Arquivo da tag: amêndoas

Gâteau aux amandes – bolo marzipan

Resolvi que precisava aprender uma coisa nova e entrei num desses aplicativos que ensinam línguas.

Escolhi francês porque sim, e porque quero um dia voltar à Paris para levar a Cookinha comer macarons da fonte.

O caso é que só o aplicativo não estava dando conta de me situar na língua, então achei uma boa idéia procurar umas receitas em francês. Para pra pensar se não é uma boa idéia: cozinhar tem um monte de verbos, um monte de substantivos e um monte de adjetivos.

Aí foi isso: a primeira receita que eu entendi inteira fui lá e fiz, ficou boa e adaptei ela aqui pra vocês – um bolinho que olhando assim você não dá nada mas MANO DO CÉU, que delícia! Fica molhadinho, com um gostinho de marzipan, bem fofinho.

Então é isso gente, façam também e bon appétit!

Gâteau aux Amandes ou Bolo Marzipan – rende um bolo pequeno de furo no meio

muito alterado daqui

  • 140g de farinha de trigo
  • 60g de farinha de amêndoas
  • 2 colheres de chá de fermento em pó químico
  • 180g de açúcar refinado
  • 160ml de leite morno misturado com 1 colher de sopa de suco de limão para talhar ou 170g de iogurte natural
  • 1 colher de chá de extrato de baunilha
  • 3 ovos
  • 120g (1/2 xícara) de manteiga derretida e fria

Unte e polvilhe farinha de trigo numa forma de furo no meio de 20cm de diâmetro. Aqueça o forno a 180 graus.

Numa tigela média misture bem a farinha, a farinha de amêndoas e o fermento. Em outra tigela maior misture o açúcar, o leite talhado, o extrato de baunilha, os ovos e a manteiga derretida.

Junte os ingredientes secos aos molhados e misture delicadamente com uma espátula ou fuet apenas até a mistura ficar homogênea. Passe a massa para a forma preparada e asse por 35 a 40 minutos, até dourar e passar no teste do palito.

Deixe esfriar por 15 minutos e desenforme. Quanto estiver completamente frio, polvilhe açúcar de confeiteiro a gosto.

Decisões de Ano Novo – Tecolameco


Depois de comer 12 uvas, uma colherada de lentilha, chupar uns baguinhos de romã e tomar champanhe pulando no pé direito usando calcinha nova com a cor de preferência, vem a hora de fazer a famigerada listinha de decisões para o ano que vem pela frente.

Tenho certeza que alguns itens da minha lista devem ser IDÊNTICOS aos de milhares de pessoas ao redor do universo (comer mais saudável? começar a ginástica? Não ficar tanto tempo no twitter?), e espero conseguir atingir essas metas. Bem, ano que vem a gente conversa de novo sobre isso…

Esse momento também leva a gente a pensar nas coisas legais do ano que passou, né? Uma das coisas bacanas que eu quero continuar cultivando em 2010 é o diálogo que este blog me proporciona com o mundo, e esse doce absolutamente delicioso é fruto desse diálogo: uma leitora de Portugal, a Laura, deixou nos comentários há alguns meses essa receita de família, “uma jóia” como ela mesma disse, e eu fiquei encantada com a gentileza.

Eu sou apaixonada pela doçaria portuguesa, acho tudo muito lindo e delicado, e só não faço mais desses doces incríveis porque demora um pouco para juntar as tantas gemas que são características dessas receitas, mas achei que o jantar de ano novo daqui de casa merecia esse luxo. Quem gosta de um bom quindim, vai adorar esse “bolo”.

Tecolameco

A receita que lhe envio é uma jóia de família, bem Portuguesa, e com todas as medidas certas (a tia Laura Faz questão na exatidão, lembra eu ter agradecido o peso em gramas?) O Teco Lameco é um doce tradicional que a minha familia faz para casamentos,batizados etc. aí vai…

De Portugal saudações amigas.”  – Laura

  • 500g de açúcar
  • 250g de miolo de amendoa (retire a pele e moa no processador, ou use farinha de amêndoas)
  • 25g de manteiga
  • 10g de banha ou margarina de boa qualidade (usei manteiga)
  • 10 gemas de ovo
  • 2 ovos inteiros
  • 3 dl/ 300ml de água
  • 1 pau de canela
  • canela em pó

Preparação

Leve o açúcar e a água ao lume com o pau de canela e faça ponto de pérola.
Retire e junte a amêndoa (pelada e moída), a manteiga e a banha (gordura de porco) ou margarina. Leve de novo ao lume e deixe engrossar.

Deixe arrefecer e misture os ovos e as gemas (cuidado deve estar sob o frio para as gemas não cozerem) juntar uma pitada de canela a gosto.

Depois de muito bem misturado coloque numa forma de aro muito bem untada e forrada com papel vegetal também untado. Leve ao forno 180 mais ou menos 40 minutos, faça o teste do palito. Depois de desenformado (deve ficar invertida, o fundo do bolo é a parte de cima, como um pudim)  pinte com calda de açúcar (apenas polvilhei açúcar de confeiteiro) e enfeite com uma flôr.

Obs.: Para as fotos, eu cortei rodelas do bolo com cortadores de biscoitos, para fazer porções individuais.

Para aqueles que me seguem – Chocolate Chip Cookies

cookies-dorie

Que coisa curiosa: quando eu comecei esse blog, achei que fosse ser só um lugar pras clientes verem fotos dos docinhos. Quando eu vi, estava escrevendo, viajandão, e as pessoas deixando comentários e tals.  E eu respondi, e deixei comentários nos blogs de quem visitou, e em outros também, e eles voltaram, e por aí vai. Começou um diálogo com gente que eu nunca vi na vida. Gente ótima, que eu falo todo dia e sinto falta quando não falo, e também gente péssima, como uma leitora terrorista que tem me mandado comentários ameaçadores vez ou outra, cada hora com uma personalidade diferente. Tudo muito surpreendente.

Daí teve também esse Twitter, que eu fui parar meio por acaso, e você já deve ter ouvido falar (se não ouviu, segue uma explicação oficial do que se trata aqui).

O caso é que é um negócio meio estranho, onde você segue umas pessoas, outras pessoas te seguem, não necessariamente ao mesmo tempo, o seu nome começa com uma @ (o meu é @thecookieshop) e você fica ali pensando alto em até 140 caracteres. Às vezes, alguém presta atenção no pensamento do outro e comenta, responde ou repassa pros “seguidores”. Sim, é complexo, e sim, eu ainda estou tentando entender. Tem até pessoas famosas falando coisas ali, e um deles é o William Bonner (ou @realwbonner), o apresentador do Jornal Nacional.  Todo dia, ele pede pros seguidores dele escolherem a cor da gravata que ele vai usar na televisão. Surreal? Eu acho.

Daí que eu resolvi imitar o @realwbonner, fazer a minha própria #interativa, e perguntei para os que me seguem se eles preferiam ver aqui uma receita de bolo ou de cookie essa semana. Ganhou o cookie, por um voto. Pro pessoal do bolo: não esquenta não que bolo aqui é o que não vai faltar.

cookies-dorie-2

Best Chocolate Chip Cookies da Dorie Greenspan (adaptado do livro Baking: From My Home to Yours) – rende uns 45 a 50 cookies

Tenho esse livro há um tempão, mas ainda não tinha testado a receita de chocolate chip cookies. Dei uma mudadinha mínima na receita (coloquei canela em pó e amêndoas no lugar das nozes, ficou chique), e achei que eles ficaram realmente deliciosos, crocantes na borda e macios no meio. Eu recomendo que eles sejam devorados ainda morninhos, com o chocolate derretendo e sujando os dedos, quando estão no seu auge. Também ficam gostosos no dia seguinte, mas perdem um pouquinho da crocância inicial.

Ingredientes:

  • 2 xícaras de farinha de trigo
  • 3/4 colher de chá de bicarbonato de sódio
  • 1 colher de chá de sal
  • 1 xícara/ 200g manteiga sem sal, em temperatura ambiente
  • 1 xícara de açúcar
  • 3/4 xícara de açúcar mascavo claro
  • 2 ovos
  • 1 colher de chá de essência de baunilha (troquei por 2 colheres de chá de canela em pó)
  • 340g de gotas de chocolate meio amargo ou chocolate meio amargo picado em quadradinhos
  • 1 xícara de nozes ou pecãs (usei amêndoas), picadinhas

Preaqueça o forno a 180°C. Forre duas assadeiras com papel manteiga.

Numa tigela, misture a farinha, o bicarbonato e o sal (eu juntei a canela em pó nessa etapa). Reserve

Na batadeira, bata a manteiga com o açúcar e o açúcar mascavo até ficar um creme fofo e clarinho. Junte a baunilha e os ovos, um de cada vez, batendo por um ou 2 minutos após cada adição.

Reduza a velocidade para o mínimo e junte a mistura de farinha em 3 adições. Misture somente até toda a farinha estar incorporada, sem bater. Misture com uma espátula as gotas de chocolate e as nozes/ pecãs/ amêndoas. Pode deixar essa massa na geladeira, devidamente coberta com plástico, por até dois dias.

Coloque na assadeira em porções de uma colher de sopa (fica um cookie médio/ grande), com uns 3 ou 4 dedos de distância entre elas (os cookies espalham bastante), e asse por 10 a 12 minutos (eu deixei 15), ou até as bordas estarem bem douradinhas. O meio ainda vai estar macio/ mole, mas é assim mesmo. Deixe descansar na assadeira por 1 minuto, retire os cookies cuidadosamente com uma espátula e deixe esfriarem sobre uma grade.

cookies-dorie-3

A sobremesa que não comi – Torta Sbrisolona

torta-sbrisolona-quebrada

Quando eu não tinha filho, via crianças berrando e correndo alucinadas em restaurantes e achava que a culpa era dos pais.

Depois que Heleninha nasceu, continuamos a frequentar restaurantes. Ela era até que comportada, era só dar um pãozinho que ela ficava ali, quietinha, mastigando com sua boquinha banguela. Ou então, dormia no carrinho e era ótimo, todo o mundo achava uma gracinha. Claro que essa fase passou bem rápido, e a bebê gracinha se transformou numa das crianças que correm e berram.

Outro dia desses, saímos para almoçar num lugar só por causa da sobremesa: uma deliciosa torta de amêndoas. Sentamos, pedimos, e tudo parecia calmo – a minha criancinha fazia gracinhas para a garçonete, que ficou encantada. O giz de cera do restaurante estava super entretendo.

Até que chegou a comida e, óbvio, deu os cinco minutos na monstrinha. Lápis foram jogados longe, pão pra todo lado, chiliques sem fim. Decidiu chamar a garçonete amiga, gritando “vem cá, moça, VEM CÁ MO-ÇA!”, sem parar.  Eu e o Xandoca, mortos de vergonha, tentando controlar a situação sob os olhares dos outros clientes. Lógico que não chegamos na sobremesa.

E hoje eu sei: a única culpa dos pais é ter saído de casa.

trota-sbrisolona

Torta Sbrisolona – uma torta redonda de 20cm

Essa torta é na verdade um grande biscoito de amêndoas para ser partido com as mãos e comido aos pedaços. É um doce tradicional do norte da Itália, originário de Mantova, e seu nome, sbrisolona, significa esmigalhona ou esmigalhada, por causa da sua deliciosa textura.

  • 200g farinha de trigo
  • 110g açúcar
  • pitada de sal
  • 125g de amêndoas sem pele, finamente trituradas
  • 25g de amêndoas inteiras
  • 100g manteiga sem sal, em temperatura ambiente, cortada em pedacinhos
  • 1 gema
  • 1 colher de chá de essência de amêndoas ou licor de amêndoas

Preaqueça o forno a 200°. Unte com manteiga uma forma de torta de fundo removível, de 20cm.

Numa vasilha grande, misture a farinha, o açúcar, o sal e as amêndoas trituradas. Junte a manteiga e a gema e misture com as pontas dos dedos, sem amassar, até toda a farinha ficar úmida e ficar com aparência de uma farofa grossa.

Distribua essa farofa na forma untada, sem apertar. Coloque as amêndoas inteiras sobre a massa.

Leve ao forno por mais ou menos 20 minutos, até dourar ligeiramente as bordas. Reduza a temperatura para 170° e deixe assar até ficar bem dourado e seco. Espere esfriar e desenforme.

torta-sbrisolona-gift

Faça você mesmo – Marzipã

marzipan-roses

Não sei vocês, mas eu sempre achei maravilhosos os bolos confeitados com pasta americana. Eles podem ser verdadeiras obras de arte, de várias cores, cheios de flores e figurinhas lindamente esculpidas pelos artistas do açúcar (claro que em mão erradas podem ir parar no Cake Wrecks). O único problema é que nem todo mundo gosta do sabor desse tipo de cobertura, e muitas vezes ela acaba sendo deixada de lado.

Uma excelente alternativa seria o marzipã, mas os que eu encontrei prontos para comprar por aqui são caríssimos e não tem a menor flexibilidade para modelar. Como o meu lema é “desistir, jamais”, saí atrás de receitas na internet e em livros de culinária.

A receita que mais se aproximou do que eu estava precisando veio do blog da Cláudia, o Sabor Saudade, e de um livro de receitas do Cordon Bleu. O meu marzipã é um cruzamento dessas duas fontes – já fiz algumas vezes com um ótimo resultado tanto de sabor como de maleabilidade. Deu para fazer as rosinhas que estão nesse cupcake dentro do vaso, cobrir os cupcakes da princesa e fazer outras flores com cortadores.

A parte que dá mais trabalho no processo é tirar a pele das amêndoas – tem um post ótimo com instruções aqui. Tem pra vender já peladas, mas se as amêndoas já estão pela hora da morte, sem a pele então, sem se fala. Fora que tem o prazer de saber que vc fez tudo da receita, menos plantar e colher as amêndoas, né? Uma coisa super raízes.

cupcakes-wedding

Marzipã (rende mais ou menos 600g)

  • 250g de amêndoas sem casca e sem pele
  • 2 claras de ovos
  • 1/2 xícara de açúcar
  • 1 xícara de açúcar de confeiteiro, e mais para amassar o marzipã
  • essência de amêndoas, licor de amêndoas ou água de flor de laranjeira a gosto

Numa panelinha própria para banho-maria, ou numa tigela resistente ao calor, misture as claras e o açúcar. Leve ao banho-maria e aqueça a mistura de claras, mexendo sempre, até atingir 71°C (a essa temperatura o ovo fica livre de bactérias como a Salmonella, por exemplo). Divida a mistura de claras em duas partes e reserve.

No processador de alimentos, processe as amêndoas até ficarem o mais trituradas possível. Esse passo é importante porque quanto mais finas as amêndoas, mais liso será seu marzipã. Quando estiver uma farinha fina, junte o açúcar de confeiteiro e processe até misturar bem. As amêndoas vão estar ainda em forma de farinha.

Com o processador ligado, junte a essência e metade da mistura de claras, as poucos. A farinha de amêndoas com açúcar vai se juntar, formando uma bola. Desligue o processador imediatamente, e passe essa massa para uma superfície polvilhada com açúcar de confeiteiro. Amasse um pouco o marzipã e confira: se estiver quebradiço ou  soltando óleo das amêndoas nas suas mãos, coloque mais mistura de claras até virar uma pasta  grossa, parecida com massa de pão. Se estiver muito mole, do tipo que não conserva a forma, vá amassando com mais açúcar de confeiteiro. Pra mim, sobra sempre um pouquinho das claras, e não precisa usar tudo se não for necessário. Deve ficar parecido com massinha de modelar, e não deve grudar nas mãos.

Quando chegar nesse ponto, quanto mais você amassar, mais fácil de modelar o marzipã fica. Embrulhe bem em plástico e guarde em geladeira por até um mês. Utilize em temperatura ambiente e massageie bem antes de utilizar. Para colorir, usei corante alimentício em gel.

marzipan-cupcake

UPDATE:

Quase já ia esquecendo…

Ganhei um selinho da querida Maura, do blog Trainee de Cozinheira! Tem que responder umas perguntas e repassar pra 5 blogs – eu decidi repassar para as primeiras blogueiras que comentaram aqui no The Cookie Shop, minhas primeiras amigas virtuais.

selinhofeufolandiafinal

Uma música mágica: Beatriz, Edu Lobo
Um filme mágico: Bonequinha de luxo (breakfast at Tiffany´s)
Uma viagem mágica: Paris
Maquiagem mágica: Corretivo, né?
Vou indicar:
Gina – Naco Zinha
Samma – Mesa para 4
Gasparzinha – No Soup For You
Léia – Cucchiaio Pieno
Um beijo para todas!

Desvendando o segredo do sucesso – bombons de coco com amêndoas

coconut bonbon

Essa é uma daquelas receitas que você olha e pensa: será que vai dar certo? Principalmente, porque na lista de ingredientes você encontra nada mais, nada menos que.. purê de batatas!

Num ato de ousadia e audácia (e como sou sou uma pessoa muito curiosa) resolvi experimentar. As outras pessoas que fizeram esses bombons JURARAM que era uma delícia, e que ficava igualzinho a um certo chocolate industrializado que não citaremos o nome, mas é algo parecido com “Sucesso”, ou “Fama”… 😉 (piadinha válida somente em território brasileiro, uma vez que eu não sei o nome de nenhuma marca de bombom de coco dos outros países de língua portuguesa)

E, sim, meus amigos e amigas, fica excelente. Minto: fica um sucesso!

bombons coco

Bombons de coco (achada em vários lugares da internet) – rende aprox. 20 bombons

  • 1/4 xícara de batatas cozidas, amassadas e passadas em uma peneira, frias
  • 1 1/2 xícara de açúcar de confeiteiro
  • gotinhas de essência de coco (opcional)
  • 1 a 1 1/2 xícara de coco seco ralado, não adoçado
  • 20 amêndoas cruas (opcional)
  • 300 gramas de chocolate ao leite para banhar
  1. Cozinhe uma batata média descascada e cortada em quatro. Jogue a água fora e volte a batata cozida ao fogo por alguns segundos para secar bem. Amasse ainda quente e passe por uma peneira. Reserve até esfriar.
  2. Numa tigela grande, coloque 1/4 de xícara da batata cozida e 1/2 xícara do açúcar de confeiteiro, assim:

passo_1

3. Vá misturando e vai acontecer o seguinte fenômeno: a batata vai começar a ficar líquida:

passo_24. Continue misturando, até virar uma calda:

passo_35. Junte o restante do açúcar de confeiteiro e misture bem, até ficar uma pasta mais grossa. Talvez você precise de mais açúcar para atingir esse ponto:

passo_46. Agora é só juntar o coco ralado e misturar tudo muito bem. Eu amassei um pouco com as mãos, porque a massa já estava bem densa. Deve ficar em ponto de enrolar.

7. Eu fiz barrinhas com duas colheres de chá da massa, mas pode até abrir e cortar em retêngulos, se quiser. Coloque uma amêndoa sobre cada bombom e aperte um pouco para grudar (nem todas as minhas amêndoas grudaram, então eu tomei cuidado na hora de banhar no chocolate para elas não caírem).

8. Deixe as bolinhas descansando um pouco e derreta/tempere o chocolate. Ou então, use chocolate fracionado, que não precisa temperar, mas não é tão gostoso.

9. Banhe primeiro a parte de baixo dos bombons, segurando com a mão e molhando no chocolate (tipos molhar rosquinha no chá). Deixe escorrer o excesso e coloque sobre uma folha de papel manteiga para secar. Quando as “bundinhas” dos bombons estiverem secas, apóie-os num garfo e deixe cair chocolate sobre os doces para cobrir a parte de cima e laterais. Deixe escorrer o excesso e coloque sobre o papel manteiga até endurecer, em temperatura ambiente.

%d blogueiros gostam disto: