Arquivo da tag: sem gluten

Quindins da Vó Da Lena

Quindim, eu acho esse nome tão bonitinho… E é um dos meus doces favoritos, se é que isso existe.

Doce de festa, porque pra juntar trocentas gemas e ralar um coco fresco, só em ocasiões especialíssimas, né? É curioso pensar que dos trabalhosos doces de antigamente, o quindim seja um dos poucos que tenham sobrevivido e seja ainda corriqueiro hoje em dia. Deve ser porque é DELICIOSO, e nem a praticidade das receitas modernas conseguiu exterminar essa maravilha amarelinha.

Quando eu perguntei pazamiga do twitter o que fazer com uma montanha de gemas que estavam dando sopa na cozinha, tive 20 replies, e todos diziam quindim. Não precisava pedir duas vezes: eu já estava mega de olho na receita da @LenaGasparetto, receita da avó dela, D. Victória.

Quindins da Vó da Lena – como fiz a receita exatamente como a Lena manda, vou transcrever o texto dela aqui, com as minhas observações em negrito.

Tempo de preparo: 1 hora e 15 mais tempos de resfriamento
Porções: Dependo dos tamanhos das forminhas (usei forminhas grandes e obtive 14 quindins)

Ingredientes:

  • 2 xícaras de coco fresco ralado
  • ½ kg de açúcar
  • 1 1/2 xícara de água
  • 2 cravos
  • 1 pauzinho de canela
  • 1/3 de colher de chá de sal
  • 2 colheres de sopa de manteiga (colheres-medidas, niveladas) (esqueci de colocar, mas deu certo também)
  • 2 colheres de chá de baunilha
  • 18 gemas passadas na peneira
  • Manteiga derretida e açúcar para untar as forminhas ou glucose de milho (vide “Dicas da Lena)

Preparo:

Numa panela, coloque ½ kg de açúcar, a água, os cravos, a canela e o sal.
Leve para ferver, sem mexer a calda (mas com um pincel de silicone molhado, pincelando as bordas internas da panela para não formar cristais de açúcar), até o ponto de “pano” (ou ponto de fio forte também dá certo) – cerca de 7 minutos de fervura.
Passe as gemas na peneira; acrescente a baunilha e reserve numa tigela.
Retire do fogo, coloque a manteiga e espere a calda amornar.
Descarte os cravos e a canela.
Junte o coco fresco ralado, e as gemas com a baunilha.
Mexa delicadamente com uma espátula de borracha até misturar.
Pré-aqueça o forno a 180°.
Leve uma chaleira ao fogo para ferver a água do banho-maria.
Unte com manteiga derretida e polvilhe com açúcar, cerca de 20 forminhas de quindins (mas atenção: a quantidade varia muito conforme o tamanho das forminhas)
Disponha-as numa assadeira, e com uma concha pequena, encha 2/3 de cada forminha com a mistura. (fique atento para distribuir igualmente o coco entre todos os quindins)
Leve ao forno pré-aquecido, e com muito cuidado, despeje 1 cm de altura de água fervente entre as forminhas para assá-las em banho-maria.
O tempo é cerca de 30 minutos para assar, mas depende muito da temperatura do forno e dos tamanhos das forminhas.
O certo é enfiar um palito, e quando sair limpo, estará pronto.
Retire as forminhas da assadeira e deixe amornar numa grade ou em outra superfície.
Quando estiverem quase frios, desenforme os quindins com a ajuda de uma faquinha de ponta, girando delicadamente com a ponta dos dedos para que ele não se danifique, ao retirar das forminhas.

Sirva gelados ou em temperatura ambiente

==========================================================
DICAS DA LENA:

– Eu prefiro untar as forminhas com glucose de milho, para dar mais brilho.
– Pode usar a glucose transparente e mais firme, à venda em lojas de artigos para confeitaria ou o Karo.
– No primeiro caso, dilua num pouquinho de água e leve ao microondas apenas para aquecer e misture com uma colher, para dar ponto de espalhar.
– No caso do Karo, aqueça numa tigelinha do micro cerca de 1/15 segundos no micro, para dar consistência de pincelar.
– Nesses ambos casos, a manteiga derretida não é necessária.
– Se não tiver coco fresco, pode usar um pacote de 100 grs., de coco seco, hidratado em 1/3 de xícara de água, aguardando uns 10 minutos para a hidratação. Mas sempre lembrando que coco fresco dá um resultado mais macio!
– Quindins são deliciosos, mas requerem um pouco de prática.
E é pra isso que estamos aqui, não? Para experimentarmos até o nosso resultado ideal!

Cala a boca, Galvão! – Kanten de Baunilha e Kiwi

E, quatro anos depois, chega de novo a Copa do Mundo, aquele tempinho bom em que todo mundo enforca o trabalho  para assistir futebol… E ai de quem fizer diferente!

Eu, que não entendo absolutamente nada do esporte, vou me divertindo pelas beiradas, fazendo docinhos verde-amarelos e achando muita graça dessa nossa piada interna de Cala a Boca Galvão.*

EXPLICANDO: *Pra quem não sabe, Galvão Bueno é o principal locutor de futebol da Copa do Mundo e demais eventos esportivos importantes para o Brasil. O problema é que ele é assim, digamos… meio chatinho. Fala demais, dá opiniões furadas, chora, torce e grita. Enfim, muita gente acha o Galvão um pouquinho irritante, e já virou praxe em jogos internacionais algum brasileiro levantar um imenso cartaz com os dizeres “Cala a Boca Galvão!”, que SEMPRE é focalizado por todas as TVs do mundo, mas só quem é brasileiro entende. 😉 Para se ter uma idéia,no dia da abertura da Copa, a expressão Cala a Boca Galvão entrou para os Tending Topics mundiais do Twitter!

Acho que essa Copa pra mim vai ser assim, tentando decorar os nomes dos jogadores, minha amiga Patricia Scarpin me explicando coisas como quem é aquele cara de preto no meio do campo, achando que o replay do gol foi outro gol e comemorando sozinha e convencendo a minha filha de que não existe um time ROSA para ela torcer.

Kanten de Baunilha e Kiwi (serve 6 pessoas)

Essa receita vem de um post bem bacana do blog Superziper, escrito pela querida Adriana Simizo. Dá uma chegada lá que ela explica como fazer essa gelatina linda com o sabor que você quiser.

Eu,que não gosto de gelatina normal, AMO kanten – tem uma textura bem diferente, mais firme e quebradiça, e endurece bem mais rápido, fora da geladeira mesmo. Fica linda também cobrindo tortas de frutas.

Ingredientes:

  • Um pacotinho de agar-agar/ kanten (gelatina japonesa de algas, tem pra vender no Pão de Açúcar, lojas de produtos naturais e no bairro da Liberdade em São Paulo)
  • 4 kiwis
  • 3 colheres de sopa de açúcar
  • 1/2 copo americano de leite condensado
  • 1/2 copo americano de leite
  • 1 fava de baunilha

Descasque e fatie os kiwis. Bata um deles no liquidificador com 1/2 xícara de água. Como eu queria a cobertura da minha gelatina bem transparente, eu coei, misturei o açúcar e fervi por 1 minuto esse suco de kiwi, e depois passei por um pano limpo, para ficar bem clarinho. Passe esse suquinho para um copo americano e complete com água até encher. Reserve.

Em uma panelinha, misture o leite condensado, o leite, as sementinhas da baunilha e a fava. Leve ao fovo e deixe ferver também por 1 minuto, para pegar bem o gostinho da baunilha. Retire a fava e reserve.

Leve ao fogo 1 envelope de 5 gramas de agar-agar dissolvido em dois copos americanos de água e ferva por 3 minutos.

Misture 1 copo do agar fervido e quente no suco de kiwi e 1 copo na mistura de baunilha.

Numa forma de bolo inglês molhada, coloque o suco de kiwi misturado com a gelatina, arrume as fatias de kiwi bem bonitinhas e deixe endurecer um pouco (eu coloquei na geladeira por 1 minutinho). Com cuidado, coloque a mistura de baunilha com gelatina sobre a primeira camada. Leve à geladeira por uns 30minutos, para ficar bem durinha.

Para desenformar, mergulhe o fundo da forma em água quente por alguns segundos e vire sobre um prato.

1 11 12
%d blogueiros gostam disto: