Arquivo da tag: hora do chá

Gâteau aux amandes – bolo marzipan

Resolvi que precisava aprender uma coisa nova e entrei num desses aplicativos que ensinam línguas.

Escolhi francês porque sim, e porque quero um dia voltar à Paris para levar a Cookinha comer macarons da fonte.

O caso é que só o aplicativo não estava dando conta de me situar na língua, então achei uma boa idéia procurar umas receitas em francês. Para pra pensar se não é uma boa idéia: cozinhar tem um monte de verbos, um monte de substantivos e um monte de adjetivos.

Aí foi isso: a primeira receita que eu entendi inteira fui lá e fiz, ficou boa e adaptei ela aqui pra vocês – um bolinho que olhando assim você não dá nada mas MANO DO CÉU, que delícia! Fica molhadinho, com um gostinho de marzipan, bem fofinho.

Então é isso gente, façam também e bon appétit!

Gâteau aux Amandes ou Bolo Marzipan – rende um bolo pequeno de furo no meio

muito alterado daqui

  • 140g de farinha de trigo
  • 60g de farinha de amêndoas
  • 2 colheres de chá de fermento em pó químico
  • 180g de açúcar refinado
  • 160ml de leite morno misturado com 1 colher de sopa de suco de limão para talhar ou 170g de iogurte natural
  • 1 colher de chá de extrato de baunilha
  • 3 ovos
  • 120g (1/2 xícara) de manteiga derretida e fria

Unte e polvilhe farinha de trigo numa forma de furo no meio de 20cm de diâmetro. Aqueça o forno a 180 graus.

Numa tigela média misture bem a farinha, a farinha de amêndoas e o fermento. Em outra tigela maior misture o açúcar, o leite talhado, o extrato de baunilha, os ovos e a manteiga derretida.

Junte os ingredientes secos aos molhados e misture delicadamente com uma espátula ou fuet apenas até a mistura ficar homogênea. Passe a massa para a forma preparada e asse por 35 a 40 minutos, até dourar e passar no teste do palito.

Deixe esfriar por 15 minutos e desenforme. Quanto estiver completamente frio, polvilhe açúcar de confeiteiro a gosto.

Receitas de Família – bolo preguiçoso de laranja

 

Aqui em casa tenho uma boa quantidade de livros de receita – não tantos quanto alguns amigos blogueiros (alô Pat, alô VH!), mas com certeza mais que pessoas normais que não trabalham com cozinha.

Às vezes eu olho pra estante e penso que talvez se fizesse uma receita por dia pro resto da minha vida talvez eu conseguisse experimentar tudo que tem ali. Pra compensar o dinheiro que gastei com eles, né? Quem sabe um dia não me inspiro e mando um Julie e Julia nos livro tudo.

O problema é a preguiça.

Quando a preguiça domina nada mais me resta senão voltar para as origens e abraçar forte o conforto das receitinhas do caderno da mamãe. Quase tudo ali é fácil e rápido, sob medida para a mãe de 3 que trabalhava fora, e uma ou outra receita mais elaborada/chic/anos 80 (e pavês, muitos pavês).

Esse bolo de laranja estava meio escondido num canto de página. Sob o nome Bolo de Laranja Jô só uma lista de ingredientes e um modo de fazer meio mal explicado (dizia apenas bater tudo no liquidificador e assar), mas eu me lembrava dele muito bem, assado em tabuleiro retangular e cortado em losangos. A Jô eu não me lembro quem era, mas agradeço pela receita.

Me lembro que a laranja era batida no liquidificador com casca e tudo, e o bolo às vezes ficava com um leve amargor. Como não curto muito o sabor amargo em doces dei uma adaptada na receita – ele ficou bem fofinho, com um sabor suave de laranja, aquele bolo que abraça a gente pelo estômago.

Bolo Preguiçoso de Laranja

  • 3 ovos extra
  • 1 xícara de óleo de milho ou girassol
  • raspas da casca de uma laranja
  • 2 laranjas sem casca e sem sementes, cortada em pedaços
  • 300g (1 e 1/2 xícara) de açúcar refinado
  • 325g (2 e 1/2 xícara) de farinha de trigo
  • 1 colher de sopa de fermento em pó

Calda:

  • 200g (1 xícara)  de açúcar de confeiteiro
  • 2 colheres de sopa de suco de laranja
  • raspas de laranja (opcional)

Unte e polvilhe com farinha de trigo uma forma de buraco no meio (25cm de diâmetro) ou retangular de 20X30cm. Aqueça o forno a 180 graus.

Numa tigela grande misture a farinha de trigo e o fermento. Reserve.

Bata no liquidificador os ovos, óleo, raspas, laranjas e o açúcar até virar um creme liso. Passe essa mistura para a tigela com a farinha de trigo e misture muito bem com um fouet ou espátula, até ficar homogêneo. Passe para a forma preparada e asse por mais ou menos 40 minutos, ou até passar no teste do palito (na forma de furo no meio demora mais).

Desenforme morno.

Prepare a calda misturando todos os ingredientes numa tigela média e coloque sobre o bolo ainda morno. Se ficar muito grossa coloque mais suco, se ficar muito liquida coloque mais açúcar.

Sirva frio (minha vó falava que bolo quente dá dor de barriga).

bolo preguiçoso de laranja

Pinheirinhos que alegria – biscoitinhos spritz de Natal

Muito cedo pra começar a fazer biscoitinhos de Natal?

É que fui dar uma voltinha no shopping ontem, e a decoração já estava a todo vapor – as árvores, enfeites, estrelas e pinheirinhos… Não deu pra esperar mais, voltei pra casa, montei a árvore e fui pra cozinha, armada do “biscoito-fácil” da minha sogra e coloquei a mão na massa.

Esses biscoitinhos são bem fáceis de fazer, principalmente se você tiver o aparelho. Se não tiver, dá pra formar as massinhas com um saco de confeitar com bico pitanga, ou até fazer bolinhas e achatar com um garfo.

O sabor é bem delicado, e a textura é de um amanteigado, derrete na boca. Se quiser mais doce, pode polvilhar com açúcar cristal antes de ir ao forno.

Biscoitinhos Spritz de Natal (adaptados daqui)

  • 1 1/4 xícara de farinha de trigo
  • 1/4 colher de chá de fermento em pó
  • 1 pitada de sal
  • 1/2 xícara (100g) de manteiga sem sal em temperatura ambiente
  • 1/2 xícara de açúcar
  • 1 gema
  • 1/2 colher de chá de essência de baunilha
  • 1/4 colher de chá de essência de amêndoas
  • 2 gotinhas de corante alimentício verde (opcional)
  • açúcar cristal colorido, confeitos de açúcar etc para decorar

Aqueça o forno a 180°.

Peneire a farinha com o sal e o fermento e reserve.

Na batedeira, bata a manteiga e o açúcar até ficar fofo e claro. Junte a gema e as essências e bata muito bem (se for usar o corante, coloque agora).  Junte a farinha e misture somente até a farinha estar incorporada, sem bater demais.

Passe a massa para o aparelho de biscoitos ou para um saco de confeitar e forme os biscoitinhos diretamente sobre uma assadeira sem untar. Polvilhe com o açúcar cristal ou confeitos coloridos e leve ao forno para assar até dourar de leve as bordas. Deixe esfriar nas assadeiras e guarde em pote tampado por até 15 dias.

O amor está no ar – Palmiers de canela

Eu estava com as fotos desses palmiers guardadas há algum tempo, e nunca parecia uma boa ocasião pra colocar essa receitinha aqui. Mas fiquei olhando, olhando, e olhei tanto pra essas fotos que os biscoitinhos começaram a me lembrar corações… E que cara metade não adoraria ganhar uma caixinha caprichada, cheia de CORAÇÕEZINHOS DELICIOSOS no Dia dos Namorados que está chegando, hein?? Eu gostaria…

Aliás, eu nunca gostei de ganhar tipo “uma blusinha” – os presentes de namorado que eu mais me lembro sempre foram os que tinham um toque pessoal. E vocês, o que gostariam de ganhar no dia 12 de junho?

Palmiers de Canela

Como diria a mãe da Chapeuzinho Vermelho, existem dois caminhos para fazer esses palmier, o da estrada, mais longo, e o atalho na floresta. Eu escolhi ir pela estrada longa, usando a minha massa folhada caseira (a receita e passo a passo estão nesse post), mas se você quiser ir pelo atalho e usar massa folhada comprada, vai dar certo também.

Ingredientes:

  • 1 receita de massa folhada, ou um pacote de massa pronta congelada
  • 2 xícaras de açúcar
  • 2 colheres de sopa de canela em pó (ou a gosto)

Unte e polvilhe com farinha de trigo duas assadeiras grandes. Reserve.

Misture o açúcar e a canela.

1. Polvilhe uma superfície de trabalho com bastante açúcar e canela, e também a massa. Abra a massa folhada em retângulo, o mais fininho que conseguir. Pode ser de qualquer tamanho, mas tenha em mente que quanto mais largo for seu retâmgulo,maior será seu palmier. Apare as bordas para deixar bem retinho.

2. Polvilhe mais açúcar e canela. Dobre duas abas que se encontram no centro do retângulo. Pressione bem com as mãos.

3. e 4. Dobre cada aba ao meio, para que se encontrem novamente no centro do retângulo. Pressione novamente para aderir. Pode dar uma achatadinha que não tem problema.

5. Dobre a massa ao meio, como na foto. Pressione bem, embale em plástico e leve à geladeira por pelo menos 1 hora, ou ao freezer por 20 minutos. Aproveite para preaquecer o forno a 180°C.

6. Corte em fatias e passe cada uma por mais açúcar e canela. Arrume na assadeira preparada e asse por 10 minutos. Vire os biscoitos e asse até dourar, aproximadamente 10 minutos. Retire-os da assadeira ainda quente, para não grudar, e coloque sobre uma grade para esfriar.

Deixa eu aproveitar e agradecer a todo mundo que respondeu a pesquisa do post passado – muito obrigada mesmo, e amei os comentários que vocês deixaram!

Fatos irrelevantes – Bolo de frutas frescas

Eu sei que ninguém perguntou, mas seguem alguns fatos totalmente irrelevantes, porém reais:

  • Outro dia abri um biscoito da sorte do restaurante chinês, e não tinha nada dentro. Fiquei meio encanada.
  • Quando eu era criança o meu sonho era ser caixa de supermercado.
  • Já assisti “A Noviça Rebelde” mais de cem vezes ao longo da minha vida.
  • Já comi churrasquinho de tatu.
  • Se eu pudesse escolher um superpoder, seria o de poder parar o tempo.
  • Se eu pudesse escolher um segundo superpoder, seria a invisibilidade.
  • Consegui ensinar minha filha a dizer por favor e obrigada.  Forte emoção.
  • Odeio rodinhas de violão.
  • Às vezes tenho preguiça de usar a batedeira pra fazer bolo, mas sempre me arrependo quando o braço começa a doer.

Essa última foi pra fazer gancho com a receita, tá? Bolinho gostoso e preguiçoso, altamente recomendado pelazamiga, dá sim pra bater na mão. Mas se estiver com MUITA preguiça, pode usar batedeira sem problemas.

Eu estava mesmo com muita preguiça, então usei algumas frutas vermelhas que estavam no freezer, assim não precisava descascar, nem picar nada, mas pode usar a fruta que quiser – desde que não solte muita água. Vai com fé que fica saborosíssimo.

**********SÓ UM MINUTINHO DA ATENÇÃO, POR FAVOR****************

Zente, não esquece da promoção do aniversário do The Cookie Shop que ainda dá tempo de participar! Mais detalhes no post anterior, e o prêmio é IMPERDÍVEL!

***********************GRATA PELA ATENÇÃO***********************************

Bolo de Frutas Frescas (daqui, e assinado embaixo por ela e por ela)

  • 50 g. de manteiga sem sal, temperatura ambiente
  • Raspas de 1 limão (cuidado para não retirara a parte branca)
  • 1 xícara de farinha de trigo
  • 2 ovos
  • ¾ de xícara de açúcar
  • 1 colher de sopa de açúcar mascavo (se não tiver pode usar branco mesmo)
  • 1 colher de chá de essência de baunilha
  • 1 pitada de sal
  • 1 ½ colher chá de fermento em pó químico
  • 2 ou 3 copos de frutas frescas (usei congeladas, mirtilos, amoras e morangos)

Pré-aqueça o forno a 180ºC. Unte com manteiga e polvilhe de farinha uma forma redonda de 20 cm (usei de refratário).

Na batedeira (ou na mão mesmo), bata a manteiga com os 3/4 de xícara de açúcar até ficar claro e fofo. Junte raspas de limão e a baunilha e bata para misturar.

Junte os ovos, um por um, batendo bem após cada adição, até ficar bem cremoso e homogêneo.

Numa outra vasilha, misture a farinha, o sal e o fermento. Junte a mistura de farinha ao creme de manteiga e misture bem, até incorporar toda a farinha. Transfira para a  forma preparada e distribua as frutas sobre a massa.

Polvilhe com o restante do açúcar (eu colocaria um pouco mais de uma colher da próxima vez, porque minhas frutinhas estavam um pouco azedas), e leve ao forno até a massa estar dourada, por volta de 30 minutos. Como usei forma de vidro refratário, coloquei sobre uma assadeira para não queimar o fundo do bolo. Sirva frio.

O dia em que saí na coluna do Kats – Bolo de Rolo

Aconteceram coisas tão legais nessas últimas semanas que eu preciso dividir com vocês pelo menos duas delas. A primeira foi um delicioso encontro com blogueiros que eu não conhecia pessoalmente, mas converso e troco idéias constantemente via Twitter. Estava nervosíssima, parecia que ia encontrar namorado novo, mas quando cheguei ao bar Pirajá, aqui em São Paulo, não demorou nem 5 minutos pra eu estar completamente me achando AMIGA DE INFÂNCIA da Ana Sinhana (ela faz um trabalho primoroso de costura, de coisas pra casa, carteiras e bolsas), Paty Mimmos (crocheteira de mão cheia, faz bonecos fofíssimos e eu queria todos pra mim) e do Renato (doceiro talentoso e viajante profissional). Além de serem pessoas super divertidas e inteligentes, são os três muito talentosos, e eu recomendo uma visita aos seus blogs pra vocês verem com os próprios olhos o trabalho bem feito que eles fazem.

A segunda coisa foi a coluna deliciosamente bem escrita pelo Marcelo Katsuki para a revista Prazeres da Mesa de novembro falando sobre… essa humilde doceira que vos fala! É essa aqui ó:

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

O caso é que, depois de mostrar a revista até pro porteiro do prédio, acabei lendo a revista de cabo a rabo (pode comprar sem medo de ser feliz, várias receitas deliciosas e fotos incríveis). Me chamou a atenção uma bela reportagem sobre os doces de Pernambuco, em especial essa receita de bolo de rolo. Pra quem não conhece, o bolo de rolo é um bolo feito de finas lâminas de massa amanteigada, enroladas com recheio de goiabada mole, servido em finas fatias. Pra mim é um dos doces mais bonitos e delicados da doçaria brasileira, além de ser absolutamente delicioso.

Não vou mentir pra vocês: não foi fácil conseguir fazer o tal bolo de rolo – o que está aqui fotografado foi minha terceira tentativa. Não está perfeito, mas fiquei feliz com o resultado, que assim como aparecer na coluna do Marcelo Katsuki, também teve um gostinho de vitória.

 

 

 

 

 

 

 

 

Bolo de Rolo (adaptado da receita publicada na revista Prazeres da Mesa, novembro/2009)

Minhas observações de quem só conseguiu algo fotografável e comível depois de uma tarde inteira jogando massa fora: preferi fazer dois bolos menores a um grande, usando assadeiras pequenas pois achei mais fácil manusear as lâminas num tamanho menor. Agora que treinei bastante, da próxima vez vou fazer o bolão de rolo da receita. Um dos bolos foi recheado com doce de leite comum no lugar da goiabada.

A receita é trabalhosa, mas não é impossível. Só escolha um dia que você esteja com tempo e paciência.

Se você resolver desistir de tudo no meio do caminho, não precisa jogar tudo fora: forme montinhos de massa com uma colher de chá e asse por uns 8 a 10 minutos. Sim, aconteceu comigo, e pude tomar um café com deliciosas bolachinhas recheadas de goiabada ao vinho do Porto…

No blog Rainhas do Lar, tem um tutorial com fotos e dicas de como fazer um bolo de rolo super útil, vale a pena dar uma chegada lá pra ver antes de colocar o avental e arregaçar as mangas.

Ingredientes (para uma unidade de 1,5 kg)

Para o doce de goiaba

  • 1 lata de goiabada cascão
  • 1/2 copo de água (usei 1/4 de xícara pq achei que o recheio ficou muito mole da primeira vez)
  • 1 cálice de vinho do Porto

Para a Massa

  • 250 g de açúcar
  • 250 g de manteiga
  • 4 ovos
  • 250 g de farinha de trigo

Faça o recheio

Corte a goiabada em cubinhos e bata na batedeira com a água, até virar um creme. Leve ao fogo numa panela pequena, até levantar fervura e misture bem o vinho do Porto. Transfira para uma tigela e cubra com filme plástico encostando na superfície do doce, para não formar película. Deixe esfriar antes de utilizar.

Massa

A receita original pede que se unte com manteiga e polvilhe com farinha de trigo assadeiras grandes de alumínio – preferi usar as formas untadas e forradas com papel manteiga, e novamente untadas com manteiga. Foi o único jeito que eu consegui lâminas inteirinhas, sem quebrar.

Preaqueça o forno a 180°C.

Polvilhe um pano de prato limpo com bastante açúcar e deixe reservado para desenformar as massas aí.

Na batedeira, bata o açúcar e a manteiga até ficar fofo e cremoso. Junte os ovos, um a um, batendo por 1 minuto após cada adição. Junte a farinha de trigo e bata até ficar homogêneo.

Espalhe a massa na assadeira com uma espátula o mais fininho possível, mas sem ficar tão fico que dá pra ver o fundo da forma. O que me ajudou muito nessa tarefa foi usar uma espátula de offset, que ajudou a deixar a lâmina de massa mais uniforme, mas uma espátula de silicone também funciona.

Leve ao forno e asse por uns 3 a 5 minutos, até a massa estar assada, mas não deixe dourar. Se assar demais, você não vai conseguir enrolar e vai virar um biscoitão seco.

Depois de muitas tentativas e massas quebradas, eu descobri que nesse momento é melhor esperar um minutinho para a massa descansar antes de desenformar, assim ela não fica tão frágil. Vire a assadeira sobre o pano com açúcar e retire o papel manteiga com cuidado.

Espalhe uma camada muito fina do recheio e, com a ajuda do pano, enrole como um rocambole e reserve.

Daí, minha filha, você vai ter que fazer tudo de novo: forrar a assadeira, untar o papel manteiga, espalhar novamente a massa bem fininha e levar ao forno. Depois de desenformar e passar o recheio, coloque o primeiro rolo sobre o começo da nova massa e enrole com a ajuda do pano.

Basicamente é isso, vá repetindo o procedimento assar, rechear e enrolar até acabar a massa. Embrulhe num pedaço grande de papel manteiga e feche as pontas como se fosse uma bala. Guarde na geladeira até o dia seguinte, corte as pontas para dar o acabamento e polvilhe com bastante açúcar. Sirva em fatias finas.

Cupcakes Tres Leches – A Taste of Yellow

tres leches-cupcakes_B

livestrong

Esses cupcakes amarelinhos foram feitos com carinho, para receber amigos muito queridos na minha casa, para um divertido jantar mexicano. E eles também vão me ajudar a falar de uma coisa muito importante.

Eu nunca imaginei que o câncer chegaria perto de alguém que eu amava, mas ele chegou. Devagarinho e sem fazer barulho.

Minha mãe era uma mulher ativa, bonita e divertida, e aos 62 anos, foi diagnosticada com câncer de pâncreas. Lutamos juntas por seis meses, sem nunca perder o otimismo e nem a esperança – infelizmente ela não resistiu. Nessa dolorosa jornada, me senti às vezes muito só, mas recebi também muito apoio dos meus familiares, amigos e até de desconhecidos.

Por isso esses cupcakes amarelinhos são a minha contribuição para esse evento tão bacana da Barbara, ela mesma uma paciente de câncer, do blog winosandfoodies.com, . O A Taste of Yellow é uma forma do pessoal dos blogs de comida apoiar o LiveStrong Day, um dia para todos mostrarmos nosso apoio aos que sobreviveram à doença e aos que ainda estão batalhando.

tres-leches-cupcakes

Cupcakes Tres Leches (adaptado daqui)
– rende 20 cupcakes

Esses cupcakes são inspirados na tradicional sobremesa latina Pastel de Tres Leches (os três leites são o leite condensado, o creme de leite e o leite evaporado que umedecem ao bolo).

Agora, sério: vocês têm que fazer porque são uma delícia.

A massa é um pão de ló amarelinho super leve, que fica bem molhadinho com a calda de tres leches. O sabor é bem suave, e a nuvem de creme chantilly complementa divinamente. Desmancha na boca.

Para o bolo e a calda

  • 6 ovos grandes, gemas e claras separadas
  • 1/4 colher de chá de bicarbonato de sódio
  • pitada de sal
  • 1 xícara de açúcar
  • 1/2 xícara (100g) de manteiga derretida (espere esfriar antes de usar)
  • 1/2 xícara de farinha de trigo, peneirada
  • 1 lata de leite condensado
  • 1 lata de leite evaporado (como não tinha, coloquei 1/4 de xícara de leite integral)
  • 3/4 xícara de creme de leite fresco

Para a cobertura

  • 2 xícaras de creme de leite fresco bem gelado
  • 1/4 xícara de açúcar de confeiteiro
  • canela em pó

1. Preaqueça o forno a 160°-170°. Coloque forminhas de papel no° 0 em formas para muffin ou empada grande.

2. Bata na batedeira as claras, bicarbonato e sal até ficar em ponto de neve, com picos fofos. Batendo sempre, junte as gemas, uma por vez, seguidas do açúcar. Bata até ficar homogêneo. Desligue a batedeira e junte a manteiga, e misture delicadamente com uma espátula grande. Junte a farinha em quatro adições, incorporando gentilmente até ficar homogêneo. Cuide para não mexer demasiado, senão o ar da massa vai embora e pode ficar um bolo pesado.

3. Divida a massa igualmente entre as forminhas, enchendo até a metade. Asse até dourar, mais ou menos 25 minutos. Retire do forno e faça vários furos nos bolinhos com um palito. Reserve.

4. Numa tigelinha, misture o leite evaporado, leite condensado e creme de leite. Com os cupcakes ainda nas formas de muffin, pincele a mistura de leite na superfície dos bolinhos, repetindo até que todos o creme tenha sido usado. Cubra as formas com plástico ou papel alumínio, e deixe na geladeira por pelo menos 30 minutos ou até o dia seguinte. Deixe em temperatura ambiente para servir.

5. Na hora de servir, bata o creme de leite da cobertura em ponto de chantilly (deve montar em picos suaves) e misture o açúcar de confeiteiro. Distribua porções desse chantilly sobre os bolinhos e polvilhe canela em pó a gosto.

tres leches-cupcakes2

%d blogueiros gostam disto: