Arquivo da tag: tortas

Mini Cheesecakes de Oreo

cheesecake de oreo

Começo da História:

Outro dia fui num desses clubes de compras. Para preservar identidades e não citar nomes vamos chamá-lo doravante de Sal’s Glub.

Eu prometi pra mim mesma que só estava indo lá para comprar manteiga, porque é mais barato, vale a economia, que eu não ia comprar nada fora da lista e todas aquelas mentiras que a gente conta pra gente mesma quando vai no Sal’s.

Saí de lá com: 4 panetones, 1 caixa com 20 leites condensados, 1 condicionador tamanho 2 litros, 1 saco de dormir da rainha Elza de Arendelle, 1 pacote com 4 milhões de rolos de papel higiênico do tamanho da minha casa, 4 potes de cream cheese que estava baratérrimo e uns biscoitos de chocolate recheados com creminho branco. Na hora de passar no caixa minha anuidade estava vencida então teve ainda uma adição de uns 65 dinheiros no saldo total.

Quando cheguei em casa vi que esqueci a manteiga.

Fim da História.

Lidei com isso da maneira mais sensata: fiz esses mini cheesecakes de oreo, porque assim aproveitei as ofertas maravilhosas do cream cheese e e dos biscoitos com a desculpa de que tenho que postar receitas deliciosas pra vocês aqui no blog. E ficaram muito bons mesmo viu gente? Achei a receita bem fácil e a idéia do biscoitinho inteiro no fundo tem um fator surpresa que eu curti muito.

 

IMG_6759

Mini Cheesecake de Oreos

inspirada em receita do livro “Cupcakes”, Martha Stewart

rendimento: 18 a 20 unidades

  • 500g de cream cheese em temperatura ambiente
  • 150g de açúcar refinado (3/4 de xícara)
  • 2 ovos grandes ligeiramente batidos
  • 1 colher de chá de extrato ou essencia de baunilha
  • 150g de creme de leite (pode ser fresco, de caixinha ou de lata)
  • 18 a 20 biscoitos recheados tipo negresco ou oreo para colocar no fundo das forminhas e mais 8 unidades picadinhas

Coloque forminhas de cupcake em formas de muffin ou use daquelas durinhas que não precisa de forma (nesse caso coloque sobre uma assadeira). Ponha um biscoito inteiro no fundo de cada forminha. Aqueça o forno a 180 graus.

Bata o cream cheese na batedeira até ficar cremoso. Junte o açúcar aos poucos e bata até ficar um creme uniforme. Junte a baunilha e os ovos aos poucos batendo sem parar e raspando a lateral da tigela se necessário. Quando estiver bem homogêneo junte o creme de leite e bata mais um pouco.

Misture os biscoitos picados à mão mesmo. Distribua esse creme entre as forminhas preparadas, enchendo quase até a boca.

Leve ao forno por aproximadamente 20 minutos, ou até firmar um pouco o creme. Não é para dourar nem para passar no teste do palito: os cheesecakes ainda estarão meio moles, mas ao encostar o dedo em cima não estarão mais líquidos.

Espere esfriar e deixe descansar em geladeira por pelo menos 4 horas ou de um dia pro outro. Sirva geladinho.

mini oreo cheesecake

Receitas com nomes fofos parte I – Amor em pedaços

amor em pedaços

Nas minhas pesquisas de receitas de antigamente sempre me deparo com doces curiosos. Tem  barriga de freira, pé de moça, manezinho araújo, pé de anjo, tabefe. E tem as românticas: beijo de mulata, bem-casados, casadinhos, nuvens, sonhos, e a lista é longa.

Algumas a gente ainda consegue encontrar a história do nome, outras só deus sabe, e o doce de hoje é uma dessas que a lenda se perdeu. Imagino que se chame amor em pedaços porque essas barrinhas são tão deliciosas quanto um pedacinho de amor (perdão pela cafonice). Pode ser também porque descascar e ralar um abacaxi pra fazer um doce pra alguém é uma verdadeira prova de amor, já que a receita é do tempo que os hortifrutis não vendiam as frutas sem casca pro pessoal mais preguiçoso.

Só sei que ficou uma delícia, impossivel comer um só.

Amor em Pedaços

adaptado daqui e daqui

rendimento: 15 pedaços grandes

Recheio

  • 1 abacaxi médio descascado, sem o miolo e cortado em cubinhos pequenos (pode passar levemente no processador se preferir, mas sem deixar virar suco)
  • 1 xícara de açúcar (refinado ou cristal)
  • 3 gemas
  • 1 xícara de coco ralado fresco

Massa

  • 1 xícara de açúcar refinado
  • 1 colher de chá de fermento em pó
  • 3 xícaras de farinha de trigo
  • 1 colher de café de sal
  • 200g de manteiga sem sal, temperatura ambiente, cortada em pedacinhos.
  • 1 ovo levemente batido

Prepare o recheio com antecedência, já que ele deve ser utilizado frio: numa panela grande coloque todos os ingredientes. Leve ao fogo médio mexendo sempre até secar bem o liquido e virar um doce com consistência de geléia – essa parte demora um pouco, tipo uns 20 a 30 minutos.

Deixe esfriar ou guarde em geladeira ou freezer para utilizar num outro dia.

Prepare a massa: preaqueça o forno a 190 graus. Forre uma assadeira retangular de mais ou menos 20X30cm com papel manteiga.

Numa tigela grande, misture o açúcar, fermento, farinha de trigo e sal. Junte a manteiga picadinha e esfarele com as pontas dos dedos até a farinha ficar amarelada e úmida, lembrando uma farofa. Junte o ovo e continue esfarelando a massa – não trabalhe em excesso, o objetivo é continuar com uma massinha esfarelada e quebradiça.

Distribua metade dessa farofa na assadeira e aperte levemente para forrar o fundo. Espalhe o recheio de abacaxi com a ajuda de uma espátula até quase chegar nas bordinhas. Cubra com o restante da farofinha, desta vez sem apertar.

Leve ao forno por aproximadamente 45 minutos, ou até dourar por cima. Deixe esfriar e corte em pedaços.

Pode ser guardado em recipiente vedado na geladeira por até 1 semana.

barrinhas abacaxi

O que você quer ser quando crescer? – Torta de Maçã Americana

 

Quando criança, o que você queria ser quando crescesse?

Eu particularmente nutria a mais profunda admiração pelas caixas de supermercado, que passavam o dia apertando botões que faziam abrir aquela caixa registradora espetacular e cheia de dinheirinhos (sei que to véia, vocês aí que nasceram nos anos 90 saibam que nem sempre existiu código de barras, ok?).

E tinha também as chacretes, as dançarinas de maiôs brilhantes do programa do Chacrinha (já falei que to véia?).

Pra você que é xóvem e não sabe o que é chacrete:

* Não espere bom gosto de uma criança, ainda mais uma criança dos anos 80, período histórico de menor noção desde que o mundo é mundo. *

Mas infelizmente o programa do Chacrinha acabou, assim como os anos 80 (thank god) e acabei indo para a faculdade de Comunicação Social virar radialista – profissão que foi boa enquanto durou. Os ex-coléga de profissão e mais uma galera acharam super estranho eu ter virado doceira depois disso, mas veja se não estava escrito nas estrelas.

Bate- bola comigo mesma na infância:

– Livro preferido?  Manual da Vovó Donalda.

– Programa preferido? Assistir Ofélia com a minha avó.

– Brincadeira preferida? Fazer biscoitinhos com meu irmão.

– Um sonho? Fazer uma torta de maçã e deixar esfriando na janela.

Um verdadeiro embrião de cozinheira em formação, diz aí?

E olha aí o sonho de infância realizado – muitas e muitas tortas de maçã já saíram da minha cozinha. Só não deixo esfriando na janela porque moro em apartamento, o parapeito é estreito e vai que cai na cabeça de alguém.

E vocês, alguém aí conseguiu virar o que queria ser?

Torta de Maçã Americana da Vovó (rende 1 torta de 20cm de diâmetro)

Fora a parte de descascar e tirar o miolo das maçãs que é meio demorada, é muito fácil fazer esse tipo de torta de frutas, uma vez que ela consiste praticamente da massa e um monte de fruta lá dentro, e vai tudo pro forno de uma vez.

O segredo pra ela ficar bem bonitona é conseguir colocar o máximo de maçãs que der, até formar uma montanha – as frutas vão segurar a massa no lugar até começar a assar e a torta fica alta e não murcha.

Para a Massa Brisée

  • 2 1/2 xícaras de farinha de trigo
  • 1 colher de sopa de açúcar
  • 1 colher de chá de sal
  • 200g de manteiga gelada, cortada em pedacinhos (sem sal)
  • 1/4 de xícara de água bem gelada (deixe um pouquinho a mais reservado, se precisar)

Para o recheio

  • 6 a 8 maçãs médias  (usei 7 maçãs granny smith) descascadas, sem o miolo e cortadas em fatias de 1 dedo
  • 1/4 de xícara de açúcar
  • 1 colher de chá de canela em pó
  • noz moscada a gosto (opcional)
  • 1 colher de sopa de suco de limão
  • 1 colher de sopa de maizena
  • 30g de manteiga cortada em pedacinhos

Para pincelar

  • 1 gema, misturada com 1 colher de sopa de creme de leite
  • açúcar cristal

Primeiro, faça a massa: No processador, pulse juntos a farinha, açúcar e sal para misturar. Junte os pedacinhos de manteiga gelada, e pulse algumas vezes para obter uma farofa grossa, com pedaços de manteiga maiores (os maiores devem ter o tamanho de ervilhas).  Com o processador ligado, junte a água gelada até a massa se juntar ligeiramente.

Passe para uma superfície de trabalho polvilhada com farinha de trigo e junte delicadamente a massa (vai estar um pouco seca e quebradiça, mas apertando um pouco ela se junta) formando uma bola. Se estiver ainda muito seca e não der pra juntar, espirre um pouquinho mais de água.Essa massa não deve ser amassada nem trabalhada em excesso, senão fica dura. Divida em duas partes e embrulhe em plástico. Deixe descansar na geladeira por 30 minutos. Reserve.

Numa tigela grande, misture as maçãs, açúcar, canela, noz moscada, suco de limão e a maizena com as mãos. Reserve na geladeira enquanto abre a massa.

Separe uma forma para tortas de vidro refratário redonda de 20cm.

Numa superfície de trabalho polvilhada com farinha de trigo, abra um dos discos de massa com o rolo e estique o suficiente para cobrir o fundo e laterais da forma. Ajeite com as mãos – se quebrar é só pressionar para remendar.

Corte a sobra de massa com uma faca ou tesoura e leve a forma forrada de massa ao freezer por 10 minutos.

Prepare a tampa da torta: abra o segundo disco de massa. Coloque o recheio de maçãs sobre o fundo já preparado, formando um monte alto no centro e distribua os pedacinhos de manteiga por cima. Coloque o disco de massa da tampa sobre o recheio pressionando levemente,  sele as laterais com um garfo ou apertando com os dedos para formar um desenho bonitinho.  Faça três furos com uma faca no topo da torta para escapar o vapor. Leve ao freezer por 20 minutos, enquanto aquece o forno a 200 graus.

Coloque a torta sobre uma assadeira forrada com papel manteiga (dá menos trabalho pra lavar depois). Pincele com a mistura de gema e creme de leite e polvilhe com bastante açúcar cristal.

Asse por 20 minutos, até começas a dourar. Reduza o forno para 180 graus e asse por mais uns 40 minutos, até estar bem dourada. Deixe amornar e sirva – a torta é melhor consumida no mesmo dia em que foi feita, porque o recheio começa a amolecer a massa.

%d blogueiros gostam disto: