz na de 22cm e ainda assim sobrou um pouco de massa). Prepare um banho-maria e preaqueça o forno a 200 graus.

Prepare o creme de coco: Numa tigela média, misture todos os ingredientes muito bem. Passe para a forma preparada e reserve na geladeira ou freezer.

Prepare a massa: Aqueça o leite e misture com a manteiga, que vai derreter. Numa tigela grande, misture os ingredientes secos. Junte o leite com a manteiga e os ovos, misturando muito bem até ficar homogêneo.

Coloque com cuidado a massa sobre o creme de coco para não misturar (eu usei uma concha e fui distribuindo aos poucos. Leve ao banho-maria por aproximadamente 40 a 50 minutos, ou até passar no teste do palito.

Deixe esfriar fora da geladeira e desenforme morno. Sirva em temperatura ambiente.

bolo prestigio beltrame

Brigadeirão da Palmirinha

brigadeirão da palmirinha

Já contei mil vezes pra vocês que antes de ser doceira trabalhava na TV como produtora né?

Devo ter umas 4 mil histórias pra contar dessa época ~mágica~ da minha vida, desde ter andado de limousine em Hollywood até ter procurado um sambista bêbado perdido na Av Paulista que ia entrar no ar ao vivo e sumiu (não me peçam nomes que eu não falo nem sob tortura).

Mas de todas as minhas experiências, uma das mais legais pra mim é ter trabalhado com a Palmirinha Onofre. Na verdade nem era minha obrigação, eu produzia um outro segmento na emissora, mas havia uma coincidência de horários e eu ficava meio de bobeira logo na hora em que ela estava fazendo a preparação da receita do dia. Enquanto a gente papeava eu ia ajudando a picar um chocolate, lavar um prato, provava um bolinho de chuva, e assim meu dia mega estressante tinha um momento de paz e felicidade.

Daquela época eu guardei algumas receitas que tive o prazer de provar pessoalmente, e esse brigadeirão é uma delas – fora de brinca, nunca provei um igual. Fica super cremoso, sem nenhum furinho e com um gostinho de chocolate quente que a vó fazia.

Brigadeirão da Palmirinha

rendimento: 1 pudim de 20cm de diâmetro

  • 2 latas de leite condensado
  • 1 xícara (250ml) de leite integral
  • 1 colher de sopa de manteiga
  • 6 gemas
  • 4 colheres de sopa de chocolate em pó (50% de cacau)
  • chocolate granulado para a cobertura

Unte uma forma de pudim de 20cm de diâmetro com manteiga e polvilhe com açúcar. Reserve.

Preaqueça o forno a 190 graus. Prepare um banho-maria: coloque uma assadeira na grade mais baixa do forno e encha até a metade com água bem quente.

Bata no liquidificador todos os ingredientes menos o granulado (coloque primeiro os liquidos no copo do liquidificador). Bata até ficar bem homogêneo e passe a mistura para a forma preparada. Cubra com papel alumínio e coloque dentro da forma do banho-maria.

Asse por aproximadamente 01h30, observando se a água não começa a secar – se secar vá completando, senão o pudim talha e perde a cremosidade.

Dá pra ver se está pronto se o pudim estiver firme, mas ainda meio balançando no centro – pode testar com o dedo mesmo.

Deixe amornar e leve à geladeira por pelo menos 6 horas, ou de um dia para o outro.

Para desenformar passe uma faquinha pelas laterais da forma deixando entrar um pouquinho de ar. Se estiver muito colado, coloque por alguns segundos sobre a chama do fogão e tente novamente.

Vire sobre um prato e decore com o granulado. Sirva gelado.

fatia de brigadeirão

1 2 14
%d blogueiros gostam disto: