pudins

Uma trovinha e um quindão

quindao-2

Ó quindim

Porque és tão delicioso assim?

Quero um inteiro todinho pra mim

Mas o quê? Já acabou em um só minutim!

Não sei lidar com essa emoção.

A solução?

Um quindão.

quindao-fatia

O quindão é mesmo a solução pra várias coisas da vida, seja resolver uma sobra grande de gemas, seja uma preguiça de untar forminhas pra fazer vários quindins, seja uma lombriga inquieta querendo um açuquinha.

Seja quindim, seja quindão (que nada mais é do que um quindim grandão) pra mim esse é o doce brasileiro mais gostoso de todos desde Pedro Álvares Cabral. E como todo doce antigo, não é necessariamente difícil de fazer porém tem seus rituais.

Nem sempre eu acredito na eficiência desses processos (ALERTA POLÊMICA: eu não aceito que seja a pele das gemas que deixa cheiro de ovo nos doces até que me tragam provas concretas e façam um teste cego) mas esse é um dos poucos casos em que eu respeito todas as mandingas da receita.

Quindão  (do caderno de receitas da família)

  • 1 coco fresco ralado ou 1 pacote de 100g de coco em flocos hidratado em meia xicara de água quente
  • 450g de açúcar refinado
  • 24g (2 colheres de sopa) de manteiga
  • 16 gemas
  • extrato de baunilha

Derreta a manteiga em uma panelinha em fogo baixo. Deite o coco ralado, o açúcar e a manteiga derretida numa tigela e misture bem com as mão até ficar uma mistura bem úmida.

Peneire as gemas sobre a mistura do coco, adicione algumas gotinhas do extrato de baunilha e misture bem, sem bater, até ficar bem homogêneo. Cubra e deixe descansar por uma hora.

Unte uma forma de furo no meio de 20cm de diâmetro com manteiga e polvilhe açúcar. Deite a massa na forma, cubra com papel alumínio e deixe descansar por mais uma hora.

Aqueça o forno a 200 graus. Prepare um banho-maria no forno, colocando uma assadeira grande com água quente na grade do meio. Coloque a forma dentro da água do banho-maria e deixe assar, coberto, por 1h30. Verifique de vez em quando a água e se estiver muito baixa complete com mais.

Tire o papel alumínio e deixe mais 30 minutos para dourar o coco. Retire do forno, deixe amornar e desenforme sobre um prato de servir.

quindao

Pudim de Cocada

pudim cocada

Faz tempo hein gente? Mas ainda estamos aqui, ainda que bissextamente – é que ando bastante dedicada aos biscoitos decorados, estudando e dando aulas. E também tirei umas feriazinhas porque ninguém é de ferro.

Pra começar mais um ano blogueiro de um jeitinho tranquilo/favorável vai aí uma receita bem facinha de pudim, porém com um fator complicante só pra quem quiser fazer a guarnição de cocada de fita.

Esse pudim foi feito num improviso para aproveitar ingredientes que eu precisava usar e é um pouco diferente, porque ao invés da tradicional medida da lata com leite eu coloquei água. Achei que a textura ficou muito suave e cremosa, lembrando um pouco um flan.

O coco ralado dá aquela separada como se fosse um quindim e acaba formando como se fosse uma cocadinha no fundo. Inclusive dá pra fazer com leite condensado sem lactose, aí o pessoal intolerante pode comer feliz da vida.

Pudim de Cocada (rende 6 porções ou 1 pudim pequeno)

  • 1 lata de leite condensado (com ou sem lactose)
  • 1 medida da lata de água
  • 4 gemas
  • 1/2 pacotinho de coco ralado em flocos (pode usar o coco fino, mas achei que fica mais gostoso com o flocos)
  • essência de baunilha ou de coco (opcional)

Separe 6 ramequins ou uma forma de pudim com 18cm de diâmetro. Unte com manteiga e polvilhe açúcar OU se quiser com calda de caramelo: leve meia xícara de açúcar ao fogo alto numa panela de fundo grosso até derreter e ficar com cor âmbar. Despeje a calda com cuidado no fundo e laterais da forma ou potinhos.

Prepare um banho-maria no forno ligado a 200 graus, colocando água fervendo numa assadeira grande (já dentro do forno) onde caibam os pudins.

Bata no liquidificador o leite condensado, a água e as gemas até misturar bem. Misture o coco ralado no copo do liquidificardor e dê só uma pulsada para misturar. Distribua a massa do pudim entre os ramequins ou coloque tudo na forma maior. Coloque os pudins dentro da assadeira com a água quente e deixe assar por mais ou menos 40 minutos para os pudins menores e 1 hora para o pudim maior, tomando cuidado de completar a água do banho-maria se for secando. Teste com uma faquinha se a lâmina não sai melecada de creme, se sair somente úmida está pronto. A superfície deve estar douradinha.

Deixe esfriar e leve à geladeira de um dia para o outro antes de desenformar.

Para a guarnição de fitas de coco:

  • 1 coco fresco (já compro descascado no hortifruti)
  • 150g de açúcar refinado
  • 300ml de água
  • 1 pedaço de canela em pau (opcional)

Com um descascador de legumes retire fatias finas do coco para formar as fitas. Coloque a água, açúcar e canela numa panela e leve ao fogo. Assim que ferver e dissolver o açúcar, coloque o coco em fitas nessa calda. Baixe o fogo e deixe cozinhar sem mexer até o coco ficar transparente e flexível, uns 15 a 20 minutos. Guarde em pote com tampa e utilize frio para decorar o pudim.

pudim de cocada

Brigadeirão da Palmirinha

Já contei mil vezes pra vocês que antes de ser doceira trabalhava na TV como produtora né?

Devo ter umas 4 mil histórias pra contar dessa época ~mágica~ da minha vida, desde ter andado de limousine em Hollywood até ter procurado um sambista bêbado perdido na Av Paulista que ia entrar no ar ao vivo e sumiu (não me peçam nomes que eu não falo nem sob tortura).

Mas de todas as minhas experiências, uma das mais legais pra mim é ter trabalhado com a Palmirinha Onofre. Na verdade nem era minha obrigação, eu produzia um outro segmento na emissora, mas havia uma coincidência de horários e eu ficava meio de bobeira logo na hora em que ela estava fazendo a preparação da receita do dia. Enquanto a gente papeava eu ia ajudando a picar um chocolate, lavar um prato, provava um bolinho de chuva, e assim meu dia mega estressante tinha um momento de paz e felicidade.

Daquela época eu guardei algumas receitas que tive o prazer de provar pessoalmente, e esse brigadeirão é uma delas – fora de brinca, nunca provei um igual. Fica super cremoso, sem nenhum furinho e com um gostinho de chocolate quente que a vó fazia.

brigadeirão da palmirinha

Brigadeirão da Palmirinha

rendimento: 1 pudim de 20cm de diâmetro

  • 2 latas de leite condensado
  • 1 xícara (250ml) de leite integral
  • 1 colher de sopa de manteiga
  • 6 gemas
  • 4 colheres de sopa de chocolate em pó (50% de cacau)
  • chocolate granulado para a cobertura

Unte uma forma de pudim de 20cm de diâmetro com manteiga e polvilhe com açúcar. Reserve.

Preaqueça o forno a 190 graus. Prepare um banho-maria: coloque uma assadeira na grade mais baixa do forno e encha até a metade com água bem quente.

Bata no liquidificador todos os ingredientes menos o granulado (coloque primeiro os liquidos no copo do liquidificador). Bata até ficar bem homogêneo e passe a mistura para a forma preparada. Cubra com papel alumínio e coloque dentro da forma do banho-maria.

Asse por aproximadamente 01h30, observando se a água não começa a secar – se secar vá completando, senão o pudim talha e perde a cremosidade.

Dá pra ver se está pronto se o pudim estiver firme, mas ainda meio balançando no centro – pode testar com o dedo mesmo.

Deixe amornar e leve à geladeira por pelo menos 6 horas, ou de um dia para o outro.

Para desenformar passe uma faquinha pelas laterais da forma deixando entrar um pouquinho de ar. Se estiver muito colado, coloque por alguns segundos sobre a chama do fogão e tente novamente.

Vire sobre um prato e decore com o granulado. Sirva gelado.

fatia de brigadeirão

1 2 6
%d blogueiros gostam disto: