Arquivo da tag: tortas

Tortinhas de maçã da Branca de Neve

Quem tem filho pequeno sabe: é bom escolher com cuidado os filmes e desenhos que vai colocar, porque você estará fadado a assistir junto com ele o bendito quatrocentas milhões de vezes por dia, todos os dias, por meses a fio. Porque tem que ser junto, não adianta colocar o filme e tentar VAZAR porque não rola.

Nesse exato momento, por exemplo, isso está acontecendo aqui em casa com os filmes das princesas da Disney – mais especificamente, o DVD da Branca de Neve está sendo FURADO de tanto uso.

A pequena assiste feliz, até a hora em que aparece a bruxa com a maçã envenenada. Fiquei até com medo dela desistir da fruta, mas o fenômeno curioso foi um aumento no consumo de maçãs aqui em casa.

Com tantas maçãs circulando por aqui, e estando tão lindas quanto as da bruxa, já que estão na época, não resisti e roubei algumas para fazer essas tortinhas, que são diabolicamente deliciosas.

Tortinhas de maçã – da revista Martha Stewart Living (rende 8 tortinhas)

Para a massa

  • 1 xícaras de farinha de trigo, e mais para a superfície de trabalho
  • 1 / 2 colher de chá de açúcar
  • Sal
  • 100g de manteiga sem sal gelada, cortada em pedaços pequenos
  • 1 / 4 de xícara de água gelada

Para o recheio

  • 2 maçãs Granny Smith ou a outra maçã firme (eu usei Gala)
  • 1 / 4 xícara de açúcar
  • 2 colheres de sopa de farinha de rosca, de preferência feita na hora
  • 1 colher mais 1 1 / 2 colheres de chá de Calvados ou outro brandy de maçã
  • 1 colher de chá de suco de limão fresco
  • 1 colher de chá de farinha de trigo
  • Sal

Para a montagem

  • 3 maçãs Granny Smith ou outra maçã firme (também usei Gala)
  • 2 colheres de chá de suco de limão fresco
  • 4 colheres de sopa de manteiga sem sal, derretida
  • 3 colheres de sopa de açúcar
  • 1 / 4 xícara de geléia de damasco, aquecida e peneirada (Eu usei geléia de maçã nas minhas)

Faça as massinhas:

No processador, ou numa tigela grande, misture a farinha, açúcar e meia colher de chá de sal. Adicione a manteiga, e pulse (ou esfarele com as pontas dos dedos) até que a mistura se assemelhe a uma farofa grossa com alguns pedaços maiores.

Regue com a água uniformemente sobre a mistura. Pulse (ou misture com um garfo) até a massa começar a se juntar (não deve estar molhado ou pegajoso, nem seco demais). Pressione a massa em um disco e embrulhe em plástico. Leve à geladeira por 30 minutos.

Numa superfície polvilhada com farinha, abra a massa gelada na espessura que desejar (eu gosto fininha). Corte rodelas um pouco maiores que as forminhas de torta e pressione a massa no fundo e nas laterais das formas, deixando uma sobra para fora, e remende os furos ou rasgos. Apare o excesso de massa usando uma faca, e deixando bem rente à bordinha da forma. Leve à geladeira até que fique firme, pelo menos  uma hora. Enquanto isso, pré-aqueça o forno a 180 graus.

Faça o recheio:

Descasque e tire o miolo das maçãs e corte cada uma em 8 gomos. Misture com açúcar, farinha de rosca, Calvados, suco de limão, a farinha e uma pitada de sal. Espalhe tudo em uma assadeira e leve ao forno por 20 minutos. Vire as maçãs e asse até estarem muito macias e caramelizadas em torno das bordas, entre 15-20 minutos. Raspe em uma tigela, e amasse com um garfo até virar um purê. Deixe esfriar.

Monte as tortinhas:

Corte em quartos e tire os miolos das maçãs. Usando uma faca afiada ou uma mandoline corte fatias bem fininhas e misture com o suco de limão. Espalhe 2 colheres de purê de maçã nas massas das tortinhas.Arrumeuma camada de fatias de maçã, pincele com manteiga derretida e polvilhe metade do açúcar. Faça outra camada, pincele manteiga e polvilhe com o restante do açúcar. Asse até dourar as maçãs em torno das bordas, cerca de 1 hora e 5 minutos. Pincele com a geléia para dar brilho. Deixe esfriar um pouco, retire das forminhas e sirva.

* A linda luva usada nas fotos está à venda na loja virtual da Ana Sinhana, ou sob encomenda.

A sobremesa que não comi – Torta Sbrisolona

torta-sbrisolona-quebrada

Quando eu não tinha filho, via crianças berrando e correndo alucinadas em restaurantes e achava que a culpa era dos pais.

Depois que Heleninha nasceu, continuamos a frequentar restaurantes. Ela era até que comportada, era só dar um pãozinho que ela ficava ali, quietinha, mastigando com sua boquinha banguela. Ou então, dormia no carrinho e era ótimo, todo o mundo achava uma gracinha. Claro que essa fase passou bem rápido, e a bebê gracinha se transformou numa das crianças que correm e berram.

Outro dia desses, saímos para almoçar num lugar só por causa da sobremesa: uma deliciosa torta de amêndoas. Sentamos, pedimos, e tudo parecia calmo – a minha criancinha fazia gracinhas para a garçonete, que ficou encantada. O giz de cera do restaurante estava super entretendo.

Até que chegou a comida e, óbvio, deu os cinco minutos na monstrinha. Lápis foram jogados longe, pão pra todo lado, chiliques sem fim. Decidiu chamar a garçonete amiga, gritando “vem cá, moça, VEM CÁ MO-ÇA!”, sem parar.  Eu e o Xandoca, mortos de vergonha, tentando controlar a situação sob os olhares dos outros clientes. Lógico que não chegamos na sobremesa.

E hoje eu sei: a única culpa dos pais é ter saído de casa.

trota-sbrisolona

Torta Sbrisolona – uma torta redonda de 20cm

Essa torta é na verdade um grande biscoito de amêndoas para ser partido com as mãos e comido aos pedaços. É um doce tradicional do norte da Itália, originário de Mantova, e seu nome, sbrisolona, significa esmigalhona ou esmigalhada, por causa da sua deliciosa textura.

  • 200g farinha de trigo
  • 110g açúcar
  • pitada de sal
  • 125g de amêndoas sem pele, finamente trituradas
  • 25g de amêndoas inteiras
  • 100g manteiga sem sal, em temperatura ambiente, cortada em pedacinhos
  • 1 gema
  • 1 colher de chá de essência de amêndoas ou licor de amêndoas

Preaqueça o forno a 200°. Unte com manteiga uma forma de torta de fundo removível, de 20cm.

Numa vasilha grande, misture a farinha, o açúcar, o sal e as amêndoas trituradas. Junte a manteiga e a gema e misture com as pontas dos dedos, sem amassar, até toda a farinha ficar úmida e ficar com aparência de uma farofa grossa.

Distribua essa farofa na forma untada, sem apertar. Coloque as amêndoas inteiras sobre a massa.

Leve ao forno por mais ou menos 20 minutos, até dourar ligeiramente as bordas. Reduza a temperatura para 170° e deixe assar até ficar bem dourado e seco. Espere esfriar e desenforme.

torta-sbrisolona-gift

Tortinhas de chocolate e caramelo de castanha do Pará

caramel tartelettes oozing

Interna/Dia

Numa sala em penumbra, um grupo de pessoas está sentado em círculo.

Paula: Meu nome é Paula, e eu sou uma consumidora compulsiva de utensílios de cozinha.

*Todos: Olá, Paula.*

Paula: Essa é a minha história (névoa de flashback):  não sei se vocês conhecem a Rua Paula Souza, aqui em São Paulo. É uma rua que concentra inúmeras lojas de material para restaurantes e lanchonetes. Foi nessa rua que o meu problema começou.

E o seu também começaria: ali tem de tudo, desde panelas até fornos de padaria, e muita coisa bem baratinha. Toda vez que eu vou lá, acabo comprando alguma coisa. E foi assim que acabei com uma coleção obscena de mini forminhas de torta que eu nunca usei na vida (sem falar na coleção de cortadores de biscoitos e na coleção de bicos de confeitar).

Admitir o problema é uma parte da cura, certo? E, refletindo longamente, descobri que a questão não é simplesmente ter coisas demais, e sim, ter coisas demais e não usá-las ;). E a hora chegou: fui convidada para um jantar na casa de uns amigos e resolvi tirar a poeira das forminhas.

caramel tartelettes shells

Uma rápida mudada de assunto

Essa receita é na verdade um Frankstein de várias fontes de inspiração: a massa da torta é da Dorie Greenspan, o caramelo é inspirado em uma receita do David Lebovitz e a cobertura é de uma outra receita da Martha Stewart.

Veja gente: Eu estou dando os créditos a essas pessoas porque elas tiveram o trabalho de criar, pesquisar e testar essas receitas, para que eu pudesse me inspirar no trabalho deles e criar as minhas tortinhas. E dar créditos é uma coisa que vem acontecendo cada vez menos por aí. Gostaria de aproveitar o espaço e alertar aos colegas blogueiros que os seguintes sites estão roubando conteúdo e fotos e republicando como se fossem deles:

http://www.chocomaniacos.com/ – esse é só um blog caça-níqueis. Se você tem receitas com chocolate, pode ter sido clonado. * UPDATE: graças aos leitores amigos, esse blog tirou todos os posts do ar! *

http://amoculinaria.blogspot.com/ – essa cidadã finge que foi ela quem fez todos os pratos alheios, e ainda republica no petitchef. E tem uma frase ótima lá: todas as receitas foram testadas e aprovadas. *UPDATE: este blog  também foi desativado após a publicação deste post.*

Mas o pior de todos na minha opinião é o www.gazetaweb.com, cujo slogan é “o maior e melhor conteúdo em Alagoas”. Na página de culinária deles, que está cheia de propagandas que geram $$$ para o portal, estão copiadas a maioria das minhas receitas e fotos, e também de vários outros blogs conhecidos e que eu amo, como o Technicolor Kitchen e o Flagrante Delícia, só para citar alguns. Sem nenhuma referência aos nossos blogs e nenhum link de volta pra cá. Assim é fácil ter conteúdo: é só roubar dos outros.

Então, quem tiver blog, corre lá pra reclamar. Quem não tiver, reclame pela gente.

Não tenho nada contra a multiplicação de informação que a internet gera, e amo quando as pessoas fazem as minhas receitas e republicam nos seus blogs. Mas nada como a elegância de dar os créditos a quem merece, vocês não acham?

E voltamos a nossa programação normal.

caramel tartelettes line

Tortinhas de chocolate e caramelo de castanha do Pará

A massa é divinamente frágil, desmancha na boca e não é muito doce. O caramelo é cremosinho, com os pedacinhos de castanha do pará dando um contraponto crocante. E a cobertura de chocolate meio-amargo fecha com chave de ouro. Sem mais palavras.

Para a massa (adaptada daqui) – faz 1 fundo de torta de 20cm

  • 1 1/4 xícara de farinha de trigo
  • 1/4 xicara de cacau em pó
  • 1/4 de xícara de açúcar de confeiteiro
  • 1 pitada de sal
  • 130g de manteiga bem gelada, ou congelada, cortada em pedacinhos
  • 1 gema de ovo gelada
  • água gelada o quanto baste (talvez você nem precise da água, mas eu precisei de umas duas colheres de sopa porque a minha massa estava muito seca.)

Coloque a farinha, cacau, açúcar e sal no processador e pulse algumas vezes para misturar. Espalhe os pedacinhos de manteiga na mistura de farinha, e pulse novamente umas três ou quatro vezes, até virar uma farofa, com pedaços de manteiga maiores e menores. Bata a gema numa tigelinha, só para quebrar a película, e junte pouco a pouco, pulsando após cada adição. Quando todo a gema estiver adicionada, processe apertando a tecla pulsar por 10 segundos de cada vez, até a massa se transformar de uma farofa para uma quase massa, com pedaços grudados e outros mais farinhentos. Nesse ponto, eu precisei colocar um tiquinho de água (uma ou duas colheres de sopa), porque a minha massa não saía do estágio farofa.

Passe a massa para uma superfície de trabalho polvilhada com farinha e junte os pedaços da massa, apertando levemente, mas sem amassar muito. sò o suficiente para juntar os pedaços que ficaram mais secos. Não se preocupe em deixar a massa super uniforme: ela é bem quebradiça mesmo.

Unte uma forma de torta de fundo removível com manteiga (ou, chutando, umas 6 pequenas). Vá tirando pedaços da massa e vá forrando toda a forma, fundo e laterais, uniformemente. Leve ao congelador por 30 minuos, ou enquanto preaquece o forno a 180°C. (reserve uma bolinha da massa para eventuais rachaduras depois)

Retire do freezer e forre com uma folha de papel alumínio untada com manteiga lado da manteiga para baixo). Nas tortinhas pequenas, eu não precisei fazer isso, simplesmente furei o fundo com um garfo. Asse por 25 minutos e retire o papel. Se a massa tiver inchado, pressione com uma colher. Se tiver rachaduras, tampe com um pedacinho da massa reservada e retorne ao forno por mais uns 8 a 10 minutos. Deixe esfriar completamente antes de rechear e desenformar.

Caramelo de Castanhas do Pará (inspirado nessa receita)

  • 1 xícara de creme de leite morno
  • 1/2 xícara de água
  • 1 xícara de açúcar
  • 1 pitada de sal
  • 100g de castanhas do Pará picadinhas

Numa panela pequena, junte o açúcar, o sal e a água e leve ao fogo alto. Deixe cozinhando, sem mexer, até ficar um caramelo castanho-dourado. Nesse ponto, retire do fogo e imediatamente junte o creme de leite (com cuidado porque pode espirrar). Misture bem. Deixe amornar e junte as castanhas picadas.

Cobertura de chocolate meio amargo (daqui)

  • 170g de chocolate meio amargo
  • 6 colheres de sopa de manteiga
  • 2 colheres de chá de glucose de milho (usei Karo)

Numa tigelinha de vidro, coloque o chocolate picado e a manteiga. Leve ao microondas para derreter, em intervalos de 20 segundos, misturando sempre, até ficar homogêneo. Junte o Karo e misture bem – vai ficar uma consistência de calda. Utilize imediatamente, ou aqueça no microondas com muito cuidado se ela endurecer.

Montagem

Distribua o recheio de caramelo sobre a massa já assada e fria, mas não deixe chegar até a beirada. Complete com a calda de chocolate morninha. Deixe a cobertura endurecer em temperatura ambiente ou na geladeira.  Desenforme com cuidado e sirva.

TortinhaCaramelo_LOWEssa foto foi meu amigo Ricardo quem tirou, com a sua máquina nova super incrível.

%d blogueiros gostam disto: